14-09-2020

FGV: prévia de índice de incerteza sobre a economia cai 6,1 pontos em setembro

A Fundação Getulio Vargas (FGV) informa que o Indicador de Incerteza da Economia Brasileira (IIE-Br) caiu 6,1 pontos na passagem de agosto para setembro, segundo a prévia do indicador divulgada hoje, 14. Se o dado for confirmado, o índice descerá a 154,2 pontos. O ritmo de queda do índice mostra aceleração neste mês. Em agosto, a queda sobre julho foi de 3,4 pontos.


"A aceleração da tendência de queda do Indicador de Incerteza nesta prévia de setembro tem relação com a sustentação do cenário de retorno gradual da atividade econômica e do relaxamento de medidas de isolamento social impostas pela pandemia de covid-19", diz a nota divulgada pela FGV.


A instituição ressalta, contudo, que o IIE-Br ainda está 39 pontos acima do nível anterior à pandemia. O indicador é formado por dois componentes: o IIE-Br Mídia, que faz o mapeamento nos principais jornais sobre a frequência de notícias com menção à incerteza; e o IIE-Br Expectativa, construído a partir das dispersões das previsões para a taxa de câmbio e para o IPCA.


Na prévia de setembro, o componente de mídia diminuiu 6,5 pontos, para 137 pontos. O componente de expectativas caiu 2 pontos, para 200,6 pontos. O Índice de Expectativas devolveu até o momento apenas 26% das altas ocorridas entre março e maio, aponta a FGV.




Notícias relacionadas

Ashland anuncia IMCD Brasil como nova parceira de distribuição

A distribuição de produtos para personal care e home care será feita em estados selecionados, a partir de 1º de outubro

+

Amazon escolhe o Brasil para estrear dia de descontos na América do Sul

O Prime Day acontecerá nos dias 13 e 14 de outubro. Brasil e Turquia são estreantes, no evento que acontece simultaneamente em 19 países

+

Hinode tem nova vice-presidente para a área de produtos e branding

Erica Pagano, que atuava na L’Oréal Brasil, assume a posição

+

Estudo destaca reação das empresas aos impactos da pandemia

A 6ª edição da pesquisa realizada pela GS1 Brasil mostra os resultados do movimento de reação das empresas. Caiu de 85% (abril) para 54% (setembro) o total de empresas que tiveram queda no faturamento

+

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos