21 de Outubro de 2018
Temas Dermatológicos

Depilação

Setembro/Outubro 2018

Denise Steiner

colunistas@tecnopress-editora.com.br

Denise Steiner

A retirada de pelos de algumas regiões do corpo é um fator cultural de algumas populações. No Brasil, as mulheres têm o costume de realizar a depilação, sendo considerada estranha e inestética a permanência de pelos em locais como axilas, pernas e virilha.

O que se pode considerar mais moderno para remoção de pelos é a utilização do laser e da luz intensa pulsada (LIP), aparelhos que emitem uma luz especial, que causa fototermólise seletiva, destruindo o folículo piloso e retardando o aparecimento de uma nova haste capilar.

O alvo específico é o pigmento concentrado na raiz do folículo piloso. Para atingi-lo, a luz tem de atravessar as camadas mais superficiais da pele.

No trajeto, ela pode ter afinidade por outras estruturas pigmentadas, como é o caso da célula da pigmentação, denominada melanócito, que produz a melanina.

Esse fato explica por que é mais difícil a depilação definitiva em paciente de pele morena ou negra. Em contrapartida, quanto mais contraste houver entre a pele (branca) e o pelo (escuro), melhor será o resultado geral da depilação.

Peles muito claras, com pelos grossos e escuros, apresentam resultados mais satisfatórios. Quando a pele estiver bronzeada, é desaconselhável a depilação a laser/LIP. Isso ocorre porque esse método pode confundir o pigmento e irradiar calor para a pele bronzeada, causando queimaduras e cicatrizes definitivas.

Indivíduos com antecedente de queloide, vitiligo e em uso de isotretinoína oral devem ter bastante cautela, e o tratamento tem que ser sempre indicado e supervisionado pelo dermatologista.

Pessoas de pele escura não podem fazer o tratamento com qualquer tipo de aparelho, pois existe risco de queimaduras, cicatrizes e manchas. É fundamental que um médico avalie cada paciente e indique o tratamento mais adequado.

O termo “depilação definitiva” não é muito apropriado, pois pressupõe que, uma vez tratado, nunca mais existirá qualquer pelo.

Nenhum equipamento de laser ou luz intensa pulsada hoje disponível é capaz de realizar uma depilação definitiva de todos os pelos, mas muitos equipamentos conseguem uma depilação definitiva da maioria dos pelos e, com a manutenção adequada, pode-se chegar muito próximo do ideal.

A depilação a laser/LIP é um tratamento eficaz e duradouro. Existem diferentes aparelhos hoje disponíveis no mercado, alguns mais dolorosos, outros menos. A frequência e o número de sessões dependem do tipo de aparelho e das características do paciente e das áreas tratadas.

Na região da virilha e nas axilas, em geral, são necessárias de 4 a 5 sessões, com intervalos mensais. A região da perna pode necessitar de 4 a 6 sessões. A região do buço e a face são mais resistentes, precisando de 8 a 10 sessões.

Devido às características e ao custo desse procedimento, é fundamental a indicação e a supervisão de um médico habilitado.



Outros Colunistas:

Deixe seu comentário

código captcha

Seja o Primeiro a comentar

Novos Produtos