Boas Prticas

Conhecer o objetivo

Maio/Junho 2019

Carlos Alberto Trevisan

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Carlos Alberto Trevisan

do neuropsiquiatra austraco Viktor Frankl o pensamento que o sucesso, como a felicidade, no pode ser buscado: deve ser um resultado, e isso s ocorre como o efeito colateral da dedicao de algum a uma causa maior que si mesmo.

Aps a breve incurso sobre o futuro das empresas que realizei na ltima coluna, abordando o tpico Internet das Coisas, retorno agora ao tema da Qualidade com foco nas pessoas.

O pensamento de Frankl serve para corroborar a tese da importncia participao das pessoas no processo da Qualidade.

Talvez, para esse pensamento uma caracterstica de realidade, gostaria relembrar o dilogo dos pedreiros que erguiam um muro quando um passante perguntou para um deles o que ele estavam fazendo, e um deles respondeu: estou construindo um muro. O passante agradeceu a informao e dirigiu a mesma pergunta ao outro pedreiro, este respondeu: estou construindo uma catedral.

Como no pensamento de Frankl, o exemplo dos pedreiros, enfatiza a importncia do objetivo para as pessoas.

Muitas vezes as empresas reclamam da falta de empenho dos colaboradores nos processos que esto em implantao. Entretanto, os dirigentes no percebem ou, ainda pior, no sabem que os colaboradores no conhecem os objetivos de cada processo e qual a importncia de sua participao no atingimento desses objetivos.

necessria comunicao adequada e efetiva para divulgar os objetivos dos processos implantados. Como j tive oportunidade de afirmar, comunicar diferente de informar. Comunicar informar com qualidade, a informao deve ser transmitida pelo emissor e compreendida efetivamente pelo receptor (feed back).

Em condies normais e adequadas, para o colaborador, a sua remunerao no para implantar processo, mas sim para ajudar a empresa a implant-lo. Cito o renomado criador do sistema de gesto da Qualidade, W. Edwards Dening, pessoas com metas e trabalhos que dependem de atingi-los provavelmente o faro, mesmo que tenham de destruir a empresa para tanto.

Considere as observaes de Abraham Maslow, famoso psiclogo, descrevendo as necessidades humanas de modo hierrquico iniciando pela sobrevivncia e segurana e seguindo nosso desejo de que as nossas vidas so importantes, fazemos a diferena, contribumos para o objetivo do processo e deixaremos um legado.

A busca da felicidade e do atingimento dos objetivos so duas das motivaes que servem de alvo para a vivncia das pessoas.

Outro pensamento, agora do psiclogo hngaro, Mihaly Csikszentmihalyi que criou o conceito psicolgico de fluxo, um estado mental altamente focado: se a administrao no v os trabalhadores como indivduos nicos e valiosos, mas como ferramentas a serem descartadas quando no forem mais necessrias, ento os funcionrios olharo para a empresa como nada alm de uma mquina de emisso de salrios, sem outro valor ou sentido.

Reflita sobre isso.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos