Cincia dos Compostos Perolizantes e Opacificantes

Edicao Atual - Cincia dos Compostos Perolizantes e Opacificantes

Editorial

Os  últimos acontecimentos mundiais, com atentados e guerra não devem ser analisados isoladamente, de maneira pontual. 

O mundo pode estar sofrendo hoje as conseqüências impostas pela globalização. 

Se o aumento da escala dos negócios, fundamento da globalização, tinha como objetivo a maximizar o resultado final, era de se esperar que a divisão desse bolo maior pudesse beneficiar por igual toda a sociedade. Mas não, o que se vê, cada vez mais, é a excessiva concentração de riquezas de um lado e a tendência à extrema pobreza do outro.

 O estado de exclusão social no qual considerável parcela da população mundial vive nos dias de hoje, é uma das amostras dessa concentração de riquezas. 

Para que o futuro seja mais promissor há que se alcançar o pleno desenvolvimento econômico, que possa gerar reais oportunidades de trabalho, proporcionar acesso ao ensino fundamental e aos cuidados da saúde. E essa é uma responsabilidade que ainda cabe a nossa geração. 

Nesta Cosmetics &Toiletries (Edição em Português) estamos apresentando resumo dos trabalhos apresentados no XV COLAMIQC realizado na Argentina. Nesta edição você ainda encontrara um artigo que descreve a ciência dos tensoativos perolizados, outro sobre técnica sugerida para avaliação microbiológica, e um inusitado artigo sobre estética animal. 

Boa Leitura
Hamilton dos Santos
Editor

Concentrados Perolizantes e Opacificantes: Novos Conceitos e Tecnologia - Douglas Terci, Adriano S Pinheiro, Deise A A Gonçalves, Márcia Pereira, Juliana Alencastre, Paula S D Oliveira - Centro Desenv. Cognis Brasil Valéria Monteiro, Elson Longo Depto de Química -Univ. Fed São Carlos, SP, Bra

Sabe-se que a busca por produtos cosméticos perolizados estáveis é um desafio para os cientistas da área cosmética. Este artigo descreve a ciência dos compostos perolizantes e
opacificantes; seus efeitos, estabilidade, compatibilidade e forma de incorporação, traduzindo os efeitos físico-químicos para imagem visual do produto.

Sabese que la busca por productos cosméticos nacarados estables es un desafio para los cientistas de la área cosmética. Ese artigo describe la ciência de los compuestos nacarantes y opacificantes; sus efectos, estabilidad, compatibilidad y forma de incorporación, traducindo los efectos físico-químicos para imagen visual del producto.

It is known that seek for stable pearlizer cosmetic products is a challenge for the scientists of the cosmetic area. This article will describe the science of the pearlizer and opacifier compounds. The effects, stability, compatibility and incorporation have been discussed. The physical-chemistry effects has been translate for the visual aspect.


Comprar

Avaliação Microbiológica Por Semeadura em Profundidade - Mitsuko Taba Ohara, Fac. de Ciências Farmacêuticas da USP, São Paulo SP, Brasil

Proposta solução para visualização de colônias nos testes de determinação de microrganismos visíveis pela técnica de contagem em placas por semeadura em profundidade (pour-plate), em amostras de cosméticos com opacidade em partículas.

Es propuesta solución para visualizar colonias em los testes de determinación de microrganismos viables por la técnica de contar em placas por sembradura em profundidad (pour-place), em muestras de cosméticos com opacidad o con partículas.

The author proposes a method to visualize the colognes assays to determine the viable microorganisms by the couting on the plate technique after the deep inoculation
(pour-plate) related opaque or containing particles cosmetic samples.

Comprar

A Cosmetologia na Estética Animal - M Valeria Robles Velasco de Paola, M Elizette Ribeiro e Aline Biscolla Bezerra Fac. de Ciências Farmacêuticas- Universidade de São Paulo SP, Brasil

A estética animal é um ramo da Cosmetologia que tem se destacado na economia mundial. Os produtos cosméticos promovem tanto a higienização como a obtenção de brilho nos pés e cascos dos animais. Além da melhor adequação das formulações existentes, tornando-as mais específicas, eficazes e seguras, novas opções deverão surgir visando atender as expectativas dos proprietários de animais, principalmente dos que atuam em feiras, leilões e associações desportivas e de venda.

The animal esthetic is a part of Cosmetic Science that has been in evidence in the world economy. The cosmetic products promote not only the animals hygienization but also the shine of hair and hooves. Besides the better adequation of current formulations, making them more specific, efficient and safe, new options will arise in the future to meet animals owners expectations, mainly of those who join fairs, auctions, sports and Sales associations.

Comprar
Carlos Alberto Trevisan
Mercosul por Carlos Alberto Trevisan

A Inrcia Permanente

O ttulo desta coluna parece um paradoxo, pois a inrcia, por definio, a propriedade que um corpo possui de no alterar por si s seu estado de repouso ou movimento.

Na reunio de Montevidu nos dias 5 a 7 de novembro, a Delegao paraguaia no compareceu, impedindo de se chegar ao consenso em qualquer questo aprovada, ficando estas para a aprovao ad referendum desse Estado-Parte .

Os assuntos objeto de discusso pelos Estados Parte presentes foram:

Ttulo do "Regulamento Tcnico Mercosul sobre Protetores Solares em Produtos de Higiene Pessoal, Cosmticos e Perfumes" que teve sugesto da delegao uruguaia para ser alterado para "Regulamento Tcnico Mercosul sobre Produtos Protetores Solares e Protetores Solares em Cosmticos".

Em razo da no concordncia das delegaes da Argentina e Brasil, o ttulo dever ser definido pela Comisso de Produtos para a Sade.

Foi tambm acordado que para os produtos multifuncionais os seguintes tpicos :
a) Os produtos que indiquem atividade de proteo solar ou um valor de FPS, ainda que no sejam considerados como protetor solar, devero comprovar grau de proteo no inferior a 2. As metodologias de comprovao devero ser as aprovadas pela norma do FDA de 12/5/93 (Sunscreen Drug Products for OTC Human Use Monograph and Proposed Rule).
b) Os produtos que embora no indiquem o valor FPS em sua rotulagem, porm declarem "Contm Filtro Solar," devero comprovar, proteo solar no inferior a 2, atravs de sua formulao, ou de testes in vivo ou in vitro ou por literatura cientficos.

Outro assunto discutido e aprovado, foram as listas de matrias-primas restritivas e negativas:
a) Na atualizao da lista de substncias no permitidas foram procedidas as seguintes alteraes:
- A lista provisria foi prorrogada at 31 de dezembro de 2002.
- Hidroquinona foi transferida para a lista provisria, juntamente com o cloreto de metileno.
b)A reviso final da lista dessas substncias que no podem ser utilizadas em produtos de higiene pessoal, cosmticos e perfumes, ficou adiada para a prxima reunio.

Quanto s propostas apresentadas por Argentina e Brasil, referentes aos requisitos para registro de produtos cosmticos Mercosul e Extra Zona necessrios a habilitao de empresas representantes de titulares de registro, a deciso ficou para a prxima reunio.

Alm da deciso desse assunto, a deciso relativa a de outros, tambem foi transferida para a prxima reunio, tais como:
- Requisitos tcnicos especficos para produtos de higiene pessoal, cosmticos e perfumes: classificao de produtos; critrios para rotulagem geral obrigatria, mecanismo para atualizao das BPF.
-Terceirizao.

Por maiores que sejam os esforos da delegao brasileira, em tornar essas reunies produtivas, propostas apresentadas sem as devidas fundamentaes tcnicas ocupam o tempo que deveria ser empregado na discusso de outros assuntos melhor fundamentados.

As sucessivas retiradas de assuntos da pauta, sem uma nova data para a concluso, cada vez mais passa a sensao geral de que a harmonizao desejada est cada vez mais distante de ser alcanada.

A nossa opinio de que deveria ser previamente acordado um nico tema para cada reunio e que este assunto fosse "dissecado" at o fim em reunies prvias com a participao de experts acreditados junto s autoridades sanitrias (dos prprios governos e da iniciativa privada), para que, nas reunies oficiais, fossem referendadas as decises das comisses prvias.

A ns s resta torcer e aguardar por um novo impulso que possa alterar o estado de inrcia.

Carlos Alberto Trevisan consultor independente e diretor da Carlos & Trevisan Consultoria.
E-mail: trevisan@dialdata.com.br


A vez da Qualidade por Friedrich Reuss e Maria Aparecida da Cunha

ISO 14001 na Prtica

A efetividade de implementao de qualquer ao definida para determinado ambiente depende do real comprometimento da populao e dos governos envolvidos.

Naquelas empresas em que os sistemas de gesto foram implantados de forma adequada, os resultados so espetaculares.

Normalmente necessita-se de um a dois anos de educao e treinamento, de profundo comprometimento com os processos, que resultam em trabalhos envolvendo todas as sees internas, clientes e principalmente fornecedores. 0 processo entra em cadeia e nas comunidades menores, automaticamente, so envolvidas as escolas e, a prefeitura e seus departamentos, criando sistemas de economia e, de coleta seletiva e, com o fcil acesso imprensa e televiso, as crianas tambm so fortemente envolvidas no processo de educao.

O fenmeno recente do "apago" tambm contribuiu com o processo de reduo de consumo de energia, incentivado pela gesto ambiental.

Com quase 300 empresas certificadas em ISO 14001, no Brasil, a comunidade empresarial demonstra efetivo comprometimento com a proteo da natureza. No macrocosmo, porm, a situao deixa muito a desejar e, as notcias demonstram que mesmo um pas com tantas riquezas naturais como o nosso, fica seriamente ameaado pelas interferncias no controladas do elemento humano na natureza.

A imprensa tem noticiado que o Rio So Francisco, to importante para a vida e economias da regio por onde atravessa, est com seu volume de gua comprometido porque houve desmatamentos excessivos nas regies de suas nascentes.

Outras conseqncias surgiro da extrao descontrolada de madeiras nobres da mata amaznica, pois nesse processo de extrao selecionada so devastadas enormes reas, incluindo toda a vegetao circundante.

A natureza tem grande capacidade de reao, porm tem seus limites. Isso percebido, por exemplo: em parte da floresta amaznica situada acima do Rio Solimes. Navegando-se ao longo do Rio Negro, pode-se verificar que a camada de hmus no maior que 10-20 centmetros. Abaixo dessa nfima camada de hmus existe apenas areia branqussima, um puro deserto, que surgir assim que a devastao atingir, de forma irreversvel, a vegetao dessa regio.

No entanto existem formas racionais de se conviver com a natureza sem que esta se torne inspita.

Um exemplo de civilizao integrada e abrangente dado por um projeto regional muito antigo que infelizmente ficou apenas no papel, mas se realizado melhoraria muito a situao para uma grande parte do Estado de So Paulo. 0 projeto tratava de tornar navegvel todo o complexo dos Rio Pinheiros, Rio Tiet e das represas situadas junto a Serra do Mar, iniciando por uma extenso do porto de Santos at o p da Serra. A transferncia da carga dos navios para barcaas, ascenso para o planalto (quase 800 m de desnvel) por meio de elevadores (que no so novidade na Europa, Canad e Estados Unidos) at chegar a Represa Rio Grande, na Grande So Paulo, e a partir da, por meio de eclusas seria estabelecida a navegao fluvial ao longo de todo o Estado, podendo inclusive chegar at ao Rio da Prata. Pode-se pensar at na sua interligao com o Rio Paraba.

Usinas hidreltricas instaladas em eclusas so de menor porte, de menor investimento, com impacto reduzido no seu entorno e no das reas inundadas, servem para atender as populaes circunvizinhas sem a necessidade de cobrir grandes distncias de transmisso. Portanto, os riscos de "apages" e de acidentes se tornariam muito menores.

Essa medida permitiria transporte econmico de granis produzidos no interior do Brasil e das importaes vindas do exterior. 0 transporte por meio de caminhes seria restrito aos bens de maior valor agregado, e apenas os regionais, reduzindo, assim, o consumo de combustvel e de emisses de poluentes. 0 fluxo comercial advindo do transporte fluvial seria a fonte de recursos para a despoluio do rio e de seus afluentes.

Naturalmente um sistema de operao que pode ser estendido a muitas outras regies. Uma nica medida integrada e de grande alcance reduziria custos de transporte, utilizando, de modo racional, os recursos hdricos e integrando investimentos de transporte de cargas, de gerao e de transmisso de energia eltrica, o que permitiria ao mesmo tempo o controle da poluio.

Maria Lia A. V. Cunha psicloga, especialista em gesto de pessoas
Friedrich Reuss bacharel licenciado em qumica e especialista em gesto da qualidade
E-mail: freuss@uol.com.br

Denise Steiner
Temas Dermatolgicos por Denise Steiner

Herpes Vrus

As estatsticas so espantosas. De cada 100 habitantes do planeta, 25 enfrentaram ou esto encarando uma crise de herpes, que atinge principalmente os lbios ou os rgos genitais. Em 40% dos portadores o vrus fica latente, mas ao estressar psquica ou fisicamente - o que no exatamente difcil nos tempos atuais - pode haver uma recada.

O contato fsico a principal forma de contgio. uma boa idia no compartilhar objetos usados por pessoas contaminadas, como copos e talheres. Vale lembrar que a camisinha a melhor aliada para a preveno do herpes genital. Tudo o que comprometa a resistncia orgnica facilita a instalao da doena, como exposies solares exageradas, sono, cansao, alimentao irregular, e, claro, cigarro e bebidas alcolicas. A reincidncia no rara e as crises podem ir e vir com regularidade. Contudo, se o vai-e-vem for exacerbado pode ser uma pista para o mdico pesquisar a existncia de outras doenas, como o diabetes, o hipotireoidismo e mesmo a AIDS.

O herpes vrus compromete tanto homens como mulheres, apresentando-se de duas formas: tipo I e tipo II. 0 tipo I surge em geral no contorno dos lbios e no rosto. 0 tipo II acomete mais a regio genital e adjacncias. Atualmente, devido aos hbitos sexuais mais liberais, encontra-se o tipo I na regio do II e vice-versa, no sendo incomum aparecerem no consultrio narizes, bochechas e olhos infectados. Em todos os casos, a rea pode levar de 5 a 21 dias para voltar a ser como antes - prazo que depende da integridade do sistema imunolgico do paciente. 0 contato sexual o maior responsvel pelo herpes genital, que responde por 15% do total de doenas sexualmente transmissveis. No homem, essas leses so mais freqentes na regio da glande, podendo ocorrer secreo local. J nas mulheres as leses surgem nos pequenos e grandes lbios, clo do tero, virilha, a face interna da coxa, podendo causar corrimento vaginal. Nelas, devido as caractersticas anatmicas, a doena pode ficar escondida e durar mais. Gestantes que tenham uma crise no momento do parto recebem indicao de cesrea, pois ha 50% de risco de que o beb se contamine ao passar pelo canal do parto. A infeco viral na criana muito sria, podendo atacar o sistema neurolgico, os olhos e a pele.

O herpes uma afeco dermatolgica e o seu tratamento dever ser feito com orientao mdica.

Os medicamentos tpicos e sistmicos mais conhecidos para combater o herpes agem diretamente na multiplicao do vrus. Entretanto, medicamentos imunomoduladores tambm esto sendo usados. Em vez de deter a replicao viral, aumentam as defesas orgnicas e melhoraram a resistncia da pele ao ataque.

Uma nova opo para o tratamento do herpes labial o laser de baixa potncia, diminui a inflamao e aumenta a resistncia dos tecidos, reduzindo o nmero de crises. Por reduzir o tempo de resoluo da ferida, sobretudo se a aplicao for feita no incio da crise, um recurso indicado especialmente para pessoas que tenham alta exposio pblica, como modelos, atores, especialistas da rea de sade e outros profissionais.

Como o vrus ataca quando o sistema imunolgico enfraquece, tudo que mantm as defesas ativadas favorvel. Do ponto de vista nutricional, dois aliados so o zinco - mineral antioxidante e a vitamina E, protetora das membranas celulares.

A preven sempre o tratamento mais efetivo e mais barato. Hbitos saudveis, tanto fsicos quanto emocionais, reduzem comprovadamente a incidncia da doena. Quando o asunto o herpes, no h dvida: o melhor conselho que se pode ouvir aprender a gerenciar o estresse. Outros cuidados so evitar a exposio excessiva ao sol,(a radiao dos raios ultravioleta diminui a ao das clulas de defesa do organismo, reduzindo a proteo imunolgica) e usar regularmente filtro solar com FPS acima de 15, inclusive para a regio labial.

Dra. Denise Steiner dermatologista.
E-mail: clinica-stockli@sti.com.br

Boas Prticas por Teresa F. S. Rebello

Tensoativos com Ao Antimicrobiana

Afinal, todos os tensoativos tem atividade antimicrobiana? Para responder a essa questo, devemos levar em conta vrias propriedades dessa categoria qumica. Em primeiro lugar, a propriedade que comum a todos eles, ou seja, diminuir a tenso superficial de um sistema pode favorecer essa ao sobre a membrana celular. Tambm a carga eltrica do grupo hidroflico tem grande importncia, levando-se em conta que a superfcie das bactrias tem carga negativa. 0
tamanho da cadeia lipoflica e a natureza qumica do grupamento hidroflico tambm tm grande importncia. Soma-se a estes fatores, o pH das solues dos tensoativos.

Por exemplo, os tensoativos aninicos como os sabes, o lauril sulfato de sdio etc, so considerados antimicrobianos fracos mesmo em altas concentraes e permitem o crescimento de microrganismos Gram negativos e fungos em baixas concentraes. Note que o lauril sulfato de sdio utilizado em meios de cultura para deteco de coliformes com a finalidade de inibir o crescimento de Gram positivos. Um outro meio seletivo, descrito por Chapman, usado para o isolamento de coliformes o caldo de tergitol-7 (heptadecil sulfato de sdio).

Portanto, as matrias-primas dessa categoria, utilizadas pela indstria cosmtica em shampoos, e outros produtos de higiene devem ser controlados microbiologicamente, principalmente tratando-se de tensoativos fornecidos na concentrao 28-30%. No entanto, na concentrao de 70%. Devido as caractersticas fsico-qumicas, essa matria-prima no apresenta risco significativo, devido a pouca disponibilidade de gua, fator limitante para o desenvolvimento de microrganismos.

E quanto aos tensoativos catinicos? Certos catinicos apresentam forte propriedade antimicrobiana e quando so usados com outros anti-spticos apresentam efeitos aditivos. Porm, seu efeito antimicrobiano varia de acordo com o comprimento da cadeia lipoflica. Os compostos mais efetivos so aqueles com 12 a 14 tomos de carbono. Os mais importantes deste grupo so os compostos de amnio quaternrio. Mas, devemos lembrar a resistncia de alguns organismos Gram negativos, como as Pseudomonas sp. cujo meio seletivo utilizado para o isolamento desta espcie o CETAB (brometo de cetil-trimetil-amonio). Ainda assim, os compostos de amnio quaternrio so uma boa opo para a sanitizao de superfcies.

Considerando os tensoativos anfteros, a ateno dada a relao entre a atividade tensoativa e a ao germicida, sob o ponto de vista prtico s aconteceu durante o 1 Congresso Internacional para Tensoativos, em Paris, no ano de 1954. A partir da, um grupo de anfotricos e desinfetantes sob o nome comercial de Tego, baseados no dodecil-di(aminoetil)- glicina, tem sido extensivamente utilizado como biocida na Europa, h mais de 40 anos. De um modo geral, os anfotricos apresentam algumas vantagens sobre os catinicos, como por exemplo, eles so muito menos afetados, adversamente, pela presena de protenas quando comparados aos catinicos. Porm levando-se em conta o mesmo comprimento da cadeia lipoflica e grupos amina dos catinicos, os anfotricos tem uma atividade mais baixa. Tambm a atividade antimicrobiana dos quaternrios de amnio se faz mais intensa contra Gram positivos e menos contra microrganismos Gram negativos, enquanto que os anfotricos no so seletivos em sua atividade. Em compensao os compostos de amnio quaternrio so bacteriostticos em baixas concentraes quando comparado aos anfotricos.

Os tensoativos no-inicos so amplamente utilizados como emulsificantes e, portanto, o conhecimento de sua relao com os preservantes utilizados em formulaes cosmticas e de grande importncia. Alm desta categoria de tensoativos no ter nenhuma influncia sobre o crescimento de microrganismos, estes podem inibir alguns preservantes como os parabenos, e outros que apresentem hidroxilas fenlicas em sua estrutura qumica. Os quaternrios de amnio tambm so inativados pelos no-inicos, como o caso da clorexidina. E graas a esta propriedade que, na anlise microbiolgica de produtos cosmticos, necessria a adio de polissorbato (Tween 80) para inibir a continuada ao dos preservantes nos meios de cultura. Evita-se, dessa forma, falsos negativos.

Tereza F. S. Rebello farmacutica bioqumica.
E-mail:methodus@methoduseventos.com.br

Novos Produtos