Embale Certo

Embalagens: o que a crise nos ensinou

Maio/Junho 2020

Antonio Celso da Silva

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Antonio Celso da Silva

No d para falar de embalagem sem mencionar o momento que estamos vivendo.

Como todos sabem, na crise que a gente tem que se reinventar e se superar, mesmo com dificuldades de toda ordem.

A histria nos conta que os grandes eventos nasceram na difi culdade, as solues mgicas de problemas surgiram quando as pessoas perceberam oportunidades de mudar e no mais conviver com aquele problema. Muitas das grandes empresas de hoje deram a volta por cima quando buscavam oportunidades para sobreviver na crise e se tornaram referncia.

Mas o que isso tem a ver com as embalagens? Se a gente pensar dentro da caixa, realmente no tem nada a ver. E continuaremos a lamentar a crise.

Pensando fora da caixa, podemos perceber que, nesse nosso mercado cosmtico, temos os mais diversos canais de vendas, sendo que o canal varejo e tambm o canal franquia foram os mais afetados, por no poderem abrir suas portas e amargarem enormes prejuzos, chegando muitos deles a ter que fechar definitivamente. Por outro lado, o canal porta a porta ou venda direta e, principalmente, o e-commerce foram os que menos sentiram a crise.

Nessa crise, alguns hbitos vieram realmente para fi car. Um deles foi a compra via internet, descoberta por um grande nmero de pessoas que antes tinham receio de fazer compras nesse canal, por medo de golpes, mas muito mais por desconhecer as ferramentas e/ou pela falta de habilidade para us-las. Com isso e por isso, o e-commerce, alm de no sofrer tanto com a crise, apresentou enorme crescimento. bvio que, com o menor poder de compra em funo da perda de empregos e da reduo de salrios, esse crescimento poderia ter sido ainda maior, mas esse foi um problema que tambm afetou os demais setores.

Se a venda eletrnica cresceu e isso ser cada vez mais um hbito dos consumidores, hora de direcionar os holofotes para os produtos desse canal. Mais do que isso: hora de olhar para a necessidade de adequao e melhoria dessas embalagens para atender esse canal. E quais so as oportunidades? preciso pensar em embalagens mais resistentes ao transporte, principalmente nos bas das motocicletas. Os beros que protegem a perfumaria dentro dos cartuchos vo ser quase que obrigatrios para proteger os frascos de vidro.

Em resumo, no se pode mais pensar que, para melhor proteger as embalagens no transporte, vamos ter que continuar usando bolinhas de isopor, papel picado, plstico bolha ou qualquer outra coisa. A funo de proteger o produto passa a ser uma das mais importantes dentre as demais funes de uma embalagem.

Outra coisa que percebemos que, fi cando em casa e com mais tempo para passear pela internet, as pessoas perceberam que podem buscar nesse canal respostas que antes elas s conseguiam ligando para o SAC das empresas. Perceberam tambm que podem saber mais do produto sem t-lo na mo. Por outro lado, tornaram-se mais crticas e querem mais. Disparam na frente, ento, as empresas que colocarem nas suas embalagens a j conhecida realidade aumentada, que mostra mais do que a simples rotulagem do produto pode mostrar. Com isso, passa a ser quase que obrigatrio usar esse recurso nas embalagens, pois ele vai realmente fazer a diferena e ter a preferncia do consumidor.

Outro recurso que as embalagens precisaro ter - no para se diferenciarem, mas para estarem atualizadas - ser o QR code, j usado por muitas empresas. Virou moda apontar a cmera do celular para a TV e ser direcionado para o site da empresa ou para alguma pgina especfica que nos encante e facilite uma compra. Esse recurso, ento, vai precisar estar nas embalagens dos produtos com a mesma finalidade.

Outra coisa que aprendemos nessa crise foi realmente ter que criar, buscar novas solues para problemas que antes no nos incomodavam. Estou falando do ator principal desse drama, que foi o lcool gel. Bastou aumentar o consumo e sumiram as vlvulas e os frascos, sem citar o sumio total da matria-prima mais importante, que o polmero Carbopol. Nunca se buscou e se achou tanta alternativa para essa matria-prima. Da mesma forma, para produzir lcool gel era obrigatrio o uso de vlvula. Quantas empresas deixaram de atender seus pedidos por falta desse item? No entanto, vejam no mercado hoje quantas opes foram criadas, desde as tampas flip-top at as impensveis tampas cegas.

Para os criadores e designers de planto, vale aprender com essa crise que a embalagem tem a sua importncia, mas na hora da necessidade o consumidor quer mesmo usar o produto. Cabe ento aqui pensar fora da caixinha e buscar alternativas que possam unir o til ao agradvel, ou seja, a beleza, a praticidade e a simplicidade da embalagem com necessidade de uso do produto.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos