Gesto em P&D

O fornecedor pode ser um aliado importante

Julho/Agosto 2012

Wallace Magalhães

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Wallace Magalhães

A escolha do fornecedor um passo decisivo no desenvolvimento de um produto. Isso ocorre devido a vrios motivos, como a forma que voc vai interagir com ele.

Sem pensar muito, muitos vo dizer que o melhor fornecedor aquele que tem o melhor preo. Mas nem sempre assim. Alm do preo, existem muitos outros fatores que devem ser criteriosamente considerados. O preo baixo de um fornecedor pode ser resultado de processos ruins ou inadequados, ou de baixa concentrao de ativos, o que pode sacrificar os aspectos de qualidade dos materiais que ele fornece. O resultado provavelmente ser: voc pagar pouco, mas receber um material ruim, e isso no ser bom para o seu produto nem para sua empresa. Se houver uma falha na qualidade de um produto por causa do fornecedor, o consumidor entender que a falha da sua empresa. E, num mercado competitivo, isso no um bom negcio porque, alm de perder um consumidor, voc poder perder outros por causa da propaganda negativa que aquele poder fazer sobre sua empresa para as pessoas de seu crculo de convivncia. o clssico caso: o barato sai caro.

No aspecto comercial, alm do preo, devem ser considerados: a tributao, os prazos de pagamento e de entrega, o histrico de regularidade, entre outros fatores.

Ao iniciar um novo projeto, voc pode discutir com seus fornecedores, principalmente com aqueles que podem agregar valor ao projeto por meio de informaes tcnicas e de mercado. Todo projeto sigiloso e, por isso, voc deve discuti-lo com os fornecedores de sua confiana. E, ainda assim, adequado discutir com ele somente sobre aquilo com o que ele possa efetivamente colaborar, devido a duas razes: para proteger o projeto e para preservar o fornecedor. Vamos supor que algumas informaes vazem e a fonte do vazamento no seja identificada. Se isso ocorrer, voc poder desconfiar do fornecedor, que pode no ter sido o responsvel. Assim todo mundo perder.

Existem casos de projetos tocados totalmente em conjunto com fornecedores, o que muito saudvel e pode ser uma forma muito eficiente de desenvolvimento. Nesses casos, normalmente existe um contrato com clusula de sigilo, mas mesmo assim recomendvel aplicar a regra de falar somente o necessrio. Se ficar resolvido que todo o projeto ser discutido com ele, tudo bem, mas no se esquea de se lembrar dessa regra, s para praticar um bom hbito.

Outra maneira de o fornecedor ser muito til na entrega de uma amostra. No caso de amostras de matrias-primas, seus recipientes devem estar bem identificados e ter prazo de validade adequado e ser fornecidas em quantidade suficiente para os ensaios.

Lembre-se de informar isso ao fornecedor. Muitos atrasos podem ser evitados se essa providncia for tomada. E o mais importante: as amostras ainda devem estar acompanhadas de ficha tcnica completa. Essa ficha deve conter:

- A descrio da nomenclatura INCI Name e as respectivas referncias: voc precisar dessas informaes para elaborar o texto de rotulagem, notificao ou registro, e dossi.

- Especificao completa: alm do controle de qualidade, a especificao ser usada para elaborar o dossi.

- Teor de ativo e diluente, quando for o caso: a falta dessas anotaes vai repercutir em erros graves na notificao ou no registro, pois o peticionamento deve ser feito com a frmula centesimal, expressa em teor de ativo.

- Composio quantitativa, no caso de blends com substncias de listas restritivas: esse o caso de mix de conservantes, por exemplo. Ser necessrio abrir a formulao com a citao da quantidade centesimal de cada componente, na frmula de notificao ou registro.

- Exemplos de aplicao e modo de usar: essas informaes ajudaro voc a definir o percentual e o modo de preparao da frmula, que deve aparecer na ordem de fabricao e no dossi do produto.

- Dados sobre eficcia: as corretas interpretao e aplicao dessas informaes vo aumentar a chance de o produto ser um sucesso.

- Dados de segurana com informaes toxicolgicas: esses dados sero necessrios no estudo de segurana do produto. Lembre-se de que esse estudo obrigatrio para todos os produtos, sejam de grau I ou de grau II.

- Carta de alergnicos de essncias e aromas: dependendo do percentual na frmula final e da forma de uso do produto com ou sem enxgue os alergnicos que aparecem na composio da essncia devem ser citados na frmula qualitativa que aparece no texto de rotulagem.

Por isso, posso afirmar, sem medo de errar, que a escolha do fornecedor decisiva no sucesso do projeto.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos