09-09-2021

Grupo Boticário banirá matérias-primas de origem animal até 2025

Grupo Boticário banirá matérias-primas de origem animal até 2025
O Grupo Boticário, anunciou a meta de banir matérias-primas de origem animal até 2025 para todas as suas marcas (O Boticário, Eudora, Quem Disse, Berenice?; BeautyBox, Multi B, Vult e O.u.i). A novidade é mais uma etapa do projeto Uma Beleza de Futuro, que estabelece compromissos de sustentabilidade e responsabilidade social até 2030.


Para atingir a nova meta, todos os lançamentos a partir de setembro de 2021 serão completamente veganos. Os demais produtos passarão por um processo de reformulação e adequação nos próximos três anos. Alguns deles já estão sendo reformulados. É o caso da linha de maquiagem Intense, do Boticário, que foi relançada em 2020 em versão totalmente vegana.


"Em 2020, 85% dos desenvolvimentos do Grupo Boticário não usaram ingredientes de origem animal, isso corresponde a mais de 1 mil opções veganas. Com este compromisso que assumimos agora, queremos chegar a um portfólio 100% vegano o quanto antes", afirma Gustavo Dieamant, diretor de Produto & Desenvolvimento do Grupo Boticário.


Há 21 anos a companhia não realiza seus testes em animais e, desde 2017, não usa ingredientes de origem animal que são provenientes de sofrimento. Há cinco anos o Grupo Boticário criou uma pele 3D, que replica células de pele humana no laboratório.






Notícias relacionadas

Grupo Boticário desenvolve Centro de Pesquisa do Olfato

O centro de pesquisa reunirá pesquisadores, médicos e especialistas em neurociência, em perfumaria e em comportamento humano

+

FCE Cosmetique começa hoje

O evento, realizado nos dias 30 de novembro a 2 de dezembro, terá mais de 400 marcas expondo seus produtos e lançamentos

+

Confiança do setor de serviços recua ao menor nível em cinco meses, diz FGV

Em novembro, o Índice de Confiança de Serviços teve queda de 2,3 pontos e foi a 96,8 pontos

+

IGP-M desacelera em novembro

O índice teve variação de 0,02%, após alta de 0,64% em outubro, apontou a FGV

+

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos