Manipulao Cosmtica

Efeito manada

Maro/Abril 2019

Luis Antonio Paludetti

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Luis Antonio Paludetti

H uns bons 15 anos, numa das muitas feiras do setor magistral, um colega de USP e na poca bem-sucedido empresrio no ramo de matrias-primas abordou-me num dos corredores e comeamos a conversar.

Entre a lembrana de uma festa e outra, conversando sobre o segmento, ele disparou a seguinte frase: a dermatologia a especialidade mdica do futuro, e estamos direcionando nossa empresa para se posicionar como lder nesse segmento no mercado magistral.

O tempo passou e, ao que parece, as previses do colega no se concretizaram.

Mas o que teria ocorrido? Ser que um empresrio que j atuava h mais de 20 anos no segmento teria errado assim to feio? Ser que o conceito de futuro dele era diferente do meu? Ser que estou vivendo em um universo paralelo?

Na verdade, no nada disso.

Aps vivenciar o mercado magistral por quase 30 anos, a gente comea a perceber algumas coisas, e uma delas que o mercado vai adotando certos comportamentos conforme a poca e a conjuntura. Bem no incio, as farmcias eram mais eclticas e atendiam s poucas prescries das vrias especialidades mdicas. Depois, j na dcada de 1970, passaram a introduzir novas formas farmacuticas: creme lanette, shampoo texapon e outras relquias eram as coqueluches da vez. Nos anos 80, a manipulao de cpsulas comeou a despontar. Nos anos 90, o preparo de controlados e similares de produtos industrializados ocupou o palco principal.

Com o advento dos genricos, no finalzinho dos anos 90 e incio dos anos 2000, as farmcias se movimentaram para a dermatologia, e depois para a odontologia e, em seguida, para a veterinria.

Esse movimento de atender a demandas do mercado mais que salutar, mas o que mais me preocupa que ele no um movimento aditivo.

Salvo excees, em vez de agregar as novas tendncias ao seu portiflio de servios, as farmcias se movimentam todas ao mesmo tempo para aquela nova tendncia, em um comportamento que eu chamo de comportamento de manada nmade extrativista.

No reino animal, as manadas vo migrando de pasto em pasto conforme a necessidade e, ento, comem todo o pasto e, como no h mais pasto para comer, movem-se para outras paragens onde o pasto ainda existe.

Quando analisamos o comportamento das farmcias ao longo do tempo, percebemos algo muito semelhante, o que denota uma falta de viso de futuro dos empresrios do setor.

Atualmente, o pasto preferido est sendo a prescrio de nutrio, nutrologia e medicina esportiva. Todos os dias, milhares de farmcias no Brasil fazem aos montes suplementos prescritos por nutricionistas e nutrlogos, seja para complementar, para concorrer ou para baratear aquilo que j existe e oferecido por lojas de suplementos em todo o pas (j viu este filme com os genricos?).

No sou contra que se adicionem especialidades ao servio, desde que elas agreguem ao portiflio que j existe. Mas no isso que ocorre.

Num tpico comportamento de manada, quase todas as farmcias voltaram-se prescrio nutricional (junto com distribuidores de matrias-primas e outras empresas do setor) e praticamente deixaram de lado as outras especialidades.

, mas o que est dando dinheiro agora..., argumenta um. Precisamos atender a estas prescries antes que a moda passe..., retruca outro.

Minha preocupao que este movimento descoordenado deixe a descoberto todas as outras especialidades, o que pode ser muito difcil de se recuperar depois.

A farmcia magistral tem tido uma histria sublime e vitoriosa em nosso pas, mais do que qualquer outro pas do mundo. Mas, se no tomarmos cuidado e acabarmos com mais esta pastagem sem pensar em recuperar pastagens antigas, pode ser que, no futuro, no haja pastos para comer.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos