Pink Money

Ver Revista na íntegra Edição Atual - Pink Money

Aliados tecnológicos

O Brasil está entre os países que mais utilizam aplicativos no dia a dia. No mercado de beleza, crescem cada vez mais os investimentos nessas ferramentas, com destaque para as marcas do grupo L’Oréal. Em junho, a Lancôme apresentou o aplicativo Virtual Mirror, exclusivo para os pontos de venda. Com ajuda da realidade aumentada, os consumidores podem experimentar virtualmente as maquiagens e comparar o antes e o depois.

A Shiseido lançou no Japão o Optune, um serviço voltado ao cuidado da pele, que abrange produtos personalizáveis – o que demandou o desenvolvimento de 80.000 combinações diferentes de cinco séruns e loções – e a análise da pele por meio de um aplicativo.

O SmartEye, novidade que será introduzida no mercado chinês pela Hallstar em agosto, é uma tecnologia composta por um pequeno dispositivo que é conectado ao smartphone e um aplicativo.

Com funções combinadas, eles permitirão realizar análises de pele em tempo real, com informações sobre as necessidades do usuário e recomendação de soluções e produtos.

A praticidade oferecida pelos apps também chega à análise de matérias-primas, como você verá nesta edição de Cosmetics & Toiletries Brasil, na seção Espaço Empresarial. Na seção Enfoque abordamos o potencial positivo da aproximação entre marcas e consumidores LGBT, com dados de consumo e estilo de vida dessa parcela da população e exemplos de ações de grandes marcas do setor.

Artigos técnicos vão abordar a interferência dos fragmentos de colágeno no desempenho de ativos antienvelhecimento e as ações tópicas para corrigir a flacidez. Outro artigo vai discutir a estratégia “defesa ofensiva” que busca a maior eficácia de conservação, utilizando o mínimo de conservantes.

Aldo Carrato está em Persona nesta edição.

Hamilton dos Santos
Publisher

Recuperação da Eficácia Antienvelhecimento - Robert Holtz (BioInnovation Labs, Inc. Denver CO, EUA)

Quando há ruptura do colágeno, os fragmentos podem prejudicar, com o tempo, o desempenho de ingredientes ativos antienvelhecimento. Este artigo examina os métodos que podem fazer com que os materiais consigam ultrapassar, na produção de colágeno, esse problema relacionado à idade.

Cuando el colágeno se descompone, los fragmentos rotos pueden obstaculizar el rendimiento de los activos antienvejecimiento con el tiempo. Este articulo examina los métodos mediante los cuales los materiales pueden superar estos problemas relacionados con el envejecimiento en la producción de colágeno.

When collagen breaks down, the broken fragments can hinder the performance of anti-aging actives over time. This column examines methods by which materials can overcome these aging-related issues in collagen production.

Comprar Artigo

Uma Defesa Ofensiva - Hiroyuki Araki, Shouko Hamada e Yasuhiko Toshima, PhD (Kao Corp., Tochigi, Japão); Yoshie Kawakoe (Shiseido Co., Ltd., Tóquio, Japão); Masahiko Otani (Lion Corp., Tóquio, Japão); Ruka Suzuki (Kosé Corp., Tóquio, Japão); Jun Usukura (Mandom Corp., Osaka, Japão); Masaki Ookawa (Ookawa Research Lab., Kanagawa, Japão)

Desenvolver formulações com o máximo de eficácia de conservação usando mínimas quantidades de conservante é vital por inúmeros motivos, que são discutidos neste artigo. Essa estratégia é conhecida como “defesa ofensiva” e exige alavancar os conservantes corretos em concentrações adequadas a determinados projetos de formulações.

Diseñar formulaciones con la máxima eficacia de conservación utilizando cantidades mínimas de conservante es vital por varias razones, que se describen aquí. Esta estrategia se conoce como una “defensa ofensiva” y requiere aprovechar los conservantes y los niveles correctos para los diseños de formulación dados.

Designing formulations with maximum preservation effi cacy using minimum preservative quantities is vital for several reasons, outlined here. This strategy is referred to as an “offensive defense,” and requires leveraging the right preservatives and levels for given formulation designs.

Comprar Artigo

Correção da Flacidez - Katerina Steventon, PhD (FaceWorkshops, LLC, Yorkshire, Reino Unido)

A flacidez é um fenômeno complexo que envolve alterações na derme, no tecido gorduroso subcutâneo e nos músculos. Este artigo examina as pesquisas relacionadas com esse fenômeno e as abordagens tópicas para resolvê-lo.

La flacidez es un fenómeno complejo que involucra cambios en la dermis, tejido adiposo subcutáneo y cambios musculares. El presente artículo revisa la investigación relacionada con este fenómeno y los enfoques actuales para abordarlo.

Sagging is a complex phenomenon involving changes in the dermis, subcutaneous fat tissue and muscular changes. The present article reviews research related to this phenomenon and topical approaches to address it.

Comprar Artigo

A Associação Pangenômica e a TEWL - Manfei Zhang, Jingze Tan, Hui Li, Li Jin, Sijia Wang (School of Life Sciences, Fudan University, Xangai, China); Bingjie Li, Sijie Wu (Shanghai Institutes for Biological Sciences, Chinese Academy of Sciences/University of Chinese Academy of Sciences, Beijing, China); Yajun Yang, Juan Zhang (Fudan-Taizhou Institute of Health Sciences, Taizhou, Jiangsu, China); Alessandra Marini, Andrea Vierkotter, Tamara Schikowski, Jean Krutmann (IUF-Leibniz Research Institute for Environmental Medicine, Dusseldorf, Alemanha)

Este artigo reporta estudos pangenômicos (GWAS) que identificaram variantes na banda de cromossomas associados significativamente com a perda transepidérmica de água (TEWL).

Este artículo reporta estudios pangenómicos (GWAS) que identificaron variantes en la banda de cromosomas asociados significativamente con la pérdida transepidérmica de agua (TEWL).

This paper reports genomic-wide association studies (GWAS) that identified variants in the chromosome band significantly associated with transepidermal water loss (TEWL).

Comprar Artigo

Óleo de Citrus aurantium no Tratamento da Celulite - GFC Battistella, FLC Faldoni, JAR Moreira (Centro Universitário Hermínio Ometto, Universidade de Araras (Uniararas), Araras SP, Brasil)

A celulite é uma patologia multifatorial que consiste na degeneração do tecido adiposo, ocasionando deformação no relevo cutâneo e desconforto estético. Este trabalho consiste em um levantamento bibliográfi co a respeito do tratamento da celulite utilizando Citrus aurantium, cuja composição possui aminas adrenérgicas capazes de agir sobre os receptores dos adipócitos, resultando assim na indução da lipólise.

La celulitis es una patología multifactorial que consiste en la degeneración del tejido adiposo, ocasionando deformación en el relieve cutáneo y la incomodidad estética. Este artículo consiste en un levantamiento bibliográfico acerca del tratamiento de la celulitis utilizando el Citrus aurantium, que posee en su composición aminas adrenérgicas capaces de actuar sobre los receptores de los adipocitos, resultando así en la inducción de la lipólisis.

Cellulitis is a multifactorial pathology that consists of a degeneration of the adipose tissue, causing a deformation in the cutaneous relief and aesthetic discomfort. This work consists of a literature review on the treatment of cellulite using Citrus aurantium, which has in its composition adrenergic amines capable of acting on adipocyte receptors, resulting in the lipolysis induction.

Comprar Artigo
John Jimenez
Tendncias por John Jimenez

The new skin care

A indstria anti-idade movimenta mais de 80 bilhes de dlares por ano. O mercado global de cosmticos antienvelhecimento tem um CAGR projetado de 5,8% no perodo de 2019 a 2024, sendo, portanto, uma das categorias com maior projeo e mais desafios de inovao, pois, globalmente, os nmeros mostram que a populao est envelhecendo mais e tambm estamos experimentando um aumento na prevalncia de fotoenvelhecimento da pele. Em seguida, veremos algumas das tendncias mais relevantes nesse segmento.

- Advances in stem cells: Um relatrio recente de uma universidade de prestgio indica que as clulas-tronco podem ser geneticamente modificadas no corpo. Nos ltimos anos, a cincia conseguiu corrigir certas doenas extraindo essas clulas, editando seus genomas e sua posterior implantao no paciente, o que leva, no entanto, a alguns efeitos colaterais. A novidade indicada por este artigo que foi possvel editar os genes dessas clulas enquanto elas estavam no corpo, isto , in vivo. Essa conquista muito significativa para os cosmticos antienvelhecimento, porque veremos no futuro novas claims relacionadas aos tratamentos antienvelhecimento.

- Patch care: Tratamentos antirrugas agora vm em adesivos. Esta uma tendncia que est em grande crescimento. Existem patchs que suavizam fisicamente a pele quando so colocadas. Devido s suas propriedades de liberao controlada, elas oferecem alta eficincia. Estamos at vendo adesivos que melhoram a aparncia de sinais ao redor dos olhos, como bolsas e olheiras, feitos com tecnologia de aromaterapia para alcanar o efeito de relaxamento.

- Elderly influencer: Sem dvida, estamos na era do well-aging. Essa tendncia se reflete em formulaes, publicidade e conceitos. Recentemente, uma conhecida casa de cosmticos escolheu trabalhar com Baddie Winkle, de 90 anos, que uma personalidade e influenciadora americana, que se tornou famosa aos 85 anos e tem milhes de seguidores nas redes sociais. Caracteriza-se por usar roupas excntricas e promover a legalizao da cannabis medicinal. Baddie inspirou as pessoas a serem a verso mais vibrante de si mesmas em qualquer idade.

- Minimalism & Multitasking: Tradicionalmente, as rotinas de skin care inspiradas na tendncia K-beauty, com o uso de at 10 produtos, inspiraram a indstria em vrias geografias. As projees indicam que a nova tendncia minimalista, ou seja, comeamos a ver que essas rotinas so reduzidas para um conceito menos passos com mais resultados.

- O3 aging: Est bem documentado que a exposio no curto prazo ao oznio provoca uma resposta ao estresse oxidativo na pele, embora no esteja claro como a exposio prolongada ao oznio contribui para o envelhecimento facial. Um recente estudo, de maro de 2019, realizado na Alemanha com mais de 2 mil voluntrios, relatou que as concentraes de oznio no meio ambiente podem estar associadas a rugas mais espessas na face, sendo essas descobertas independentes da radiao ultravioleta e de alguns poluentes atmosfricos. Essas concluses so interessantes porque logo veremos claims relacionadas proteo do oznio troposfrico.

- Makeup shield: Infelizmente, vimos como ataques com cido no rosto ocorrem com certa frequncia em nossos pases. De fato, este j um tema central em congressos como o AMWC (Congresso Mundial de Medicina Esttica e Antienvelhecimento), em que vemos como a esttica regenerativa est tendo importantes conquistas para correo e tratamento nesses pacientes. Por outro lado, este ano vimos o lanamento da primeira maquiagem para evitar queimaduras por cido.

- Agression Care apresentado como uma grande oportunidade para inovao no cuidado da pele.

- Tweakments (tweak + treatments): Tudo indica que esta uma tendncia que se materializar nos prximos anos. Os consumidores tero sua disposio combinaes de tratamentos no invasivos e minimamente invasivos para melhorar os resultados dos tratamentos faciais.

- Clean beauty: Uma das grandes tendncias que vimos na recente In-Cosmetics, em Paris, est abrindo a porta para uma nova gama de ingredientes e conceitos em todas as categorias, incluindo, claro, skin care. De acordo com a Mintel, entre as claims que vemos nas tendncias, temos free-from, cruelty-free, recycle, reuse, vegan, sustainable ingredients, ecocertifi cation, biodegradable packaging, ocean friendly, zero waste e carbon neutral, entre outras.

- Healthy glow: O consumidor quer no apenas ter uma boa aparncia, mas ter uma pele saudvel. Isso implica o desenvolvimento de novas claims e novas metodologias de avaliao relacionadas a como medir e quantificar a aparncia saudvel da pele por equipes de bioengenharia e testes dermatolgicos. Natural glow, water glow e honey glow so conceitos que vm da Coreia e que certamente veremos na Amrica Latina.

- Athleisure & Facegym: Esta uma tendncia cross que rene vrias propostas. Por um lado, temos a tendncia de fitness como ponto de inspirao para os tratamentos faciais e, por outro lado, os novos mecanismos bioqumicos que simulam o efeito do exerccio e das rotinas nos nveis drmico e hipodrmico. Estamos vendo no mercado dispositivos especialmente projetados para o rosto, que permitem fazer rotinas gym-like faciais, e que so aprimorados com os produtos cosmticos projetados para esse fim.

Carlos Alberto Pacheco
Mercado por Carlos Alberto Pacheco

A quantas anda a educao no pas?

No h dvida de que o nvel educacional um dos motores da economia de qualquer Estado moderno. Pela educao, as condies de sade populacionais avanam, alm de o Estado estar mais pronto para gerar e receber inovaes tecnolgicas e, por consequncia, acompanhar as ondas tecnolgicas que inundam o presente e o futuro prximo.

Recentemente, o IBGE nos brindou com um estudo muito interessante, que radiografou os principais indicadores educacionais do pas entre o perodo de 2016/2018, e, para nossa surpresa, os resultados numricos foram positivos em sua grande maioria.

Comeando pelo direito constitucional fundamental de acesso educao bsica, entenda-se por isto ter o nvel mdio completo. No perodo, o indicador apresenta um crescimento de 45% para 47,5% da populao com 25 anos de idade ou mais. Apesar do crescimento deste percentual nos ltimos anos, o que se percebe que ainda no h nem 50% da populao adulta com o fundamental completo, ou seja, uma massa de 67,6 milhes de pessoas no est bem preparada de fato para o mercado de trabalho o equivalente soma das populaes dos estados de So Paulo e Minas Gerais.

Alm desta triste defasagem, importante abrir esta mdia nacional pelos estados da federao que indica um crescimento maior na regio Sudeste (53,6%) e o menor no Nordeste (38,9%) (confuso). Quando o indicador expresso por cor da pele declarada, temos um crescimento de 55,8% entre os brancos contra 40,3% entre pretos-pardos. Um olhar pelo gnero no surpreende um crescimento maior entre as mulheres quando comparadas com os homens (49,5% para elas, contra 45%).

Outro indicador interessante o que traz os anos de estudo da populao. Este indicador mostra um aumento de 8,6 para 9,3 anos para as pessoas de 25 anos de idade ou mais. Internacionalmente, este indicador aponta 13 anos para os pases desenvolvidos. Portanto, temos um abismo de 3,7 anos quando comparados com os pases do G20.

Aqui h tambm uma defasagem regional. Para o Sudeste, a mdia de 10, contra 7,9 anos no Nordeste. Estratificando por cor, nota-se que a mdia de 10,3 para os declarados brancos contra 8,4 para os pretos-pardos. As mulheres tm historicamente uma mdia de anos de estudo maior do que a dos homens (9,5 contra 9 anos).

Por ltimo, chamo a ateno para o indicador que descreve a populao economicamente ativa (ocupada e desocupada) e a situao de estudo (estudando ou no estudando). Aqui a anlise concentra-se na faixa etria de 15 a 29 anos. Dos 47,3 milhes de pessoas, apenas 13,5% estava ocupada e estudando, contra 23% que no estavam ocupadas e nem trabalhando. Mas o que chama a ateno os 34,9% que estavam ocupadas e no estudando situao desfavorvel que indica uma desesperana na continuao do aperfeioamento profissional.

Estratificando os classificados nesta faixa etria e situao (no estarem ocupados nem trabalhando), temos um percentual de 28,4% da populao feminina neste dilema, contra 17,2% da populao masculina considerando o mesmo cenrio. O corte por cor da pele tambm bastante desigual: 18,5% desta populao declaram-se brancos contra 25,8% de pretos-pardos.

Os nmeros mostram que os avanos so positivos, porm tmidos, muito tmidos para um pas com populao continental onde qualquer 0,1% nos indicadores impacta diretamente uma massa de 210 mil pessoas. Apesar de positivos, os indicadores alteraram pouco as desigualdades regionais, de gnero e de cor, no s do trinio como desde o incio do sculo XX. O que expus acima continua indicando o mesmo quadro de outrora: as mulheres so mais escolarizadas que os homens, embora ganhem menos mesmo ocupando cargo igual e com mesmo tempo de empresa; pessoas brancas tm indicadores educacionais melhores quando comparadas s pessoas preto-pardas; e as regies Nordeste e Norte apresentaram condies mais desfavorveis em relao s regies do Centro-Sul do pas. Em outras palavras, a distribuio de renda do pas no foi afetada positiva e significativamente apesar destes pequenos avanos observados.

importante ressaltar que elevar a instruo e a qualificao dos jovens e adultos uma forma de combater a expressiva desigualdade educacional do pas. Alm disso, especialmente em um contexto econmico desfavorvel, elevar a escolaridade dos jovens e ampliar a qualifi cao dos adultos pode facilitar a insero no mercado de trabalho, reduzir empregos de baixa qualidade e a alta rotatividade. Porm esta elevao tem que ocorrer com uma velocidade maior do que a que temos experimentado at o momento.

Artur Joo Gradim
Assuntos Regulatrios por Artur Joo Gradim

Notcias do front

A consulta pblica n. 632/19, referente s regras para o funcionamento de laboratrios analticos, pretensiosa na amplitude proposta pela Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa).

O segmento abrangido pelos produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosmticos (HPPC), com base no cadastro de 2017, da Associao Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosmticos (Abihpec), tinha at ento 2.718 empresas produtoras e importadoras, responsveis por posicionar o Brasil como o quarto mercado consumidor mundial. O pas j foi o terceiro mercado.

A crise no setor de HPPC comeou em 2015 e, at hoje, este busca um crescimento sustentvel. Majoritariamente, as indstrias que compem esse setor so micro e pequenas empresas que representam cerca de 87,5% do total em nmero. A pequenas empresas tm entre 5 e 50 empregados, sendo que, dentre eles, trs so profissionais habilitados e at trs so estagirios de nvel mdio e/ou superior. As microempresas, em geral, tm um nico profissional habilitado, que, na maioria das vezes, o proprietrio ou o scio da empresa.

O objetivo da consulta pblica editada pela Anvisa estabelecer critrios, requisitos e procedimentos para o funcionamento de laboratrios analticos que realizam anlises em produtos e servios sujeitos ao regime de Vigilncia Sanitria. Um desses requisitos o credenciamento da empresa Rede Brasileira de Laboratrios Analticos em Sade (Reblas).

Considerando os requisitos necessrios para o credenciamento de uma empresa Reblas, como a habilitao e a acreditao de um laboratrio analtico no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), o que demanda um tempo mdio de 7 a 12 meses (e deve ser renovado a cada 2 anos), fica invivel a habilitao principalmente de micro e pequenas empresas, como pretendido inicialmente. Alm disso, no meu entendimento, as empresas fabricantes de cosmticos no deveriam estar sujeitas a essas exigncias.

Acredito que, no decorrer da realizao da consulta pblica, prevalecer a ponderao dos demais segmentos envolvidos e da sociedade em geral, ou seja, que estes adotaro o pensamento do esquartejador, isto , o de ir por partes.

At o presente, segundo dados da Anvisa, a Reblas tem 121 laboratrios habilitados e acreditados para atuarem nos segmentos que esto sujeitos Vigilncia Sanitria, sendo que 28 deles tm o escopo de fazer a anlise de controle dos produtos de HPPC. Quinze desses laboratrios passaro por novas auditorias que sero realizadas pela Anvisa em 2020, j sob a norma atualizada da ABNT NBR ISO 17025:2017, e os demais sero auditados por esse rgo em 2021.

Considerando as limitaes de recursos humanos disponveis pela Anvisa para realizar as auditorias, que, em mdia, demandam cinco dias teis para a realizao das avaliaes documental e operacional, nos prximos dois anos dificilmente algo ser feito no que se refere ao licenciamento dos laboratrios das indstrias de HPPC.

Com certeza, a prioridade da Anvisa ser para com os laboratrios dos demais segmentos abrangidos pela Vigilncia Sanitria, como hemoderivados, insumos farmacuticos, medicamentos, produtos para sade, vacinas, saneantes e agrotxicos, em detrimento dos laboratrios das indstrias de HPPC, pois essa uma atividade de baixo risco.

O posicionamento apresentado pela Abihpec a respeito do tema perfeito e no pode ser misturado ou confundido com falta de condies pelo setor oficial para o to sonhado monitoramento de mercado. Essa foi a contrapartida oferecida pelo setor produtivo para que a Anvisa flexibilizasse a anlise tcnica documental, hoje restrita a cinco categorias de produtos de HPPC.

Os laboratrios de anlise privados, habilitados, acreditados e reblados existentes esto aptos a auxiliar a Anvisa nesse trabalho emergencial. O objetivo desse trabalho reduzir, no mercado, os produtos de qualidade inferior, falsificados e que esto em desconformidade com os regulamentos tcnicos, de origem nacional ou extrazona, vigentes no Brasil. Essa medida assegura que os produtos disponveis no mercado atendam s expectativas dos consumidores quanto sua segurana e eficcia.

Carlos Alberto Trevisan
Boas Prticas por Carlos Alberto Trevisan

Pessoas versus mquinas

Com o advento do conceito de inteligncia artificial (IA) e suas aplicaes, tornou-se necessrio refletir sobre suas possveis consequncias em relao melhoria da qualidade de vida e ao desaparecimento de vrias ocupaes.

Novas tecnologias, em poucos anos, possivelmente causaro enorme impacto nas atividades de pessoas e organizaes.

No Brasil, ainda existe uma proteo de natureza paternalista quanto s relaes entre economia e trabalho, que, por absoluta necessidade de progresso, dever ser revista. Essa reviso j foi iniciada recentemente com algumas alteraes feitas na legislao trabalhista.

Neste ponto, deve ser mencionado que o grande entrave em absorver o impacto das novas tecnologias est na baixa capacitao da mo de obra. Esse entrave impossibilita a implementao de alternativas para substituir as operaes simples que essa mo de obra executa atualmente por operaes complexas.

Deve-se tambm comentar que muitas atividades podero ser substitudas por outras atividades externas que dispensem a presena do funcionrio nas dependncias da empresa. Essas atividades podero ser realizadas em casa ou em outro local fora da empresa.

Algumas consideraes que fao sobre essa nova realidade so:

A maioria das atividades humanas pode ser eliminada
com o uso da tecnologia.

A atividade automatizada j faz parte da grande maioria das operaes. Tarefas de maior complexidade so executadas por pessoas.

A simbiose entre a mquina e o operador resulta no aumento da qualidade e, consequentemente, da produtividade.

medida que as atividades so automatizadas, o valor dessas atividades diminui. Ao contrrio, tarefas mais complexas passam a ser mais valorizadas.

As pessoas que quiserem se manter atualizadas devem
preocupar-se em adotar as seguintes estratgias:

Ter pensamento crtico.

Adotar uma forma de atacar e resolver possveis problemas.

Saber lidar com dificuldades cada vez mais complexas.

A forma de lidar com as aes que afetam as pessoas vai requerer, dos gestores em geral, bons conhecimentos sobre a psicologia dos relacionamentos, no que se refere a como abordar as novas expectativas dos colaboradores, a de que forma incentivar os colaboradores que eventualmente podero ser substitudos a procurar pela atualizao tecnolgica e a realizar as demais aes que sejam necessrias para que se mantenham nas empresas e realizem seus trabalhos de outras formas.

Devemos sempre considerar que as melhorias resultantes da incorporao, pelas empresas, dos novos conceitos advindos dos progressos da tecnologia no devem, obviamente, impactar de forma adversa no relacionamento dessas organizaes com seus clientes.

As melhorias e os seus resultados devem sempre ser divulgados para que as empresas no sofram possveis represlias. Essas melhorias devem ser bem compreendidas pelos grupos sociais, que so to atuantes no presente momento e que o sero ainda mais no futuro.

Por ltimo, deixo aqui um alerta para o fato de que as melhorias propostas por meio do uso da inteligncia artificial e das demais tecnologias no devem ser vistas apenas como mera reduo de custos, mas sim como acrscimos de valor em todos os seus aspectos.

Wallace Magalhes
Gesto em P&D por Wallace Magalhes

Conflitos do P&D

J vai longe o tempo em que o pessoal de P&D devia saber s preparar formulaes, que seu habitat natural era a bancada do laboratrio e suas ferramentas eram os ingredientes e as formulaes que conhecia. Mais que nunca, o P&D hoje uma atividade mltipla e de vrios e novos desafios. Dentre eles, est a identificao e a soluo de conflitos. Todas as mudanas que aconteceram recentemente, as que esto acontecendo agora e as que ainda vo acontecer exigem e vo continuar exigindo que o especialista de P&D, como qualquer outro profissional, saiba compreender e se adaptar a novas realidades. Encontrar conflitos pela frente uma certeza. Parece que a evoluo das normas, da tecnologia e dos mercados est forando a empresa a funcionar com mais interao. Neste ambiente de proximidade, com interfaces cada vez mais numerosas e profundas -
inclusive envolvendo pessoal de reas diferentes - o surgimento de conflitos um fato natural e esperado. O conflito um estado gerado por divergncia de ideias, percepo, compreenso, interesses ou objetivos. No de se estranhar, porque um fato comum da convivncia humana, dizem os estudiosos do assunto. E, atualmente, os conflitos esto parecendo mesmo inevitveis. Est acontecendo muita coisa ao mesmo tempo. A sada identificar e resolver os conflitos que surgirem. Isto vale para empresas de todos os portes, porque todas esto no mesmo barco chamado mercado.

E quais seriam os conflitos do P&D? Um dos mais impactantes o conflito de mentalidade. Muitas fbricas de cosmticos no Brasil nasceram de uma mentalidade comercial, e isto pode ser um problema na medida em que o reconhecimento da base tecnolgica e da regulao sanitria especfica, que caracterizam e regem a atividade, fica em segundo plano em relao aos objetivos puramente comerciais. E no uma questo filosfica. A ideia de que o cosmtico existe s para gerar faturamento para a empresa no est em sintonia com a expectativa atual dos consumidores. Para que os cosmticos possam cumprir a sua finalidade mais elementar, que promover sade e bem-estar, ser necessrio respeitar sua base tecnolgica. Por outro lado, as questes regulatrias devem ser bem conduzidas para evitar que conflitos se alastrem. Na interface regulatria, as dificuldades, os entraves e at uma aparente falta de bom senso em algumas exigncias da legislao ou de seus agentes devem ser tratados com sobriedade e profissionalismo. O desmerecimento de sua relevncia e at o alardeamento das difi culdades geradas - que muitas vezes partem das reas tcnicas - s fazem estimular na empresa a lgica do desrespeito a estas obrigaes, o que pode trazer a reboque o enfraquecimento da importncia de sua base tecnolgica, o que muito ruim.

Outro conflito importante resulta do descuido com a noo da atualidade, que, por definio, a essncia do P&D. Se no for atual, no P&D. Processos e protocolos no podem estar em discordncia com as obrigaes regulatrias vigentes nem com o patamar tecnolgico atual - e muito menos com as expectativas do consumidor, porque configura um conflito de competncia entre a empresa e seu prprio mercado. Ser necessrio automatizar processos para ter tempo para realizar estudos mais profundos e manter conhecimento, metodologias e recursos devidamente atualizados. Isto deve estar inclusive nas previses oramentrias. Caso contrrio, certamente haver perda de competitividade. Consumidores insatisfeitos podem ser at mais rigorosos que os rgos reguladores.

Ainda existem os pequenos conflitos do dia a dia. Os manuais que tratam do assunto sugerem usar empatia e dilogo, ouvir todos os lados e ter postura racional, no se esquecendo de que a coisa mais importante reconhecer um conflito e estar preparado para resolv-lo. Especificamente para o P&D, o conhecimento tcnico o recurso mais importante para solucionar a maioria dos conflitos, principalmente quando envolve outras reas. Conhecimento de causa e clareza na exposio de argumentos so decisivos.

Especialistas defendem que confl itos podem ser saudveis e at necessrios porque eles podem impulsionar mudanas positivas, o que at razovel. No entanto, existem muitos conflitos que so altamente danosos. Eles podem destruir valores e eliminar possibilidades, gerando insatisfao, frustrao e prejuzos. E parece certo imaginar que a maioria seja ruim, mas pior mesmo ignor-los ou no estar disposto a resolv-los.

Denise Steiner
Temas Dermatolgicos por Denise Steiner

Envelhecimento cutneo e cncer de pele

A pele o tecido que envolve todo o organismo, tendo como principal funo a barreira entre o meio interno e o externo. Desse modo, promove proteo contra o calor, a luz solar, leses e infeces, assim como o armazenamento de gua e a produo de vitamina D. Tambm recebe estmulos do ambiente e age no mecanismo para regulao da temperatura corporal. Compe-se de 3 camadas: a superior (epiderme), a intermediria (derme ou crio) e a profunda (hipoderme ou tecido celular subcutneo).

Como todos os rgos, a pele sofre progressivo e contnuo processo de envelhecimento fisiolgico, que se caracteriza por alteraes celulares e moleculares em todas as camadas, com diminuio progressiva da capacidade de homeostase do organismo. O envelhecimento cutneo divide-se em: intrnseco (ou cronolgico) e extrnseco (ou fotoenvelhecimento), relacionado diretamente exposio solar crnica persistente.

O mecanismo intrnseco depende do tempo e tem relao com danos endgenos cumulativos, devido contnua formao das espcies reativas de oxignio. Tambm depende das caractersticas genticas. Com o envelhecimento, ocorrem alteraes moleculares, como no reparo do DNA telomrico, os telmeros correspondem poro terminal do cromossomo que no sofre replicao a cada mitose. Assim, ocorre uma diminuio do comprimento do telmero a cada ciclo celular. Quando este alcana um comprimento muito reduzido, ocorre parada do ciclo celular ou apoptose.

J o envelhecimento extrnseco est relacionado com vrios fatores, tais como radiao ionizante, estresse fsico e psicolgico, m nutrio, excesso alimentar, poluio ambiental e exposio a radiao ultravioleta, o que sugere que o envelhecimento se d por dano ambiental cumulativo, sendo a radiao ultravioleta e o tabagismo os principais fatores envolvidos.

Na pele, ambos os mecanismos (genticos e ambientais) contribuem para o processo de envelhecimento. Muitas funes celulares se alteram com o envelhecimento, porm podem ser aceleradas pela exposio solar. O fotoenvelhecimento caracterizado por vrios sinais clnicos, como despigmentao, flacidez, tom amarelado, rugas, telangiectasias, aparncia grosseira e malignidades cutneas. O fotodano representado inicialmente pela desorganizao das fi bras de colgeno que constituem a estrutura do tecido conectivo e acmulo de material anormal e amorfo contendo elastina. A pele fotoenvelhecida tem mais cncer de pele.

Os cnceres de pele tm se tornado cada vez mais frequentes. Para uma melhor compreenso, eles so divididos em melanoma (MM) e no melanoma - grupo do qual fazem parte as neoplasias mais comuns, que so o carcinoma basocelular (CBC) e o carcinoma espinocelular (CEC)).

O CBC o tipo mais comum de cncer de pele. constitudo por clulas semelhantes da camada basal de epiderme. Tem uma frequncia de 80% a 85% entre os casos de cncer de pele, raramente promove metstases para outros rgos, porm apresenta malignidade local, podendo invadir e destruir tecidos adjacentes, inclusive ossos. A severidade quantificada pelo tipo histolgico e pela localizao do tumor, sendo que a deteco precoce um fator importante para reduzir sua morbidade.

O CEC o segundo tipo mais frequente e origina-se da proliferao atpica das clulas da camada espinhosa da epiderme. Sua frequncia varia de 10% a 15% entre os casos de cncer de pele, podendo provocar metstases. Dessa forma, apresenta um prognstico mais reservado, dependente dos fatores de risco para recidiva e invaso de outros tecidos.

O CBC e o CEC so mais comumente encontrados em reas expostas, como regio cervical e face.

Os melanomas podem surgir em geral entre 30 e 60 anos, sendo mais frequentes no sexo masculino. Originam-se de transformao do melancito localizado na juno epidrmica em melancito atpico. Podem estar relacionados com a presena de nevo melanoctico de juno ou composto, ainda que em 70% dos casos no seja relatada a existncia prvia de nevo pigmentar. Vrios fatores atuam como participantes da gnese do melanoma, tais como fatores genticos e ambientais. A radiao ultravioleta o principal fator ambiental, pois provoca dano no DNA celular. Os melanomas so mais frequentes em pessoas com pele, cabelos e olhos claros e esto relacionados exposio solar, alm de pessoas que tiveram queimaduras solares, principalmente na infncia.

Valcinir Bedin
Tricologia por Valcinir Bedin

Cabelos e o antienvelhecimento

Envelhecer um processo dinmico que evolui com o passar do tempo, com mudanas clnicas, fisiolgicas, histolgicas e psicolgicas.

um fenmeno to complexo quanto inevitvel! Nos ltimos anos, tem aumentado o interesse, o estudo e o entendimento dos processos de envelhecimento em funo do aumento da longevidade. Em 1980, as pessoas com mais de 70 anos eram 330 milhes e, em 2019, o nmero de pessoas nessa faixa etria j passa de 1 bilho!

Existe um envelhecimento programado a nvel celular e molecular. O relgio biolgico leva a mudanas na viso, perda de clcio, diminuio da audio e da capacidade pulmonar, e existe o envelhecimento acidental, causado por agentes circunstanciais que levam a danos do DNA, ao dos radicais livres, desgaste natural da vida diria etc.

Podemos resumir o envelhecimento como uma perda progressiva da funo mxima e capacidade de reserva com diminuio dos telmeros que so continuao de cidos nucleicos e prolongamentos de cromossomos levando perda de proteo dos cromossomas, que atua como relgio biolgico destruindo a proteo do DNA, alterando a regulao da carcinognese com o aparecimento de foto-envelhecimento e senescncia proliferativa. A enzima telomerase que foi descoberta por pesquisas em engenharia gentica, encontrada em clulas germinativas e cancerosas e parece recuperar e repor telmeros e manter a integridade dos cromossomos.

Em 1940, comearam os estudos e pesquisas para entender por que envelhecemos. Algumas teorias forma lanadas. Vamos listar e resumir cada uma delas.

- Teoria da Mutao: parte da ideia de que mudanas ocorrem nos genes que so fundamentais para a vida.

- Anomalias Cromossmicas: leva em conta a perda de bases telomricas que levariam a uma diminuio do tamanho dos telmeros.

- Teoria das Alteraes Moleculares e Enzimticas: consiste na reduo da atividade da glutationa peroxidase, da catalase, da glutationa redutase e dos inibidores da metaloproteinase.

- Teoria da Estimulao Tmica: hormnios tmicos estimulam e controlam a produo de neurotransmissores e o crebro, o sistema hormonal endcrino. Com o passar dos anos, ocorre a imunosenescncia tmica, com o enfraquecimento do sistema imune.

- Teoria dos Radicais Livres: radicais livres atacam a estrutura da membrana celular gerando produtos metablicos danosos. O que leva ao envelhecimento so os efeitos adversos, como o fato de impedir o reparo e a reproduo celular, causar distrbios na sntese do DNA e do RNA, interferir na sntese das protenas, destruir enzimas celulares, levando apoptose celular. Atacam colgeno e elastina com perda da elasticidade e formao de rugas.

- Acmulo de Detritos Celulares: produo exagerada de resduos celulares que interfere nas funes celulares, levando apoptose.

- Teoria Limite de Hayfl ick: em 1961, Hayflick e Moore, dois bilogos, demonstraram a senescncia em cultura de clulas humanas. Fibroblastos tm capacidade de diviso limitada a 50 vezes ao ano. Alteraes e degenerao nas clulas, membranas e material gentico levariam parada da replicao.

- Hormnio da Morte: a diminuio da glndula pituitria leva perda de neurnios (no se replicam). O envelhecimento leva liberao do DECO (Decreasing Oxygen Consumption Hormone), que, por sua vez, leva inibio da atividade da tiroxina (diminui a energia) com acelerao do envelhecimento.

- Desgaste Natural: danos celulares e do corpo provocados por excesso de uso e abusos, levando a alteraes nos rgos. O fgado, o estmago, os rins e a pele ficam lesados por toxinas provenientes de nossa dieta e do meio ambiente. Outros agressores so as radiaes UV e o estresse fsico-emocional.

- Teoria Neuroendcrina: ocorreria um desgaste natural do sistema neuroendcrino. Os hormnios so responsveis pelo reparo e pela regulao das funes do corpo. Quando somos jovens, h maiores nveis hormonais. medida que ficamos mais velhos, eles diminuem os nveis hormonais (clulas metabolicamente inativas).

Levando em conta essas informaes, o formulador de produtos anti-aging poder desenvolver uma linha de proteo para os cabelos, retardando esse processo natural, mas to perverso!

Antonio Celso da Silva
Embale Certo por Antonio Celso da Silva

Problemas que reprovam um lote no recebimento

Quando falamos de embalagem, vm logo cabea aquelas frases prontas dizendo que a embalagem vende o produto, a embalagem custa mais caro que o produto... Falando das dificuldades com as embalagens de maquiagem, da invaso das asiticas, da importncia do design... Enfim, parece que no existem outras preocupaes com a embalagem.

Chamo a ateno para o que fica sempre esquecido ou, na melhor das hipteses, em um segundo plano. Estou falando do controle da qualidade dessas embalagens e hoje quero dar foco aqui nos problemas que so motivos de reprovao e onde normalmente esses problemas se encontram, quando se recebe um lote na fbrica.

Antes quero lembrar que, com o crescente nmero de terceiristas, consequncia do aumento de marcas que passam a terceirizar a fabricao de seus produtos mesmo tendo fbrica, cada vez mais quem vai receber e analisar esses lotes so os terceiristas, principalmente considerando que o contrato full service, em que o terceirista fornece todos os insumos, o tipo de contrato mais usado pelas empresas.

Alerto tambm os fornecedores de embalagem para a necessidade de comear a visitar mais os terceiristas e no apenas as fbricas das marcas.

Para chegar aos problemas que podem resultar na reprovao de um lote no recebimento, vamos falar de cada famlia e no temos aqui a inteno de fazer uma varredura e citar todos eles, at porque so muitos, mas citar os mais comuns vividos no meu dia a dia de cho de fbrica.

Falando primeiro da grande e maior famlia usada nas embalagens dos cosmticos, que so os plsticos, podemos iniciar pela parte de cima:

Tampas - as tampas se dividem basicamente em tampa cega, flip-top e disc-top. Existem outros tipos, porm, so menos usados. Na flip-top, o problema pode estar exatamente no flip, que no resiste a vrias aberturas e fechamentos, principalmente se o material usado na fabricao dessa tampa no for virgem. Na disc-top, o grande problema o vazamento se o disco no for perfeitamente ajustado na tampa. Na tampa cega, tambm o problema maior a vedao se a rosca no estiver perfeita e o disco de polexam, normalmente usado para vedar, no vier ou tiver soltado.

Bisnaga - o problema aqui est na selagem, que, se no for perfeita, pode ocasionar vazamento. O espao para selagem no pode ter camada de verniz, porque pode impedir que a bisnaga seja selada.

Frasco soprado - um dos grandes problemas so os caminhos de rato na parte interna do gargalo, o que pode ocasionar vazamento. Isso no acontece quando o frasco de PET, j que o gargalo injetado na pr-forma. Outros problemas com esse frasco so: m distribuio de matria-prima nas paredes, principalmente nos pontos crticos; sujeiras impregnadas nos bicos da extrusora, que durante o processo de sopro passam para o frasco; peso maior ou menor; m formao do gargalo; acoplamento tampa/frasco; e falhas na decorao ou soltando a decorao quando o frasco no foi pr-flambado, dentre outros problemas.

Plsticos injetados - rebarbas, ponto de injeo saliente, cor diferente, trava de fechamento nos estojos, pino da dobradia quando houver, espelho soltando, mecanismo dos batons, escovinha que se solta nas tampas de rmel, batom lquido e gloss labial.

Cascaseal - o grande problema sempre mora no acoplamento perfeito na boca do pote.

Cartucho - direo de fibra, que tem que estar perpendicular aos vincos, sob pena de ficar abaulado, gramatura, falhas no texto, diferena de cor, abrindo na colagem, travas das abas, mal vincado, verniz etc.

Rtulos - o problema maior est no corte do liner, que causa um grande transtorno, e paradas de mquina na hora da rotulagem. Cola, esqueleto no retirado, verniz, quantidade a mais ou a menos por rolo e falha de gravao so ou tros problemas que podem ser encontrados.

Vlvulas seja dosadora, spray ou pump, a ateno maior tem que estar no perfeito funcionamento. Tamanho e corte adequados do pescante, boto acionador que se solta, falha na vedao e entupimento do orifcio da pastilha so outros problemas que podem aparecer.

Vidros - nos frascos foscados, ateno para resduos de cido fluordrico (usado para foscar). Raramente isso ocorre, pelos cuidados que as empresas tm na foscao por ataque qumico, mas importante ficar atento, pois um defeito crtico. Bolhas, trincas, defeitos de formao e microfuros tambm devem ser alvo de ateno.

Obviamente impossvel aqui colocar todos os defeitos que podem aparecer em uma embalagem quando da sua avaliao no recebimento, mas a inteno foi alertar para aqueles que passam despercebidos e alguns outros problemas corriqueiros nos diversos tipos de embalagem.

Pela complexidade, esse assunto pode ser melhor discutido ou at detalhado em um curso in company com esse colunista.

Novos Produtos