Boas Prticas

APPCC como Ferramenta para a Melhoria das BPFeC

Janeiro/Fevereiro 2015

Carlos Alberto Trevisan

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Carlos Alberto Trevisan

O ttulo desta coluna pode causar sensao de descrdito em algumas pessoas, pois, como se sabe, na indstria de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumes e Cosmticos), algumas tcnicas e alguns processos da qualidade so considerados impossveis de implantar por causa da diversidade de produtos e das caractersticas das empresas.

Sabe-se que os rgos de vigilncia sanitria, cada vez mais, tm enfatizado a necessidade de que a segurana dos clientes seja a preocupao maior de todas as empresas.

Como de conhecimento geral, as BPFeC (Boas Prticas de Fabricao e Controle) so a melhor ferramenta da Qualidade para possibilitar que, quando aplicadas de forma adequada, seja obtido o melhor nvel de qualidade dos produtos. Adicionalmente, para que as BPFeC assegurem um nvel de qualidade maior, h necessidade de utilizar o sistema APPCC (Anlise de perigos e pontos crticos de controle), o qual possibilita obter maior confiana quanto qualidade dos produtos.

Devo tambm ressaltar que as pequenas indstrias, ao implantar essa metodologia, podem oferecer produtos com melhores padres de qualidade.

A implantao do APPCC tem por base aplicar princpios preventivos, proporcionando maior segurana na produo e no transporte dos produtos.

Para a implantao do APPCC deve ser adotada a seguinte metodologia:

Criar uma equipe.
Estabelecer a finalidade da anlise.
Elaborar o fluxograma.
Verificar perigos e preveno.
Estabelecer pontos crticos de controle.
Estabelecer os limites de criticidade.
Elaborar aes preventivas.
Criar a documentao do sistema.

Inicialmente devemos conhecer os insumos, do ponto de vista fsico-qumico, as embalagens e os processos envolvidos. Devemos tambm realizar uma avaliao fsica do local da operao. A identificao dos potenciais perigos de cada etapa do processo deve ser realizada pelos componentes da equipe, criando uma tabela na qual constem perigos e o grau de risco de cada um, fato que implica na classificao destes em crticos ou no.

Os controles que por ventura j existam e que possam ser aplicados devem ser considerados. Em algumas circunstncias, necessrio fazer mais de um tipo de controle para possibilitar que determinado risco seja controlado.

Na indstria cosmtica, os processos considerados crticos pem em risco a qualidade dos produtos. No devemos deixar de considerar que a estocagem tambm, em alguns casos, pode constituir um ponto crtico, seja pela ao da temperatura e da umidade, seja pelo tipo de empilhamento e de arrumao empregados.

O APPCC no poder ser efetivo se os processos no estiverem corretamente documentados, pois do procedimento decorre a perfeita compreenso de como cada etapa do processo se relaciona com a anterior e com a seguinte, e qual o impacto de cada etapa na segurana do processo como um todo.

Eu poderia exemplificar citando o procedimento de limpeza e sanitizao, que, se no for implantado objetivando a segurana da qualidade, poder efetivamente ser um grande ponto crtico de controle.

O procedimento de pesagem tambm representa um ponto crtico de controle, pois qualquer no conformidade acarreta risco imediato para a qualidade do produto.

Devo ressaltar que os exemplos citados so apenas indicativos de alguns dos possveis pontos crticos de controle, entre os inmeros existentes nas empresas de HPPC, pois cada uma tem suas prprias caractersticas, as quais impactam diretamente no processo de avaliao de possveis pontos crticos e de pontos crticos de controle.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos