Direito do Consumidor

Consumo virtual

Novembro/Dezembro 2011

Cristiane M Santos

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Cristiane M Santos

As relaes comerciais evoluram de tal forma no mundo moderno, que a internet j est consolidada como uma ferramenta essencial para a gerao de negcios.

Se a empresa ainda no tiver um sistema de vendas on-line, essencial que tenha pelo menos um website bem apresentado, pois se tornou uma praxe os consumidores buscarem informaes da empresa e de seus produtos por meio da internet, e eles desconfi am daquelas empresas sem endereo on-line.

Segundo os especialistas em marketing, o e-commerce tornou-se smbolo da modernidade e sinnimo de empresas que buscam sempre desenvolvimento e investimentos, visando o futuro.

Com cerca de 81 milhes de internautas, o Brasil o quinto maior pas com nmero de usurios que acessam a internet.

Apenas durante este ano, 4 milhes de consumidores virtuais dentre os quais 2,4 milhes pertencem classe C , efetuaram sua primeira compra pela internet.

Segundo dados da Empresa de Inteligncia e Comrcio Eletrnico (Ebit), num cenrio pessimista, estima-se que o comrcio eletrnico fature cerca de R$ 19 bilhes em 2011, contra R$ 14,8 bilhes registrados em 2010.

A Ebit tambm constatou que os lderes de vendas na internet se encontram em categorias de produtos como: eletrodomsticos, informtica, sade e beleza, medicamentos, livros, assinaturas de revistas e mdias eletrnicas.

As vantagens da compra virtual so: a comodidade de no precisar sair de casa e a possibilidade de comprar produtos com a mesma qualidade da loja fsica, os quais, em muitos casos, so at mais baratos.

Apesar de ser um mercado com perspectivas promissoras, para que uma empresa atenda s exigncias do ecommerce necessrio que esta compreenda como utilizar a instantaneidade da internet para satisfazer e conquistar os consumidores virtuais.

Para isso, a empresa deve estar atenta ao planejamento comercial e logstico, que abrange o bom atendimento ao cliente, o respeito aos prazos, o preo adequado, as formas de pagamento acessveis etc., alm de desenvolver a capacidade de absorver a demanda, ou seja, deve respeitar os direitos do consumidor!

A era da internet, assim como pode facilitar as relaes entre fornecedores e consumidores virtuais, pode prejudicar e muito a imagem de uma empresa.

Isto porque, o consumidor virtual tambm se utiliza dessa ferramenta para dar sua opinio sobre o produto ou servio adquirido. E quando dois consumidores insatisfeitos se encontram, seus comentrios se propagam de forma imediata para um nmero ilimitado de outros possveis consumidores, prejudicando a imagem da empresa.

Por isso, quando a reclamao existir, a empresa jamais dever se omitir!

Estudo sobre reclamaes de consumidores na internet, realizado pela empresa de monitoramento Miti Inteligncia, no perodo de 30 de dezembro de 2010 a 3 de janeiro de 2011, constatou que as principais crticas dos consumidores tiveram relao com o atraso na entrega de produtos e com a falta de qualidade no atendimento aos usurios.

No ltimo dia 10 de novembro, a Fundao Procon de So Paulo advertiu a B2W Companhia Global de Varejo responsvel pelas empresas Americanas, Submarino e Shoptime sobre a possibilidade de ter suas atividades suspensas no estado de So Paulo, por 72 horas, por reincidir na prtica de no entregar produtos aos consumidores, e multou a empresa no valor de R$ 1.744.320,00. Cabe recurso desta deciso.

Segundo o Procon, a B2W teve aumento de 146% nos casos de reclamaes registradas, passando de 1.479 casos, no segundo semestre de 2010, para 3.635 casos relatados no primeiro semestre de 2011.

O mundo da era digital requer muita ateno e respeito aos consumidores virtuais, que esto cada vez mais exigentes, conscientes e querem ser ouvidos...

Por isso, a adoo de um posicionamento on-line requer preparo e amadurecimento por parte da empresa fornecedora.

Partindo desses princpios, com as ferramentas interativas disponveis, o mundo virtual um mercado promissor para estimular o consumo, mas no se deve perder de vista que o poder desse mercado est nas mos dos consumidores.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos