Gesto em P&D

Desenvolvimento de produtos para a pele

Janeiro/Fevereiro 2020

Wallace Magalhães

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Wallace Magalhães

Os produtos para o cuidado da pele no ocupam o topo da lista de consumo no mercado brasileiro, mas h razes para acreditar que esta categoria ir crescer nos prximos anos.

O aumento da expectativa de vida e a hostilidade crescente das condies ambientais j seriam motivos suficientes para fundamentar esta previso, mas existem outras razes. A evoluo social e cultural de hoje traz, em seu centro, a valorizao do indivduo e este, por sua vez e cada vez mais, deve olhar para si de forma mais cuidadosa. Neste contexto, a compreenso da importncia da proteo solar e a noo de que cosmticos podem melhorar o nvel de qualidade de vida das pessoas corroboram com esta perspectiva de crescimento.

Espera-se, no Brasil, que esta percepo estenda o interesse das pessoas para alm de perfumes, maquiagem e produtos para os cabelos, o que deve formar uma fatia de mercado bem atrativa. Este cenrio promissor, no entanto, traz consigo alguns desafios. Mesmo se desconsiderarmos as dificuldades atuais do consumidor brasileiro, ainda assim restaro muitos desafios para as indstrias de cosmticos que quiserem entrar ou mesmo expandir suas operaes com produtos para a pele.

Alm do contedo tecnolgico, que deve se expressar na satisfao do consumidor, o cenrio atual exige que toda a cadeia produtiva seja muito eficiente, comeando pelo desenvolvimento e indo at a entrega do produto ao consumidor. Este continuar a ser cada vez mais criterioso e exigente em suas escolhas. No dever haver espao para produtos que no tenham desempenho compatvel com seu preo e sua publicidade.

No mbito do P&D, h de se ter preocupao em desenvolver formulaes eficazes, seguras, estveis, de preo competitivo, que sejam rentveis para a empresa e satisfatrias para o consumidor - como em todos os projetos, claro. S que o desenvolvimento de produtos para pele exige conhecimento especfico de histologia e fisiologia. Diferentemente dos cabelos, a pele tem o que poderamos chamar de funcionamento fisiolgico ativo, com muitos eventos acontecendo ao mesmo tempo, sob influncia direta de diversos elementos, como estilo de vida, ambiente, hormnios, bagagem gentica, hbitos alimentares etc.

Os produtos de limpeza da pele, por exemplo, no devem retirar todo o manto hidrolipdico, como tambm devem preservar ao mximo os componentes que formam o sistema tampo, os fatores de hidratao e todo o complexo sistema bioqumico que sustenta o funcionamento da derme, minimizando ainda a agresso sua microbiota, mesmo quando se pressupe reposies em uma etapa posterior. Para produtos de contato prolongado, a preocupao com a complexa fisiologia drmica deve estar presente e ser fortemente considerada ao selecionar os ingredientes de uma formulao, sempre em consonncia com o conhecimento cientfico. Uma boa dica solicitar aos fornecedores informaes tcnicas sobre ingredientes e os respectivos estudos de eficcia. Ao montar uma formulao, deve haver critrio e preciso no s com a composio centesimal, mas tambm com o modo de preparao e as especificaes.

Para citar um exemplo, muitos ativos tm comportamento muito diferentes em pH diferentes. Lembre-se de considerar a concentrao cosmetodinmica que ocorre aps a aplicao da grande maioria dos produtos. Ela eleva a concentrao de ativos, o que interessante, mas eleva tambm a concentrao de conservantes, e isto pode ser um problema. Alm de avaliar o sensorial, ser necessrio avaliar a eficcia da formulao, o que pode ser outro desafio j que, diferentemente de outras classes de produtos, no h modelos alternativos de fcil acesso, e o modelo in vivo trabalhoso e caro, por causa das exigncias da Resoluo CNS No. 466/12 do Conselho Nacional de Sade. Deve-se dar ateno ao texto de rotulagem e de publicidade para que sejam adequados e que no superestimem o desempenho real do produto.

Mas talvez o grande desafio da indstria, principalmente de pequeno e mdio porte, seja disponibilizar tempo e recursos para seus tcnicos realizarem as pesquisas necessrias para ter formulaes competentes e protocolos adequados. Na maioria das empresas brasileiras, o acmulo de tarefas, a mentalidade anacrnica e o modelo operacional ultrapassado adotado no P&D ainda so o primeiro desafio a ser vencido. E no s para desenvolver produtos para a pele, mas para continuar a ter condies de desenvolver produtos capazes de competir no mercado com chances reais de sucesso.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Obrigado, Pacheco. Foi um trabalho feito com pouco tempo por causa da urgncia. A ideia era mesmo ajudar o pessoal do P&D apresentando algumas alternativas.

por Wallace Cesar Porto Magalhes 27/03/2020 - 11:17

Parabns Wallace pelo artigo tcnico sobre lcool Gel, alternativos ao carbmero como gelificante. Muito bom.

por Pacheco, Carlos Alberto 27/03/2020 - 08:52

Novos Produtos