Tricologia

Fotoestabilidade

Novembro/Dezembro 2011

Valcinir Bedin

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Valcinir Bedin

As indstrias qumicas devem realizar testes de fotoestabilidade para a comprovao dos estudos de estabilidade de seus produtos. A no apresentao de estudo de fotoestabilidade deve vir acompanhada de justificativa tcnica, com evidncia cientfica de que o(s) ativos(s) no sofre(m) degradao em presena de luz ou de que a embalagem primria no permite a passagem de luz.

Os testes de fotoestabilidade tm como objetivo expor o produto fonte de luz apropriada e demonstrar que uma exposio luz no resulta em alteraes significativas no produto, no que concerne s suas atribuies de eficcia e de no produzir efeitos colaterais indesejveis.

muito importante que se use equipamentos que controlem a temperatura, pois esta pode levar a resultados aleatrios e, muitas vezes, o resultado final a mistura de produtos de degradao gerados pela temperatura e pela luz. O isolamento ptico da cmara tambm muito importante para evitar perda de luz, alm de ser uma exigncia da recomendao tcnica da Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa).

Quando falamos de cabelos e fotoestabilidade, precisamos lembrar sempre que a fibra capilar tem sido usada como parmetro de comparao (do tipo antes e depois) de muitos produtos com caractersticas de proteo solar, isso porque as radiaes ultravioleta interferem muito na sua constituio.

O envelhecimento do cabelo inclui vrias mudanas qumicas e fsicas nas propriedades de fibras, que conduzem a um aumento da sua porosidade, perda de resistncia mecnica e a uma maior rugosidade de sua superfcie.

Essas mudanas decorrem da oxidao lipdica, da clivagem da ligao dissulfeto, da degradao do triptofano e da formao de cido cisteico. Cabelos expostos ao Sol ficam mais frgeis, mais duros e mais secos do que eram antes da irradiao e apresentam capacidade de absoro de gua reduzida. Por isso, esse tipo de teste muito usado para a avaliao de eficcia de produtos que contenham filtro solar. Faz-se a medio especialmente do triptofano e do cido cisteico (que formado pela degradao da cistena) antes e depois da exposio radiao.

Os pigmentos (melanina) do cabelo tm como funo fornecer proteo fotoqumica s protenas, especialmente s do crtex. A melanina realiza essa proteo, absorvendo e filtrando a radiao que a atinge e posteriormente dissipando essa energia como calor. No entanto, durante o processo para proteger as protenas do cabelo da luz, os pigmentos so degradados ou branqueados. O cabelo escuro mais resistente fotodegradao que o cabelo claro, devido maior fotoestabilidade de eumelanina (marrom ou preta) em comparao com a feomelanina (vermelha e amarela).

Os lipdios das fibras do cabelo tambm so degradados pela luz ultravioleta, bem como pela luz visvel, ajudando a explicar o enfraquecimento do complexo membrana celular quando este exposto radiao da luz.

Quando falamos de proteo aos fios, alm dos produtos fotoprotetores podemos tambm citar os antioxidantes. Para avaliar as mudanas de cabelo humano, utilizamos testes como a calorimetria exploratria de alta resistncia trao e presso dinmica (HPDSC, na sigla em ingls). Para obter uma medida da concentrao da atividade das espcies reativas, que causam danos ao cabelo ou sua cor, as medies podem ser realizadas por quimioluminescncia. Outros testes podem ser realizados para obter dados sobre os efeitos das alteraes do clima sobre os cabelos. A alta umidade relativa (85%) e o baixo fluxo radiante (600 W/m2) causaram as maiores mudanas na cor do cabelo natural, mas provocaram as menores variaes na resistncia trao e em medies HPDSC.

Em provas que foram realizadas, os antioxidantes testados reduziram o nvel de quimiluminescncia quando usados em formulaes pr-sol ou ps-sol. De acordo com as medies HPDSC, os antioxidantes mostraram ligeiro aumento da temperatura de pico (uma dica para obter um efeito de proteo quando os antioxidantes sao usados em produtos pr ou pssol).

Em contrapartida, alguns dos antioxidantes reduziram a resistncia trao quando foram adicionados a formulaes de produtos capilares para cuidados durante a exposio ao Sol.

Ligeira reduo no clareamento da cor natural do cabelo pde ser observada quando antioxidantes estavam presentes nas formulaes. O efeito de antioxidantes em formulaes de produtos para cuidados com o Sol usados em cabelos tingidos foi fortemente dependente do tom de cabelo. A adio de alguns antioxidantes causaram melhoras significativas das propriedades de proteo do produto utilizado, quando avaliados por meio de alguns mtodos de medio.

Ainda existe espao para a criao de novos testes, mais fceis de serem realizados e mais baratos, mas esse um desafio proposto aos nossos companheiros de trabalho.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos