Embale Certo

Embalagem para o mercado teen

Janeiro/Fevereiro 2012

Antonio Celso da Silva

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Antonio Celso da Silva

Comea um novo ano que, assim como os ante- riores, chega repleto de dvidas e incertezas. O cenrio de empresas associando-se a outras e de empresas fechando. Isso vem acontecendo notada- mente na rea de terceirizao, na qual a margem
de lucro reduzida simplesmente consumida pelos problemas comuns na produo, que geram perdas e nunca esto computa- das no custo inicial. Essa conta no fecha a favor do terceirista.
Na verdade, o ano comea um tanto preocupante. Eu, que normalmente sou um otimista, tenho minhas restries nesse incio de ano e, se me perguntarem, recomendo prudncia.
Vejo no mercado de embalagens os fornecedores tambm apreensivos, tanto com novos projetos como com estoques parados, porque o cliente solicitou a reprogramao da entrega. Os fabricantes de moldes para embalagens tambm esto preo- cupados com a falta de novos projetos.
O que ser que nos espera neste ano? Ser que a crise anunciada para alguns, anos atrs, e que nosso ento presidente classificou de marolinha, est chegando agora? Tomara que no.
Mas ns somos brasileiros, no desistimos nunca e vamos agir para que essa nuvem negra que paira seja soprada pelo vento do tradicional crescimento do setor e v embora.
Pensando dessa forma, onde ser que vai acontecer o boom deste ano no setor cosmtico? Ser no segmento de varejo, na franquia ou na venda-direta, para repetir o que aconteceu nos anos anteriores?
Qual produto ser o foco da mdia, dos consumidores e, consequentemente, das vendas? Ser um produto capilar, de tratamento, alcolico, ser a maquiagem com suas novas cores ou o revolucionrio primer pr-maquiagem? E a embalagem asitica, at quando ser a sada para os problemas com as em- balagens nacionais?
Com todas essas perguntas de difcil resposta, uma tendncia se percebe: o crescimento do consumo de produtos direcionados aos teens. Segmentos como os de eletroeletrnicos, roupas, ce- lulares e tnis apostam muito nesse setor e vm lanando cada vez mais produtos para esse pblico.
E no mercado cosmtico? Quais so os produtos e as emba- lagens que buscam esse pblico? Vocs j perceberam que estes no existem? O que esses jovens buscam em um cosmtico?
Pensando assim, os marqueteiros e designers de planto
precisam pensar em uma embalagem de shampoo, por exemplo, direcionada para esse pblico. Ser que ela deve ser bem colori- da ou discreta? De que tamanho? E o preo? Ela deve oferecer praticidade? Sim, muita. Enfim, o que chamaria a ateno dos adolescentes?
Quantas empresas fizeram e tm um estudo profundo desse mercado e por que no lanaram produtos e, principalmente, embalagens que encantassem os teens?
Sabemos que o pblico teen no aceita mais embalagens de super-heris, de bandas musicais em evidncia, tampouco as alusivas a cantores, mesmo que sejam aqueles cujos sucessos esses jovens cantam e danam na balada. O conceito rosinha para meninas e azul para meninos tambm faz parte do passado.
Pensando bem, a gente entende porque poucas (ou talvez nenhuma empresa) j se atreveram a explorar esse pblico, pelo menos em se tratando de linha capilar.
Por outro lado, e na contramo da histria, esto os esmaltes. Esse mercado de cores virou de cabea para baixo os conceitos das cores clarinhas, do tipo Zaz, Bruma, Areia, Misturinha e tantas outras de um passado no to distante.
Sem dvida, o pblico teen bastante responsvel por isso. Se houve essa mudana radical nas cores, o mesmo no se pode dizer das embalagens, que ainda so praticamente as mesmas. Ser que o pblico teen consumidor de tantas cores de esmal- te, assim como as mulheres consomem sapatos prefere uma embalagem diferente de esmalte, direcionada para sua faixa etria? Parece-me que no.
E quanto perfumaria, ser que a embalagem faz a diferena na deciso de compra dos teens, de uma colnia, seja ela mascu- lina, seja feminina? Essa outra linha de produtos na qual no existe distino ou diferenciao de faixa etria do consumidor, a no ser pela fragrncia. O que se busca uma embalagem bonita, diferenciada, prtica. bvio que estamos anos-luz de chegar perto de uma embalagem importada muitas delas mais parecem joias.
No incio do texto, minha inteno era falar das embalagens para o mercado teen de cosmticos, mas, discorrendo sobre o assunto, percebo que este um segmento inexplorado, repleto de oportunidades e com muito a desenvolver, criar e fazer.
O que falta ento? Repetindo o que coloquei acima, falta os designers e os marqueteiros se lembrarem dessa oportunidade. Mas o que falta mais ainda um empresariado atirado, sem medo e, porque no dizer, com um pouquinho de dinheiro para investir em divulgao. Concluindo, vejam como esse nosso mercado: se por um lado as nuvens negras nos assustam, por outro percebemos oportunidades bem debaixo do nosso nariz. Vamos execut-las ento!



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos