Temas Dermatolgicos

A Cosmecêutica e a dermatologia

Janeiro/Fevereiro 2020

Denise Steiner

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Denise Steiner

A pele o maior rgo do corpo humano, contendo inmeros tipos de clulas, centenas de elementos qumicos e vrias estruturas diferenciadas que, em conjunto, so responsveis por funes de proteo e homeostase do organismo. A pele tambm reconhecida como ativo rgo do sistema imunolgico interagindo com os sistemas endcrino e neural. Alm disso, ela reflete a aparncia do indivduo e indiscutivelmente influencia sua autoestima e, consequentemente, seu comportamento biofsico social.

Para atingir e interagir com a pele, existem milhares de produtos de uso local com a mais variada gama de aes, caractersticas e repercusses. O uso de produtos tpicos segue todo um caminho particular de penetrao e, s vezes, absoro, inerentes e interao deste tecido com os produtos qumicos.

O interesse em produtos cosmticos que possam embelezar a pele quase to antigo como o homem, medida que a preocupao com a imagem esteve sempre entre as prioridades do ser humano.

Alguns produtos cosmticos so relacionados s funes decorativas e protetoras como: esmaltes, perfumes, batons, limpadores, filtros solares e outros. No entanto, mesmo assim observamos que, em algum momento de sua ao, h mudanas fisiolgicas na pele. No caso de um sabonete, a limpeza da pele promove o desengorduramento, que persiste por alguns instantes durante os quais h modificao fisiolgica com a diminuio do manto hidrolipdico.

Existem outros tipos de cosmticos, como por exemplo aqueles utilizados para funes de hidratao, clareamento, antienvelhecimento, antiperspirante e outros. Neste caso, pode ocorrer maior modificao do estado fisiolgico conforme o princpio ativo utilizado. Para estes produtos, vem sendo proposto o termo de cosmecutico, que caracteriza ao cosmtica e tambm teraputica. Outros nomes como cosmticos ativos ou cosmticos medicamentos tambm foram sugeridos para denominar os produtos em questo.

O modo de penetrao de um cosmtico no diferente de um medicamento. necessria pesquisa mdica e farmacolgica para esta anlise, utilizando recursos como marcadores, microscopia eletrnica, modelos in vitro e in vivo. Isto tudo para acompanhar o trajeto do produto com suas aes qumicas e seus desdobramentos, desde a entrada na camada crnea at a profundidade que possa atingir.

O cosmecutico deveria ser acompanhado de bula com especificao exata do seu contedo, modo de utilizao e possveis interaes com outros medicamentos. A utilizao, por exemplo, do cido gliclico duas vezes ao dia em peles mais secas e sensveis pode promover avermelhamento e certo grau de inflamao. Com a modificao e o afinamento da camada crnea provocada pela maioria dos alfa-hidroxicidos, necessrio maior proteo em relao ao sol, assim como maior cuidado com o uso de outros produtos, principalmente, medicamentos. A pele, alterada por cidos, absorve outras substncias com maior facilidade.

necessrio lembrar que peles com qualquer dermatose reagem ao cosmecutico de forma diferente das peles normais. Isto porque as peles inflamadas, pruriginosas e com descamao aceleram a entrada de qualquer produto, podendo haver absoro com efeitos colaterais para o organismo.

O produto cosmecutico ter muitas indicaes, a comear pela associao de filtros solares com vitaminas antioxidantes e princpios hidratantes, que potencializa a proteo em relao radiao ultravioleta, tornando-o um produto com vrias utilidades.

Por outro lado, preciso tomar cuidado ao usar esses produtos, pois eles podem tornar-se perigosos quando mal indicados. Por serem tambm agentes teraputicos, eles seguem os princpios de penetrao dos agentes medicamentosos, e a anatomia e fisiologia da pele precisam ser bem conhecidas e compreendidas. No se pode tolerar conceitos fantasiosos sobre respirao da pele, poros abertos, razes capilares encharcadas etc. O uso dos cosmecuticos ter que ser acompanhado da competncia e responsabilidade que exigem produtos com ao especfica para a pele.

Finalizando, a realidade que estamos vendo o surgimento, a cada dia, de novos produtos que podem ser caracterizados como cosmticos ativos. Cabe a todos os envolvidos - pesquisadores, indstria, revendedores, especialistas mdicos e no mdicos e consumidores - conscientizarem-se que cada desafi o acompanhado de novas demandas de conhecimento e responsabilidades.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos