Tricologia

Tricologia Verde

Maro/Abril 2009

Valcinir Bedin

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Valcinir Bedin

Acredita-se que, mesmo com os Estados Unidos vivendo uma imensa crise na economia, haver aumento de 80% nas vendas de produtos ditos orgnicos ou verdes.

muito importante que se defina corretamente o que um produto verde (e no estamos falando apenas da cor da embalagem!). Para entender melhor este assunto, vamos ver o que aconteceu na Europa nos ltimos anos. Os cinco maiores pases em termos econmicos se uniram, cada um com sua instituio representativa. A Itlia com a ICEA, a Alemanha com a BDIH, a Blgica com a Bioforum, a Frana com a Cosmebio/Ecocert e o Reino Unido com a Soil Association e definiram as necessidades mnimas e as bases para os cosmticos poderem ser chamados de orgnicos ou naturais.

Para tanto esta associao, denominada Cosmos (Cosmetics Organics Standards Working Group), estabeleceu alguns pontos que devemos considerar. O primeiro para que tenhamos um desenvolvimento sustentvel, que possa conciliar progresso econmico, responsabilidade social e manter o balano natural do planeta. um projeto onde os cosmticos precisam estar envolvidos.

Entretanto, para se alcanar todos os itens necessrios para um desenvolvimento sustentvel, algumas mudanas nos padres de produo e nas prticas de consumo so indispensveis.

Para estimular esses processos de produo e consumo, o setor dos cosmticos orgnicos e naturais est usando algumas regras ditadas pelos princpios de preveno e segurana em todos os nveis da cadeia, desde a produo da matria-prima at a distribuio do produto final.

Essas regras bsicas podem ser enunciadas como:
1. Promover o uso de produtos de agricultura orgnica e respeitar a biodiversidade.
2. Usar produtos de fonte natural de maneira responsvel e respeitar o meio ambiente.
3. Adotar processos e manufatura que sejam limpos e que respeitem a sade humana e o meio ambiente.
4. Integrar e desenvolver o conceito de Quimica Verde em vez de petroqumicos.

Este ltimo ponto um ponto-chave para o sucesso dessa ambio, se considerarmos as especificidades da formulao de produtos cosmticos.

Com esta filosofia verde, e este desejo de contribuir ativamente para o desenvolvimento sustentvel, o setor de cosmtico tem o compromisso de definir e implementar um padro para o que se vai chamar de cosmtico orgnico ou natural. Este padro considera a realidade tecnolgica corrente enquanto infunde um dinamismo que levar a desenvolvimentos inovadores.

Para facilitar a traduo dessas regras em nvel de padronizao, necessrio distinguir as cinco categorias de ingredientes que possui um produto cosmtico (a lista abaixo segue ordem crescente de interveno humana)

1. gua matria-prima vital e bsica no desenvolvimento de um produto; sua qualidade essencial.
2. Ingredientes naturais interessante e necessrio, mas no renovvel. Eles requerem regras ambientais claras para uso.
3. Agroingredientes processados fisicamente a maioria j tem regras claras.
4. Agroingredientes processados quimicamente certificados por leis que permitam que sejam autorizados sob o guarda-chuva da Qumica Verde.
5. Materiais sintticos esta a categoria que vai direcionar a transio entre a situao corrente e os objetivos e direo deste padro.

Estes so os pontos que precisam ser seguidos para que o meio ambiente e o bem-estar do homem no planeta sejam preservados.

Para propsitos prticos pretende-se como objetivo assegurar a transio entre as possibilidades de avano tecnolgico do hoje para o amanh e promover o desenvolvimento dos cosmticos da maneira mais natural e orgnica.

Isso se faz necessrio para que o consumidor seja informado de maneira clara e transparente para que possam ser atores na manuteno do desenvolvimento sustentvel.

Em resumo, sem a participao efetiva do elemento da ponta do processo - o consumidor -, no haver esta possvel evoluo.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos