Embale Certo

Embalagens: pode trazer da China

Setembro/Outubro 2020

Antonio Celso da Silva

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Antonio Celso da Silva

A pandemia virou esse nosso mercado cosmtico de cabea para baixo, mas uma coisa inegvel: est valendo para comprovar aquela mxima que diz em tempos de crise, s os fortes sobrevivem. Mas quem so esses fortes? As grandes empresas? Aqueles que tinham um flego financeiro? Nem uma coisa nem outra. Uma grande empresa no sobrevive crise s por ser grande. O flego financeiro um dia acaba, principalmente levando-se em conta que aquilo que comeou efetivamente em maro e que na nossa cabea no passaria de junho ou julho, sob pena de matar muitas empresas, j est atravessando setembro, e a nica luz no fim do tnel, at ento, chama-se vacina.

Mas ento quem so essas empresas ditas fortes para sobreviverem s crises? Pode parecer clich, mas so aquelas que se reinventam na crise, que, em vez de se lamentarem, enxergam oportunidades, expulsam as emoes e se concentram na razo.

Digo isso com conhecimento de causa, pois, enquanto muitas empresas esto batendo lata esperando a soluo cair do cu, outras esto nadando de braada, com suas carteiras de pedidos recheadas, e a nica preocupao o que fazer para no deixar faltar produtos, as chamadas rupturas, em funo do aumento de vendas.

Posso citar um exemplo que aconteceu nessa pandemia com o sumio das vlvulas, principal componente da embalagem do lcool gel. Enquanto a maioria das empresas se descabelava buscando quem tinha essa embalagem, dispostas a pagar at o dobro do valor normal, outras poucas empresas saram na frente, substituindo a vlvula por tampa flip-top, disc-top e at tampa cega. Outras, mais ousadas, foram em busca de sachet, pouch e outras sadas.

Interessante que o resultado dessa situao foi que as empresas que s trabalham com a emoo e no tm tempo para a razo, j tinham a frase pronta: mas isso pode?!.

Essa pandemia serviu para mostrar como nosso mercado interno de embalagens vulnervel. Bastou aumentarem as vendas das vlvulas para elas sumirem do mercado. Ningum tinha, ou melhor, ningum tem.

Fico aqui pensando No faz muito tempo que s tnhamos no Brasil um nico fabricante de vlvulas, que ficava no Rio de Janeiro. Vlvula era s para colnia importada ou para tops nacionais que podiam importar esse componente. O resultado disso era o uso generalizado de tampas cegas nas colnias.

Para resolver ou minimizar o problema, algumas empresas comearam a importar os componentes e montar as vlvulas no Brasil. Porm, como todos sabem, em uma vlvula vo mais de dez componentes, e no raras vezes essas empresas no tinham todos eles e, portanto, no conseguiam montar a vlvula.

Se comparado com esse passado, hoje temos muito mais opes de fornecimento, mas, mesmo assim, elas no supriram o aumento da demanda.

Sem falar da principal matria-prima do lcool gel, que o Carbopol (marca da Lubrizol). Por ser importado, virou raridade, e quem no tinha estoque ou programao de entrega teve que entrar numa fila de meses para receber essa matria-prima.

Como disse, a pandemia est fazendo as empresas se reinventarem para sobreviver e, com isso, evidenciou oportunidades. Uma dessas oportunidades se mostra no nmero de empresas que nasceram propondo trazer embalagens do mercado internacional, as chamadas tradings. O que antes era proibitivo para pequenas empresas, em funo da quantidade e tambm da preocupao com a qualidade, hoje j outra realidade.

Se a empresa busca qualidade e preo, tem. Mas se busca somente preo para vender na feirinha da madrugada, tambm tem.

Quando falamos de embalagem, inegvel que o mercado asitico, mais precisamente a China, est anos-luz na nossa frente em diversidade de itens, qualidade e preo.

Ento, por onde comear para trazer boas embalagens da China? Se voc no consegue ou no pode fazer isso internamente, o primeiro passo encontrar uma boa trading, aquelas que conhecem bem o mercado chins, que trabalham com embalagens para cosmticos e, principalmente, que tenha no seu quadro de colaboradores algum que fale mandarim, pois muitos l no falam ingls e isso dificulta o entendimento e a negociao.

O segundo passo saber o que a empresa quer importar, ter amostra ou uma foto. Cuidado com a frase pronta: me mostra o que eles tm l e quanto custa. Isso vai difi cultar a vida da trading e atrasar o processo, pois so infi nitas as ofertas de embalagens nas centenas, talvez milhares de fbricas exclusivamente de embalagens, e tem preo para todo gosto e bolso.

O ltimo passo alinhar a operao e colocar o pedido. Essa semana eu conheci uma trading que se especializou nesse mercado e montou uma base naquele pas, o que de certa forma um diferencial competitivo.

Vamos priorizar o nosso mercado, mas se no tem o que queremos na quantidade, qualidade e preo... bora trazer da China!





Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos