Gesto em P&D

Bolo de coco e creme antiaging

Janeiro/Fevereiro 2021

Wallace Magalhães

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Wallace Magalhães

Quando eu era garoto, minha me fazia bolo, biscoito, roscas e pes em casa. Ela gostava de fazer esses quitutes, o que era comum no interior de Minas. Entre os meus 8 e 11 anos, comecei a ajud-la. Achava interessante o processo de medir e misturar ingredientes, avaliar o aspecto e a textura da massa, acompanhar as mudanas do processo de assar e, obviamente, degustar no final.

Ingredientes, misturas, processo e avaliao. Acha que parece P&D?

Pois bem, as restries por causa da pandemia acabaram deixando algum tempo livre. Certo dia, eu resolvi fazer um bolo. Peguei uma receita: farinha de trigo, ovos, manteiga, acar, sal, fermento e leite. A pensei: vou mudar a receita, quero fazer um bolo de coco. Troquei 2/3 do leite por leite de coco e coloquei coco ralado. Fiz um bolo de coco que ficou saboroso.

H alguns anos, quando fui desenvolver um creme antiaging, comecei com uma reviso sobre anatomia, histologia e fisiologia da pele, para entender o processo de diferenciao e os fatores envolvidos no seu envelhecimento. Eu j tinha estudado o assunto antes, mas quando se tem uma ideia definida de produto, possvel perceber detalhes que passariam despercebidos em um estudo de rotina.

Depois pesquisei quais ativos poderiam ser usados, qual era o modo de ao e quais eram os requisitos para que essa ao se desenrolasse com eficcia e segurana. A substncia escolhida emulava um ataque pele, que, em resposta, acelerava a diferenciao celular e a descamao epidrmica para remover o agressor. A superfcie da pele ficaria formada por clulas diferenciadas em um tempo mais curto, com menos perda de gua, originando uma epiderme mais hidratada, com clulas mais volumosas e com aparncia rejuvenescida.

A literatura dizia que a substncia tinha uma ao satisfatria, mas o modo de ao poderia causar desconforto, e isso j determinava algumas caractersticas da rotulagem e tambm da formulao, que deveria ser macia porque poderia ser reaplicada em uma pele irritada, mesmo que levemente e no poderia escorrer durante a aplicao, nem depois de ser assimilada pela pele.

Como a aplicao era noturna, logo antes de dormir, e removida pela manh, no houve preocupao com o suor, mas foi tomado o cuidado para que o filme resultante fosse seco o sufi ciente para no haver chance de o produto passar para a fronha e, inadvertidamente, atingir os olhos.

Pode parecer um excesso, mas tecnicamente razovel e, portanto, passvel de considerao.

Detalhes assim podem ser um diferencial e dar mais valor ao produto, desde que empregados corretamente na concepo e divulgao.

A concentrao da substncia e o pH foram defi nidos a partir das informaes da literatura. Na verdade, h de se considerar os fatores que determinam o comportamento drmico de uma substncia: o peso molecular, o coefi ciente de difuso, o coeficiente de partio O/A e a concentrao.

O peso molecular inerente substncia, e no havia recurso para avaliar a difuso no laboratrio. O coeficiente de partio O/A foi ajustado com o pH, que, no caso, era decisivo para definir a eficcia e a segurana. Para concentrao, somente foi considerado o valor nominal, porque ainda no se sabia da existncia da concentrao resultante [ndice de Atividade Cosmetodinmica, Cosm & Toil Bras 32(5):24-29, 2020].

A sequncia foi preparar as amostras, fazer uma avaliao preliminar para escolher uma delas e submet-la aos estudos de estabilidade. Na poca, a obrigatoriedade dos estudos de segurana e eficcia ainda no estava bem definida como hoje. Um equvoco tecnolgico e regulatrio.

Pois bem. O trabalho de desenvolvimento envolve uma srie de procedimentos e protocolos - que devem ter embasamento tcnico e cientfico, estar em consonncia com as normas aplicveis - e deve atingir os objetivos do briefi ng. Alm da formulao, h ainda que se verificar e avaliar a adequao da embalagem, o texto e as figuras. A concluso deve ser formalizada sob a forma de um dossi, com configurao estabelecida pela legislao. E ainda tem a participao no trabalho de validao do processo de fabricao industrial.

Ento, qual dos dois exemplos representa melhor o modo de funcionamento do P&D na sua empresa? Claro que creme antiaging no tem absolutamente nada a ver com bolo de coco. O problema que, ainda hoje, muita gente desenvolve cosmticos como eu fiz meu bolo de coco. Um equvoco primrio que diminui o valor das empresas e de seus tcnicos.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos