Tricologia

Tricologia genderless

Novembro/Dezembro 2019

Valcinir Bedin

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Valcinir Bedin

termo genderless, em ingls, que significa literalmente sem gnero, usado para designar situaes e at produtos nos quais a diferenciao de gnero no se aplica. Quando falamos de cosmticos ou medicamentos, devemos levar em considerao as diferenas anatmicas e fisiolgicas que existem entre aqueles designados ao nascimento como sendo masculinos e femininos.

A pele o maior rgo do corpo humano e o nico que tem uma caracterstica peculiar: a comunicao com o mundo exterior e com outros seres humanos. Isso faz com que precisemos entender bem como ela funciona para, no mnimo, no causarmos danos ao tentarmos manipul-la.

Para nos atermos aos cabelos, devemos lembrar que a velocidade de crescimento e o comprimento final dos fios tm uma correlao com o gnero. Estudos feitos com gmeos mostram que os cabelos das meninas crescem mais e mais rapidamente do que os dos meninos.

claro que existem diferenas raciais importantes quando falamos de pele, sendo a mais visvel a cor, que dada por uma composio de melanina (pigmento proteico produzido pelo melancito e que responsvel pela tonalidade acastanhada), vasos sanguneos (responsveis pelas tonalidades azuis e vermelhas) e queratincitos (clulas da epiderme responsveis pelos tons amarelados). A somatria desses tons que vai dar a cor final da pele.

Os hormnios tambm podem infl uenciar a cor da pele. Devemos lembrar que o corpo humano contm estruturas chamadas glndulas, que produzem uma secreo que jogada na corrente sangunea denominada hormnio. H algumas diferenas entre os gneros no que diz respeito s glndulas, e ns vamos nos ater quelas que interferem na pele e nos cabelos.

A tireoide, glndula localizada na altura do pescoo, produz hormnios que podem alterar a textura dos cabelos, deixando-os mais secos e quebradios. Mas isso no muda de acordo com o gnero.

O grupo de hormnios que mais interfere na pele e nos cabelos o dos andrgenos, chamados de hormnios masculinos, mas presentes em ambos os gneros. Eles so produzidos essencialmente nos testculos e na suprarrenal nos homens e nos ovrios e na suprarrenal nas mulheres.

Simplificadamente, podemos dizer que, nos homens, os andrgenos so responsveis pelos caracteres masculinos (voz, barba etc.) e, nas mulheres, eles servem para manter a fora muscular e estimular a libido.

Apesar de ter uma distribuio diferente em cada gnero, a quantidade de folculos pilossebceos que cada ser humano tem praticamente igual a 5 milhes. Eles esto espalhados pelo corpo todo, sendo aproximadamente 1,5 milho no segmento ceflico e o restante distribudo de maneira especfi ca. A entram as diferenas relacionadas quantidade de hormnios.

Pelos corporais so o exemplo maior de alta relao hormonal. Salvo em algumas raas, na maioria dos seres humanos, homens tm mais pelos corporais que mulheres. Na barba, tambm vemos esta relao. Na regio pubiana, o desenho diferente da distribuio mostra uma baixa, mas existente, relao hormonal. Nas axilas, apesar de parecer haver diferenas, elas no existem.

E nos cabelos?

Antes de falarmos dos fios propriamente ditos, vamos lembrar a anatomia do folculo. Ele tem na base o bulbo capilar, onde encontramos estruturas nervosas e tambm os receptores de hormnios, importantes no crescimento dos fios. Seguimos com a haste, o msculo eretor do pelo, a rea do bulge (repositrio de clulas-tronco do cabelo) e a glndula sebcea, responsvel pela produo do sebo, que, junto com o suor, produz o manto hidrolipdico, cosmtico natural e protetor da pele e dos fios.

Esta glndula totalmente sensvel ao nvel de andrgeno circulante. Sua produo que vai determinar se uma pele pode ser classificada como oleosa ou no. A evidncia maior que temos dessa produo a adrenarca, perodo da puberdade no qual comeam a ser produzidos os hormnios sexuais que levam ao aparecimento da acne, que uma afeco da glndula sebcea.

Evidentemente, nos homens essa produo normalmente maior do que nas mulheres, fazendo com que a maioria deles tenha cabelos e couro cabeludo mais oleosos do que elas. Isso nos leva a pensar que deveramos formular produtos especficos para um e para outro.

claro que podemos ter linhas genderless. Produtos para estilo, cremes finalizadores, produtos tipo leave on ou leave in podem ser usados por qualquer consumidor, mas penso que, tecnicamente falando e tambm do ponto de vista mercadolgico, o mais adequado haver a separao.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos