Tricologia

Microesferas

Janeiro/Fevereiro 2011

Valcinir Bedin

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Valcinir Bedin

Como o nome indica, microesferas so pequenas partculas esfricas, com dimetros micromtricos (tamanhos de partculas que variam de 12 a 300 mcrons em dimetro, com espessura de parede que pode variar de diversas mcrons at nmeros to baixos quanto 0,1 mcron).

As microesferas so, algumas vezes, chamadas de micropartculas e podem ser fabricadas a partir de vrios materiais naturais e sintticos. Microesferas de vidro, microesferas de polmeros e microesferas de cermica esto disponveis comercialmente.

Elas podem ser slidas ou ocas e variar em densidade, o que possibilita que sejam utilizadas em diferentes aplicaes. As ocas so normalmente usadas como aditivos para reduzir a densidade de um material. J as slidas tm inmeras aplicaes, dependendo do material com que elas tenham sido construdas e do tamanho que elas possuam.

Microesferas de polietileno e poliestireno so os dois tipos mais comuns de microesferas de polmeros. As microesferas de poliestireno so geralmente utilizadas em aplicaes biomdicas, devido sua capacidade de facilitar procedimentos, como separao de clulas e precipitao imunolgica. Elas permitem que as protenas se liguem em adsoro ao poliestireno, prontamente e de forma permanente. Por causa dessa caracterstica, elas so adequadas para a investigao mdica e a realizao de experimentos de laboratrio biolgico.

Microesferas de polietileno so comumente usadas como um preenchimento permanente ou temporrio. A baixa temperatura de fuso permite que as microesferas de polietileno criem estruturas porosas em cermica e outros materiais. A alta esfericidade das microesferas de polietileno, bem como a disponibilidade de microesferas coloridas e fluorescentes, torna-as altamente desejveis para a visualizao de fluxo, sendo usadas para anlise, tcnicas de microscopia e em cincias da sade.

Microesferas de cermica so utilizados principalmente como meio de moagem. Elas variam muito em qualidade, esfericidade, uniformidade de tamanho de partculas e distribuio granulomtrica. Deve ser escolhida a microesfera adequada para cada aplicativo exclusivo.

Microesferas de vidro so usadas principalmente como material de enchimento e volumizador para reduo de peso, para a segurana rodoviria, como aditivo para cosmticos e adesivos, com aplicaes limitadas em tecnologia mdica.

Essas bolhas de vidro comearam a ser desenvolvidas na dcada de 60 do sculo passado, em consequncia da manipulao de vidros slidos. O benefcio desse tipo de microesfera sua alta resistncia temperatura e s alteraes qumicas, devido sua rigidez. Esse tipo de produto est disponvel em uma ampla gama de densidades, que vo de 0,125 g/ml a 0,60 g/ml. Outra caracterstica a fora de colapso da bolha de vidro, que est diretamente relacionada densidade, ou seja, quanto maior for a densidade, maior ser a fora. Por exemplo: com uma densidade de 0,125 g/ml ela de 250 libras por polegada quadrada (psi), enquanto que com uma densidade de 0,60 g/ml ela avaliada em 18.000 libras por psi.

Para minimizar o custo e o peso do produto final, a bolha de vidro apropriada aquela que apenas forte o suficiente para sobreviver a todas as etapas dos processos de fabricao e de utilizao final do produto.

Limitaes: as microesferas tm limitaes que devem ser consideradas. Apesar de apresentarem grandes vantagens, como seu tamanho, comparando-as a alguns outros slidos, sua adio pode resultar na alterao de textura da superfcie ou na reduo do brilho, em especial quando o produto final for um filme fino. Para que possam ser utilizadas em sua plenitude, o manejo adequado dos equipamentos requer treinamento para que no haja o risco de as microesferas flutuarem, o que uma tendncia quando se trabalha com sistemas de baixa viscosidade. Para superar esses problemas, deve-se escolher o produto adequado e, eventualmente, usar modificadores de viscosidade.

Cabelos: em produtos capilares pode ser utilizada essa tecnologia, especialmente quando se trata de finalizadores, de leave-ons ou de processos de tratamentos; quando queremos um sistema de delivery mais lento; ou ainda quando queremos que o ativo permanea por mais tempo em contato com os cabelos.

Em suma, o formulador criativo deve utilizar todas as ferramentas disponveis para o desenvolvimento de novos produtos ou a melhoria das linhas existentes. As microesferas podem ser mais uma ferramenta para ajudar a todos os fabricantes que enfrentam ou enfrentaro essas questes em algum momento.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos