Gestão em P&D

Os cosméticos e a evolução dos valores humanos

Novembro/Dezembro 2021

Wallace Magalhães

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Wallace Magalhães

Valores humanos são os princípios de moral e ética que regem a vida das pessoas. Estes valores têm como objetivo maior moldar a consciência, determinando um comportamento que resulte em uma sociedade, no mínimo, pacífica, honesta e justa. Pode parecer que não tem nada a ver com o P&D, mas tem. E muito.

Se você está em uma empresa, sociedade é mercado e pessoas são consumidores, principalmente. E este entendimento não pode ser alheio aos princípios éticos, como marcadamente já foi no passado e, em muitos casos, ainda é até hoje. O compromisso de alinhamento a estes valores é uma garantia de sincronia e adequação da empresa ao momento em que ela atua. A possibilidade de sucesso para empresas e produtos desconectados do momento tecnológico e mercadológico é praticamente nula. E em qualquer empreendimento de base tecnológica, tudo começa ou passa pelo P&D. Desde a criação do “cold cream,” em meados da década de 1850 até os dias atuais, a evolução da ciência cosmética foi gigantesca. Sem desprezar o avanço de áreas afins, toda esta evolução cosmética é resultado direto de pesquisas realizadas nos laboratórios de fornecedores, universidades e fabricantes, com emprego de metodologia e protocolos adequados.

A manutenção do nível de adequação tecnológica e regulatória dos produtos deve ser uma das principais atribuições do gestor do P&D. O termo “gestor” praticamente não é usado para se referir ao responsável pelo P&D de indústria de cosméticos do Brasil. Isto é um erro estratégico porque pesquisa e desenvolvimento é uma atividade complexa e que impacta fortemente nos resultados da empresa, desde a obtenção da normalidade regulatória até o desempenho do produto, passando pelo custo de produção e riscos de qualidade durante a preparação, estocagem e uso. Assim, é um setor que precisa funcionar com gestão. O fato de não tratar o responsável como “gestor” o afasta da percepção de seu papel e sua real parcela de responsabilidade nos resultados do negócio como também reduz o reconhecimento de suas demandas, o que certamente compromete a qualidade de seu trabalho. Este é um dos ingredientes da receita de um P&D fraco, e de baixa competência, mesmo se os profissionais forem preparados e dedicados. Muita gente ainda desconsidera o fato do resultado de uma indústria ser, em grande parte, determinado pela competência de seus produtos. Um produto mal desenvolvido tem pouquíssimas chances de ser um sucesso e muita probabilidade de gerar prejuízo.

Sem aprofundar em questões filosóficas, é fácil perceber que respeito, responsabilidade, honestidade e empatia são os valores éticos mais importantes para uma indústria de cosméticos, independente de seu porte. E isto começa em um P&D bem equipado, com metodologia e protocolos adequados, com um bom planejamento e devidamente reconhecido. No P&D, deve haver uma mentalidade evolutiva que reconheça que seu trabalho não se resume em criar uma formulação ou produto. Tem que haver uma avaliação consistente do desempenho do novo produto, de preferência, comparando-o com produtos do mercado.

Apesar das enormes desigualdades que ainda existem nas sociedades, houve uma enorme evolução dos valores humanos através dos tempos, o que, inevitavelmente, se refletiu no mercado e se impôs no patamar tecnológico atual. O que pode parecer só uma questão de filosofia, certamente vai aparecer nos demonstrativos financeiros. Por isso, os princípios da ética devem estar na intenção da conduta de qualquer empreendimento.

Cosméticos são mais do que uma simples mercadoria. Eles previnem doenças e melhoram a vida das pessoas. Estes são seus reais valores. Sua evolução começa no P&D que deve estar reconhecido por si, por seus pares e deve assumir o compromisso de constante evolução de processos, mentalidade e responsabilidade. Se você é de um P&D que não tem procedimentos de avaliação de desempenho de produtos, você tem um atraso para tirar. Sabe como? Com pesquisa e desenvolvimento, uai!



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos