Temas Dermatolgicos

Suor excessivo

Janeiro/Fevereiro 2016

Denise Steiner

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Denise Steiner

A pele responsvel pela manuteno da temperatura do corpo e realiza essa funo por meio da sudorese. Suar normal. A transpirao necessria para regular a nossa temperatura. Quando o clima est muito quente, a produo de suor aumenta, e quando esfria, essa produo diminui. Esse mecanismo uma forma de manter o equilbrio do nosso corpo.

O suor no tem odor, porm favorece o desenvolvimento de bactrias e fungos na superfcie da pele, o que causa um cheiro desagradvel. Temos dois tipos de glndulas de suor: as crinas e as apcrinas. As glndulas crinas esto presentes desde o nascimento e esto distribudas por toda a superfcie cutnea, enquanto as apcrinas comeam a funcionar a partir da puberdade e esto localizadas nas axilas, na regio da virilha e no couro cabeludo.

A hiperidrose, que se caracteriza pelo excesso de suor, assim como a bromidrose, marcada por um suor de odor forte, geram muito constrangimento, e a maioria das pessoas evita falar sobre o assunto. Muitas vezes no sabem a quem recorrer, nem se existem tratamentos para esse incmodo.

A hiperidrose axilar mais comum em adultos jovens, geralmente homens. No existe comprovao cientfica, mas at 60% das pessoas que sofrem com o excesso de suor tm outros membros na famlia com o mesmo problema. Ele costuma estender-se por toda a vida adulta e tende a regredir espontaneamente na velhice. Em outras pocas da vida, como na menopausa, comum que o excesso de calor venha acompanhado de ondas de suor.

A hiperidrose piora em situaes de nervosismo, ansiedade e estresse. comum ouvir pacientes falarem que, mesmo no inverno, transpiram muito. Muitas vezes a pessoa fica nervosa e com medo de suar em condies de tenso; e, ento, s de pensar no assunto, fica estressada e acaba suando mais, o que provoca insegurana, timidez e constrangimento social. Algumas doenas, como diabetes, gota, tuberculose, linfomas, obesidade e distrbios da tireoide, tambm provocam o aumento de suor.

To constrangedoras quanto a hiperidrose so a hiperidrose palmar (das mos) e a hiperidrose plantar (da planta dos ps). A hiperidrose palmar surge na infncia e pode se manter pela vida toda. As mos ficam midas e frias e podem at pingar, o que dificulta a realizao de tarefas do dia a dia e a convivncia social. Nos ps, atrapalha o uso de sandlias e induz bromidrose plantar (o chul). A doena ocorre por uma disfuno dos nervos do sistema nervoso simptico, que ficam no trax ou no abdome e emitem uma mensagem exagerada para as glndulas do suor. Existem situaes que desencadeiam a doena, como ansiedade e estresse.

H vrias formas de tratamento, mas importante procurar o mdico dermatologista para que ele faa o correto diagnstico a partir da anlise individual, o que possibilita a indicao do tratamento mais adequado.

Nas axilas, nas mos e nos ps, podemos usar a toxina botulnica, que inibe a acetilcolina - substncia necessria para acionar a glndula sudorpara. A aplicao feita com injeo local, e o resultado dura de sete a nove meses em mdia. Nos ps e nas mos, feito o bloqueio anestsico para evitar a dor. O procedimento realizado em consultrio pelo mdico dermatologista.

Tambm existem dois tipos de cirurgias especficas para a regio das axilas. Uma delas utiliza uma cureta para raspar as glndulas de suor. A outra usa um aparelho de laser com cnula e destri as glndulas, retirando tambm a gordura.

Outro tratamento a radiofrequncia, que preconiza o uso de um aparelho que libera energia calrica, destruindo as glndulas sudorparas. So feitas de quatro a seis sesses, uma vez por semana.

Cuide-se!



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos