21 de Agosto de 2018

Mercado Masculino

Erica Franquilino
História e evolução
 
 
Mercado
 
 
 
Formulação
 
 
 
Vitrine
 
 
 
 



 
Parceria histórica
artigo publicado na versão impressa da edição agosto de 2016 da revista Edição Temática
 
A barba, que foi relacionada a desleixo durante boa parte do século 20, era sinal de força na Antiguidade e hoje volta à cena no visual dos “lumbersexuais”. Ao longo dos séculos – e em diferentes contextos –, o homem sempre fez uso de produtos para cuidar da pele, da barba e dos cabelos. Conheça um pouco dessa trajetória
 
  Ícones de beleza desde a Idade Antiga – nas civilizações grega, roma e egípcia –, os homens sempre cultivaram hábitos relacionados à vaidade e ao cuidado com a aparência. A evolução dos produtos para higiene e embelezamento da pele, pelos e cabelos se alinhou às mudanças da sociedade e do comportamento masculino ao longo da história – dos períodos de maior austeridade aos de proximidade com o universo feminino.
 
    O histórico dos produtos cosméticos utilizados pelos
homens tem como ponto de partida o ato de se barbear. Tudo começou quando o homem de Neandertal, por volta do ano 100.000 a.C., começou a prender os cabelos, pintar e tatuar o corpo e arrancar os pelos da face usando conchas como pinças – como sugerem pinturas encontradas em cavernas. As mais antigas lâminas para barbear datam de 30.000 a.C. Eram provavelmente lâminas de pederneira, pedra que poderia ser polida até formar uma extremidade afiada, que servia para raspar a pele.
   Outras lâminas de barbear, feitas de forma mais elaborada, surgiram por volta de 1.200 a.C., na Escandinávia. Escavações em sepulturas revelaram achados arqueológicos, como navalhas guardadas dentro de embalagens de couro. Lâminas de bronze traziam cenas mitológicas e empunhaduras esculpidas em formato de cabeça de cavalo.
 
   Durante as primeiras dinastias egípcias, aristocratas barbeavam seus rostos e raspavam suas cabeças, para uma aparência limpa e asseada. Corpos e rostos lisos e depilados indicavam riqueza e poder. No Egito Antigo, era comum o uso diário de cremes e óleos perfumados no corpo, para perfumar e proteger a pele. Para purificar o hálito, egípcios mastigavam bolinhas de folhas aromáticas.
   Na Grécia Antiga, cultivar a barba era sinal de força, coragem e sabedoria. Já os romanos tinham à sua disposição criados encarregados de barbeá-los. Eles também visitavam o “tonsor” (barbeiro). A lâmina de ferro usada pelo barbeiro perdia o fio rapidamente, o que favorecia a ocorrência de cortes. O tonsor cuidava do problema aplicando sobre a face do cliente uma máscara calmante e cicatrizante, composta por unguentos perfumados e teias de aranha saturadas em óleo e vinagre. Ainda na Roma Antiga, cremes hidratantes eram formulados com leite de mamíferos e óleos vegetais, como os de gergelim, oliva, palma e amêndoas. Os perfumes traziam notas de musk, tomilho, mirra e resina de olíbanum – o nome tem origem na expressão “óleo do Líbano”.
 
   Para tingir os cabelos, os romanos usavam henna, sangue de vaca ou pequenos girinos esmagados em óleo vegetal morno. Era comum a perda dos fios, em razão do uso de preparados extremamente cáusticos – o que contribuiu para que as perucas virassem moda.
   Perfumes e cosméticos deixaram de ser usados durante a Idade Média e voltaram a fazer parte da rotina masculina – de maneira mais significativa – muito tempo depois, após a Primeira Guerra Mundial (1914 a 1918).

 

Aliados para o ritual da barba

   Em 1770, surgiu a primeira navalha considerada segura, com um cabo de proteção dobrável. O criador foi o francês Jean-Jacques Perret. Pouco mais de 100 anos depois, em 1895, o norte-americano King Camp Gillette, funcionário da Companhia de Selos de Baltimore, inventou o “safety razor” (barbeador seguro).
   A ideia foi criar uma lâmina de aço pequena, eficiente e descartável. O inventor – que não conseguiu convencer os industriais da época a investirem na novidade – contou com a ajuda do engenheiro mecânico William Nickerson para produzir, em escala industrial, o primeiro aparelho de barbear. O produto consistia em uma fina lâmina de aço com duas extremidades, colocada entre duas chapas e presa por um cabo em forma de “T”. O produto transformou o ato de fazer a barba – até então delicado e restrito às barbearias – em um hábito popular e presente no cotidiano masculino.
 
   Muitos homens aproveitam o banho para fazer a barba, e o sabonete, durante muito tempo, foi usado como lubrificante, facilitando o deslizamento do aparelho de barbear. Nos últimos anos, algumas empresas desenvolveram sabonetes em barra com cremosidade e emoliência adequadas a essa fi nalidade.
   Os primeiros sabões eram formulados com sebo animal saponificado com soda (hidróxido de sódio ou potássio) e parcialmente neutralizado com cal natural. Com a evolução do desenvolvimento do produto, o sebo animal foi sendo substituído pelos ácidos graxos
purificados (esteárico e mirístico) e pelos óleos vegetais. Em 1878, os norte-americanos Harley Procter e James Gamble produziram o sabonete, cuja composição trazia ácidos graxos mais puros.
   Nos anos 1950, a Gillette apresentou ao mercado uma variante do sabão de barbear na forma de creme – o Gillette Foamy. Não havia muitas diferenças técnicas em relação à formulação do sabão, exceto pela adição de mais água e um equilíbrio aperfeiçoado nos sais de ácidos graxos, priorizando aqueles formados pelo íon potássio, que são mais molese fluidos.
    Aos poucos, a glicerina presente em cremes para barbear passou a compartilhar a atividade umectante nessas formulações com ingredientes mais inovadores, como tamarindo e algas marinhas. Desde o início desse tipo de composição, a sensação de refrescância é predominante, com notas de pinho, eucalipto ou menta.
 
   O creme de barbear em aerosol ganhou visibilidade no mercado a partir das inovações tecnológicas nas embalagens – que inicialmente eram compostas por folha de flandres e eram “atacadas” pelo pH alcalino das formulações – e pelas novas embalagens de alumínio moldado, mais resistentes.
   Os primeiros produtos pós-barba eram formulados com alta concentração de álcool etílico e fragrâncias refrescantes mentoladas. Esse tipo de produto, utilizado durante muito tempo por consumidores mais tradicionais, perdeu espaço para a loção cremosa pós-barba com efeito cicatrizante e calmante, formulada com extratos vegetais, componentes anti-inflamatórios e ceramidas.
  Entre o final do século passado e o início deste, cresceram as opções de géis de barbear. Compostos por agentes gelificantes (carbopol e hidroxietilcelulose), eles normalmente integram linhas de produtos para peles sensíveis e de maior valor agregado. Os homens também passaram a contar com as propriedades anti-irritante, refrescante, calmante, hidratante e reconstrutora da camada lipídica protetora, em produtos com formulação leve para o barbear e o pós-barba. As linhas ainda agregaram itens para a esfoliação da pele – além de remover impurezas e células mortas, a proposta é facilitar o próprio ato de barbear.

 

Cabelos

   Originalmente, sabão e shampoo eram produtos muito similares. O shampoo surgiu na Alemanha, no final do século 19, e, após a Primeira Guerra Mundial, passou a ser comercializado em grande escala. O produto é considerado um dos mais usados pelo homem moderno – com destaque para as opções anticaspa e para cabelos oleosos. Historicamente, ele começou a ser usado em substituição ao sabão em barra.   Há alguns anos, seguindo a tendência da multifuncionalidade, chegaram ao mercado as opções de shampoos masculinos para cabelo e corpo, como será apresentado nesta edição.

   No decorrer do século 20, a aparência masculina passou por diversas mudanças, com visuais e produtos que marcaram época. A brilhantina, clássico dos anos 1950, era uma pomada usada para modelar os cabelos e garantir a exuberância dos topetes.Composta basicamente por óleo mineral e parafina sólida, a pomada foi bastante popular até a década de 1970.
 
   A versão moderna desse tipo de produto é o gel fixador, composto por um agente gelificante e umectantes poderosos (propilenoglicol, glicerina e polivinilpirrolidona – PVP), que reduzem a evaporação da água e conferem um aspecto molhado aos cabelos, mantendo o penteado firme. As variantes mais modernas de géis fixadores passaram a oferecer diversos graus de fixação – leve, moderado ou forte. Atualmente, géis, mousses e ceras para finalização – com efeito brilhante ou mate – possibilitam diferentes texturas e resultados aos cabelos.
 
   Outro ícone da cabeleira masculina é a linha Grecin, que chegou ao mercado nacional em 1976. A origem do produto remonta ao período da Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945). Um general norte-americano que estava em campanha na Grécia foi a um barbeiro local, que lhe convenceu a usar um produto preparado por ele e que teria a propriedade de acabar com as caspas. O resultado foi surpreendente: além de eliminar o problema, o produto devolveu a cor natural aos cabelos do general, que estavam grisalhos.
 
   Terminada a guerra, o militar voltou à cidade grega para comprar a formulação e revender o produto nos Estados Unidos. Então, a Combe Incorporated, empresa criada em 1949, comprou a formulação, isolou seu princípio ativo e lançou o Grecian Formula 16 no mercado norte-americano.
 
  Uma versão mais prática do produto foi apresentada aos brasileiros em 2001, quando a empresa lançou um shampoo tonalizante para a cobertura dos cabelos brancos, que promete resultados em apenas cinco minutos. A variante para barba, bigode e costeletas chegou ao mercado em 2002.
   Há alguns anos, fabricantes de tinturas para cabelos vêm produzindo colorações para homens. Muitos desses produtos têm a mesma formulação dos que são destinados às mulheres – a mudança está na embalagem. No caso de produtos específicos para cabelos grisalhos, normalmente são utilizados corantes que tingem os cabelos cumulativamente, à medida que o produto é reaplicado ao longo do tempo. A ideia é fazer que a mudança do grisalho para uma cor mais escura aconteça de forma gradual.

 

Diversidade de opções

   Séruns com ação revitalizante e reafirmante para o contorno dos olhos, produtos para aliviar os sinais de cansaço, para rugas profundas, hidratantes com efeito tensor... São muitas as opções de produtos antienvelhecimento voltadas ao público masculino na atualidade.
   No Brasil, somente a partir dos anos 1990 os homens se tornaram consumidores desse tipo de produto. Na virada no século, linhas para barbear começavam a incluir na rotulagem, além de benefícios como hidratação e refrescância, referências ao conceito de prevenção ao envelhecimento precoce. Esse panorama inclui o lançamento de cremes antirrugas, produtos específicos para a área dos olhos e fluidos faciais. Os atributos dessa nova safra de produtos são apresentados de forma direta e objetiva. O foco está na funcionalidade e na manutenção da boa aparência da pele.
 
   No caso dos hidratantes e óleos corporais – que entraram no universo de cuidados masculinos por meio das esposas e namoradas –, são benefícios importantes a leveza e a facilidade de aplicação do produto sobre a pele, uma vez que os homens preferem produtos com toque seco. São valorizados o sensorial refrescante e o uso de fragrância tipicamente masculina ou a ausência de  fragrância, além de uma embalagem prática.
   As linhas esportivas constituem um segmento forte entre o público masculino. Absorção da oleosidade e efeito antioxidante são algumas das características peculiares a esse tipo de produto, assim como a apresentação em gel. Cresce também a oferta de produtos desenvolvidos especifi camente para o cuidado da barba, como shampoos, óleos e balms.
   As mudanças no comportamento masculino ainda abrangem a adesão aos spas, clínicas de estética e espaços que oferecem
uma ampla variedade de serviços, como limpeza de pele, peeling, aplicações de botox, e tratamentos corporais, como os voltados à perda de gordura localizada e ao combate à flacidez.
 
    Nos últimos dois anos, a vaidade masculina impulsionou, no Brasil, um boom de salões voltados exclusivamente aos homens.
Depois de quase entrar em extinção, essas novas barbearias incorporaram elementos inusitados ao ambiente, como geladeiras,
chopeiras e máquinas de café expresso. No melhor estilo “coisa de macho”, esses salões servem cerveja e doses de whisky, além
de disponibilizar videogames e outros jogos aos clientes. São novas apostas do mercado para manter velhos hábitos.

 

Em ritmo de crescimento
 

 
O Brasil ocupa a segunda posição no ranking mundial de consumo de cosméticos masculinos, perdendo apenas para os Estados Unidos. Saiba  mais sobre as apostas da indústria para atender às necessidades e preferências desses consumidores
 

   Já vai longe o tempo em que a maioria dos homens usava o shampoo que estivesse disponível no banheiro. Por esta e outras razões que aquecem o mercado de produtos masculinos, dizer que os homens estão cada vez mais vaidosos virou lugar-comum. Eles se afirmam como exigentes consumidores de produtos para beleza e cuidado pessoal, num movimento que vai muito além de rótulos ou modismos – apenas porque se cuidar faz bem.    Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios– PNAD 2014, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em novembro de 2015, a população brasileira totaliza 203,2 milhões de habitantes. Os homens correspondem a 48,4% desse total.

 

 
  A Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) informa que, nos últimos cinco anos, o segmento de pro dutos masculinos cresceu 16%. Somos o segundo maior mercado consumidor de cosméticos masculinos do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.
  A Euromonitor estima que esse mercado manterá um ritmo de crescimento de 7,1% ao ano no Brasil até 2019. Caso essa expectativa se concretize, em quatro anos, o país se tornará o maior mercado de cuidados pessoais para homens, movimentando
US$ 6,7 bilhões e superando os Estados Unidos, que chegarão a US$ 6,4 bilhões.
   No estudo “Men’s Grooming”, a Euromonitor aponta que os brasileiros ainda demonstram hábitos tradicionais no consumo de itens de beleza e cuidado pessoal, com foco em desodorantes e produtos para barbear. Segundo a consultoria, essas categorias de produtos, somadas, representaram 57% das vendas de cosméticos masculinos em 2015.
 
   De acordo com a Abihpec, o segmento de cosméticos masculinos cresceu 2,4% em 2015, representando mais de R$ 21 milhões no faturamento total do setor. A análise das subcategorias revela que as fragrâncias correspondem a 42% do mercado. Na sequência, estão os produtos para barbear, com 32%, e os itens de cuidado pessoal, com 26%.
   O Instituto Qualibest produziu uma pesquisa para a entidade, sobre os hábitos de consumo do brasileiro. O levantamento apontou que 43% dos homens entrevistados consideram-se “supervaidosos”. “Quando questionados sobre o que significa a vaidade masculina, a maioria dos homens respondeu que ela está ligada à valorização da autoestima e ao cuidado com a saúde e o bem-estar”, comentou Raul Porto, executivo da Qualibest, em um workshop sobre o mercado masculino, promovido pela Abihpec.
 
   A pesquisa da Qualibest revela que 54% dos entrevistados frequentam regularmente salões de beleza e barbearias. Entre as curiosidades apontadas pelo levantamento está o aumento da procura por produtos específicos, como maquiagens com efeito corretivo, cremes depilatórios para o corpo e novos itens para o cuidado da barba.
   Vale ressaltar que os hábitos de consumo dos homens brasileiros também estão alavancando serviços – como as novas barbearias, totalmente repaginadas – e impulsionando a criação de sites especializados, que oferecem não apenas a venda de produtos, mas também conteúdos relevantes ao universo masculino.

 

Lançamentos e inovações

  A Granado oferece aos consumidores a linha Barbearia, composta por espuma e sabonete de barbear e balm pós--barba. Os produtos são ricos em extratos vegetais, que hidratam, refrescam e não irritam a pele. Por conta disso, são indicados para todos os tipos de pele, inclusive as mais sensíveis. Sissi Freeman, diretora de marketing e vendas da Granado, destaca a performance do Sabonete de Barbear: “ele é ideal para homens que gostam de fazer a barba durante o banho ou na sauna. A cremosidade da fórmula permite um barbear confortável, sem agredir a pele, e previne o envelhecimento por meio da ação hidratante, proporcionada pela manteiga de murumuru”.

A empresa apresentará novidades em breve. Estão previstos para setembro os seguintes lançamentos: Shampoo Cabelo, Barba e Bigode, Gel Esfoliante, Condicionador Leave-in paraBarba, Cera Modeladora e Colônia. “Nosso grande desafio é alcançar as necessidades específicas desse público, pois, quando o homem encontra um produto e este cumpre o que promete, ele se torna um cliente fiel. Outro desafio é chamar a atenção do público masculino em um universo tão voltado ao sexo oposto. Muitas vezes, quem tem o poder de decisão da compra é o seu cônjuge. Por isso, além da especificidade, precisamos conquistar não só o homem, mas quem costuma comprar os produtos para ele”, diz Sissi.
 
  A Grecin comercializa quatro linhas de produtos no Brasil: Grecin Tons de Grisalho, Grecin 5 Barba e Bigode, Grecin 5 Shampoo Color e o tradicional Grecin 2000, loção que escurece gradualmente os fios brancos.O Grecin Tons de Grisalho é indicado para as pessoas que gostam do visual grisalho, mas que começam a se sentir incomodadas pelo excesso de fios brancos. A variante Grecin
5 Shampoo Color age apenas nos fios brancos, sem mudar a cor natural dos cabelos que ainda estão escuros – o que possibilita um resultado mais natural. O Grecin 5 Barba e Bigode foi desenvolvido especialmente para os pelos mais grossos e resistentes da região. O kit vem com uma escovinha aplicadora, permitindo que o usuário aplique somente onde achar necessário.
  Para a Grecin e outras empresas ouvidas para a reportagem, manter canais de comunicação com os consumidores – o que inclui participação ativa em redes sociais, sites e blogs – é essencial. Os homens encontram na internet a praticidade e agilidade que tanto apreciam. “Além da tradicional mídia direta, a Grecin recentemente apostou em novas mídias e campanhas interativas, nas quais os usuários testaram o produto para barba, fizeram os vídeos e postaram, comentando os resultados e mostrando o ‘antes e depois’. Além disso, temos uma interação constante com o consumidor por meio de nossos canais de atendimento, blogs, sites e outros espaços nos quais marcamos presença com dicas e tutoriais”, comenta Priscila Ariani, gerente de marketing da Grecin.
   Apesar de o mercado masculino ser muito menor que o de produtos femininos, ela aponta que o consumo de produtos masculinos cresce em maior velocidade. “Entre diversos estilos, como o metrossexual de uns 15 anos atrás, passando pelos lumberjacks, hipsters, yuccies [young urban creatives] e todos os diversos visuais que aparecem por aí, os homens estão mais confiantes em assumir sua vaidade. Conscientes de que sua pele e seus cabelos são diferentes dos das mulheres, os homens começam a perceber que não basta pegar o produto feminino e que há maneiras mais apropriadas para se cuidar”, afirma Priscila.
  Ela ressalta que as lojas se prepararam para esse novo consumidor, organizando os setores de cuidado masculino e facilitando a compra. “A tendência é que o mercado continue aquecido e crescendo, com cada vez mais novidades e segmentações”, acrescenta.
 
   O portfólio da L’Occitane au Brésil para o público masculino conta com a linha Araucária – dividida em Araucária e Araucária Poente – e a Cumaru, que chegou ao mercado em julho. A marca também tem a linha unissex Capim-Limão. No total, são 17 itens exclusivamente masculinos e outros sete da Capim-Limão. “Olhamos com muito carinho para este público e buscamos sempre trazer produtos com ingredientes inusitados e embalagens inovadoras. Além disso, praticidade é fundamental”, diz Patricia Braga, diretora de marketing e comunicação da L’Occitane au Brésil.
  A prioridade da marca, no que diz respeito aos homens, é apresentar itens que facilitem a rotina de cuidados. “Por isso unificamos o Shampoo e o Sabonete Líquido Araucária, transformando-os no prático Shampoo Cabelo e Corpo. A linha Cumaru também traz um Shampoo Cabelo e Corpo e outras inovações nas formulações de produtos para a barba, que facilitam o ritual de barbear, diminuindo e prevenindo a vermelhidão, e as irritações causadas pela lâmina”, ressalta.
 
  A Fragrância Amber, lançada recentemente pela Mahogany, tornou-se rapidamente um dos itens mais vendidos da marca. O sucesso se deve à estratégia elaborada para o público, que envolveu posicionamento de preço, imagem e família olfativa. A Mahogany oferece 25 itens masculinos. A linha Mahogany For Men é a mais tradicional. Dentre os itens está o Sabonete Triativo Trium, que, além do uso corporal, é indicado para fazer a barba e lavar os cabelos. “Cada vez mais, a Mahogany tem em suas lojas consumidores atentos às oportunidades e que buscam uma excelente relação preço-qualidade”, destaca Brian Drummond, gerente de marketing da Mahogany.
 
  Os homens encontram um espaço exclusivo nas lojas da marca, com produtos para barba, corpo e cabelos, além de fragrâncias. A ideia é conferir objetividade e praticidade à experiência de compra. “Tendências apontam para produtos cada vez mais funcionais e efi cazes – já que o público masculino não costuma ter um produto para cada tipo de cuidado – assim como itens voltados ao cuidado com a barba e ao envelhecimento precoce”, completa o executivo.
  Diego Costa, gerente de marcas de perfumaria de O Boticário, aponta que os produtos da marca falam “de homem para homem” com os consumidores. Informações referentes à utilização e aos atributos são passadas de forma simples, direta e didática. “Em maio, complementamos a linha Men, uma das nossas principais marcas masculinas, com o lançamento de Men Only, que trouxe quatro novos itens ao portfólio. Depois de pesquisar e estudar os hábitos do consumidor masculino, que não está acostumado a longos rituais de beleza, decidimos apostar em itens cuja proposta é atender às suas necessidades da forma mais prática possível”, diz o gerente.
 
   As linhas masculinas de O Boticário são divididas em perfumaria e cuidados pessoais. As principais marcas são Malbec, Zaad, Quasar, Men, Styletto, Arbo, Egeo Man, Coffee Man, Portinari, Uomini, Dimitri, Connexion e Galbe. Ao todo, são mais de 100 produtos destinados ao público masculino.
  “Pesquisas de mercado apontam que, entre os homens, assumir a vaidade não causa mais embaraço. Esse novo comportamento
masculino não é apenas uma onda. Ele veio para ficar. E isso, é claro, impacta no nosso negócio. Os homens consomem produtos de beleza, e valorizam esse cuidado, não apenas por estética, mas como forma de inserção social,  nos trazendo diversas oportunidades para investir no mercado masculino”, argumenta.
  Ele também atenta para as diferenças de pele e cabelos entre homens e mulheres. “O mercado costuma utilizar a mesma formulação de produtos femininos para os homens, mudando a fragrância. O Boticário saiu na frente, desenvolvendo produtos pensados para as necessidades do homem. O hidratante para o corpo de Men Only, por exemplo, foi pensado com base nas particularidades da pele masculina, pois garante uma secagem ultrarrápida, sem grudar nos pelos. Outro desafio foi acertar na equação multifuncionalidade + resultado eficaz, para oferecer praticidade e garantir a eficácia e os benefícios do produto”, salienta.
  Além dos multifuncionais, ele acredita que a tendência é apostar em matérias-primas exóticas na perfumaria masculina, “como o álcool vínico macerado em barris de carvalho francês, encontrado no Malbec Noir, o couro e âmbar do Men Only e asespeciarias do Zaad Vision”.

 

A vez dos barbudos

   As barbas estão de volta, em diferentes formas e texturas. Lumbersexual, hipster e hippie chic são algumas das designações relacionadas aos que ostentam barbas mais densas. Mas como os homens mantêm uma bela barba? Algumas marcas brasileiras surgiram justamente a partir das dificuldades vividas por essas pessoas.

  A Sobrebarba iniciou suas atividades em 2015, com sede no Rio de 

Janeiro. A marca foi criada por Samuel Tonin, “publicitário e barbudo”, e pela também publicitária Fernanda Kawazoe. Com dificuldade em encontrar produtos específicos para o cuidado da barba, Tonin costumava comprar itens importados.
 
  Os publicitários perceberam que muitas pessoas viviam o mesmo problema e resolveram fazer uma pesquisa, em diversas redes sociais, para conhecer as opiniões e experiências de outros homens com barba. Durante um ano, a participação ativa de mais de 20 mil seguidores foi fundamental para a criação e o desenvolvimento da marca. “As opiniões desses futuros consumidores ajudaram desde o desenvolvimento dos produtos, de acordo com as necessidades de quem cultiva a barba, até como deveriam ser as embalagens e essências”, diz Tonin.
 
  Os produtos foram desenvolvidos pela terceirista Di Fiorenna, levando em consideração o resultado das pesquisas de opinião e priorizando o uso de matérias-primas de origem vegetal. Os produtos – balm, shampoo, cera de bigode e óleo de barba – são divididos em duas famílias de essências: Jungle Boogie (refrescante e herbal, com óleos essenciais de erva mate, folhas de limão e tangerina) e Light My Fire (amadeirada, com óleos essenciais de cedro, vetiver e patchouly). Os produtos são comercializados por meio do site da empresa (www.sobrebarba.com.br), com entrega em todo o Brasil e em 300 pontos de venda.
 
   O shampoo e o óleo de barba, de ambas as essências, são os produtos mais vendidos. “O grande desafio no desenvolvimento dos produtos foi chegarmos a fórmulas que mantivessem a barba limpa e hidratada e ainda cuidassem bem da pele do rosto. O shampoo, por exemplo, não contém os tensoativos típicos de um shampoo convencional. No lugar, usamos o lauril glicosídeo, que é um tensoativo natural derivado do milho. Ele evita que a pele do rosto resseque e que, com o tempo, os pelos também fiquem ressecados. Além dos cosméticos, também existem os acessórios, como pentes de madeira, nécessaires e camisetas”, conta.
 
A empresa mantém um diálogo próximo com seu público, como em uma “conversa entre amigos”, diz Tonin. Juntos, Twitter, Facebook, Instagram e Snapchat somam mais de 80 mil seguidores da Sobrebarba. A preocupação com conteúdo e interatividade também está presente no site da marca.
 
  Para Rafael Proença, criador da Barba Brava, cultivar a barba pode ser uma tendência passageira para algumas pessoas, enquanto para outras é um estilo de vida. “Os cuidados precisam ser diários e com produtos específicos”, ressalta Proença, que usa barba há dez anos.
 
  Ele também decidiu apostar na criação de uma marca a partir de suas necessidades pessoais. “Comecei a experimentar alguns importados e então decidi criar a minha própria marca e produzir esses itens no Brasil, para atender outros barbudos”, diz. Com sede em Curitiba, a empresa – inaugurada em 2015 – “tem como missão apoiar o estilo de vida do homem que usa barba, por meio de produtos premium e de alta qualidade”, informa a Barba Brava.
 
  Com fabricação terceirizada, a empresa comercializa shampoo para barba, óleo e balm. As vendas são feitas pelo site (www.barbabrava.com.br) e por revendas espalhadas pelo Brasil. O objetivo de Proença é ampliar a presença da marca no país, “com ao menos um ponto de venda em cada
capital brasileira”.


Inovações e tendências
 

                         
Conheça as características das formulações, os destaques em matérias-primas e os benefícios mais apreciados por eles em cosméticos e perfumaria
 
 
   Praticidade, multifuncionalidade, sensação de frescor e toque seco são alguns dos atributos valorizados pelos homens, que aos poucos estão incorporando novos hábitos à rotina de cuidados com a aparência. As particularidades da pele e dos cabelos masculinos, somadas às suas demandas e tendências comportamentais, sinalizam diversas possibilidades de inovação
para o setor.
 
    A estrutura da pele masculina é idêntica à da feminina. No entanto, a composição hormonal e os fatores que determinam o seu envelhecimento são diferentes. A pele do homem é mais espessa e oleosa, e envelhece em ritmo mais lento, graças à maior produção de fibras elásticas e de colágeno.
   Nos homens, a pele apresenta maior quantidade de glândulas sebáceas, e estas trabalham mais ativamente (50% a 60% a mais em relação às mulheres), estimuladas pelo hormônio testosterona. Essa característica gera mais oleosidade e evita o ressecamento. Por outro lado, a pele masculina é mais propensa ao aparecimento da acne.
 
   Há presença de folículos pilosos com pelos terminais e poros mais abertos. O homem ainda possui uma camada córnea mais espessa, localizada na epiderme, que age como uma barreira de proteção, impedindo a perda de água e de outros nutrientes. Quanto ao ato de fazer a barba, ao mesmo tempo em que essa rotina pode ser agressiva para a pele, ela realiza uma espécie de esfoliação mecânica. “Isso contribui para uma se faça uso de produtos adequados no processo pós-barba”, comenta o farmacêutico-bioquímico Alberto Keidi Kurebayashi, diretor da Protocolo Consultoria. A pele masculina varia entre oleosa, sensível, seca e mista, mas essas diferenciações não são tão acentuadas como nas mulheres.
 
   O cabelo do homem é mais encorpado e menos poroso do que o da mulher. Assim como a pele, os fios também são mais oleosos, o que aumenta a necessidade de cuidados para evitar desconfortos – como a caspa – e garantir a sensação de limpeza e refrescância.


Atributos valorizados

  Para Cristina Untem, gerente de marketing da Sarfam, as características que diferenciam a pele masculina da feminina favorecem a elaboração de uma diversificada gama de produtos, “principalmente para tratamento de acne, redução de poros e renovação celular. As formulações podem apresentar características sensoriais com after-feel mais seco, rápida absorção e efeito visual mate. A pele masculina também tem maior fluxo sanguíneo e sofre maior sudorese, apresentando rápida desidratação. A hidratação focada de acordo com a fisiologia da pele e o controle da sudorese com o uso de antitranspirantes, cada vez mais eficazes, são oportunidades para este mercado”.
  A farmacêutica Cláudia Coral, vice-presidente da Galena, ressalta que, além do maior cuidado com a pele, “o homem moderno também se preocupa com o cabelo e a barba”. “Formulações simples e práticas para o dia a dia, como para o crescimento capilar ou a redução da queda e o condicionamento da barba, estão ganhando a atenção masculina”, diz.
  Em linhas gerais, formulações para produtos masculinos devem apresentar sensorial mais seco, fácil “espalhabilidade” e ajudar a combater os problemas causados pela oleosidade, como acne, caspa, queda capilar e mau odor. Em produtos pós-barba,propriedades cicatrizantes e calmantes são bem-vindas.
 
 “O frescor é sempre buscado pelos homens, pois passa uma sensação de limpeza profunda e relaxamento. Os produtos relacionados ao barbear devem sempre buscar essas características. Se falarmos de desodorantes e
antitranspirantes, o sensorial seco, sem manchas para as camisas, sem irritação e com proteção prolongada contra o mau odor, assim como a multifuncionalidade, também são importantes”, aponta Marco Resende, gerente da Unidade de Negócios de Cosméticos da MCassab.
  Kurebayashi lembra que os cabelos dos homens apresentam, em sua maioria, tendência à oleosidade, o que favorece o aparecimento da caspa. “Por essa razão, shampoos de limpeza com agentes de combate à caspa e ação refrescante são bem-aceitos. Como o uso de condicionador não é comum entre os homens, há a necessidade de se trabalhar bem a formulação dos shampoos, de modo que promovam uma limpeza adequada e condicionem os cabelos sem deixá-los pesados e oleosos, evitando o efeito build-up”, diz. “Em formulações para styling, o sensorial deve ser sem pegajosidade e oferecer um efeito duradouro, mas com
aspecto natural”, aponta Cristina, da Sarfam.
 
  Beatriz Fabbrini, gerente de marketing da Chemspecs, ressalta que é preciso observar cuidadosamente a quantidade de carga
oleosa nas formulações. “Isso vale para a concepção de produtos que equilibrem limpeza e hidratação perfeitamente, no caso de shampoos ou sabonetes líquidos, ou proteção e leveza, quando nos referimos aos hidratantes faciais, por exemplo.”
  Produtos que oferecem múltiplos benefícios estão diretamente relacionados à praticidade. A maioria dos homens não cultiva o ritual de limpar, tonificar e hidratar a pele, realizado pelas mulheres diariamente. É requisito importante, portanto, oferecer um único produto que atenda a vários propósitos. “Uma loção pós-barba antisséptica, refrescante, hidratante e antiaging é um exemplo de produto que atende ao aspecto da multifuncionalidade”, comenta Kurebayashi. 
Ele acrescenta que a embalagem é tão importante quanto o conteúdo do produto. “Elas devem ser sóbrias. Cores como azul, preto e prata são bastante utilizadas. Hoje existe uma preocupação do homem em relação às rugas e bolsas ao redor dos olhos. Produtos que combatam esses problemas têm grande procura. Ativos como peptídeos, ativos naturais e vitaminas são utilizados nesses produtos”, sintetiza o consultor. “Produtos para cabelos grisalhos, como os shampoos com tintura semipermanente, têm seu espaço entre o público sênior”, completa.
  

 

Tendências de mercado

   Inovações em produtos para o combate de olheiras, sinais de expressão e acne devem atrair a atenção desses consumidores, que estão mais conscientes e preocupados com a saúde da pele. “Essas inovações precisam atender, principalmente, aos aspectos sensorial e multifuncional”, diz Kurebayashi.
 
 
  A adesão aos cavanhaques e às barbas longas, somada ao surgimento de barbearias modernizadas e com apelo vintage, aumenta a demanda por produtos específicos para a higiene e o cuidado da barba, como shampoos, condicionadores, óleos e produtos modeladores para barba e bigode. Linhas para tratamento facial e capilar também devem ter maior relevância, como hidratantes e finalizadores com efeito mate.
 
 
   Para Cristina, da Sarfam, devem ganhar força os movimentos “neorretrô”, nos quais a aparência revive momentos consagrados em outras décadas, e produtos como BB e CC creams – por enquanto, estes dois últimos aparecem como tendência em países asiáticos e europeus. “Nos homens, a região dos olhos tem um contorno mais marcado em relação às mulheres, e as marcas de expressão são visualizadas com maior clareza. Produtos para a região dos olhos são uma excelente oportunidade para iniciar uma nova rotina de tratamento eficaz. Afinal, o hábito de tratar a pele ainda está sendo arquitetado pelo público masculino”, ressalta.
 
 
  Formulações com sensorial hidratante, macio e seco são fundamentais para o cuidado da pele, bem como o dos cabelos, da barba e do bigode. “No caso de shampoos, é necessário que a formulação tenha um ótimo poder de limpeza, acrescido de ingredientes extraordinários que mantenham a maciez, o brilho e a hidratação dos fios”, aponta Andrea, da MCassab.
 
 
   Para Renata, da Croda, o “modo de sobrevivência” em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, o narcisismo fomentado em redes sociais e a combinação de tradição e exploração de gênero – feita pelos homens mais jovens – são tendências que estão guiando os lançamentos globais.
 
 
   “Sem dúvida, a tendência dos ‘gym-addicted’ – ou viciados em esportes e vida saudável – mudará completamente a forma de comprar, com claims destacados e mix de produtos com mais ingredientes para estrias, gordura localizada, reposição de aminoácidos e proteínas para hidratação, além de itens funcionais como filtros e fixadores que não escorrem com o suor”, acrescenta.

 

Produtos

 

 
 
 
 
 
 
Simplicidade e funcionalidade são atributos valorizados por eles, assim como soluções eficazes e que acrescentem praticidade ao dia a dia.
Para atender aos novos hábitos e às expectativas desses consumidores, fabricantes investem em tecnologia e ativos de alta performance.
Confira alguns destaques da indústria.
 
 
  ___      ALMANATI      ______________________________________________________________                    
      A Almanati, empresa brasileira de cosméticos 100% naturais, com alta concentração de ingredientes orgânicos e biodinâmicos, apresenta uma linha completa desenvolvida especialmente para os homens. Os produtos possuem, como ingrediente principal, a mais pura Aloe Vera e contam com fórmulas suaves, que hidratam e proporcionam maciez e nutrição para a pele e cabelos masculinos. Outras duas matérias-primas poderosas presente na linha são: Copaíba, uma árvore nativa da América Latina. De sua casca se extrai um óleo-resina que possui inúmeras propriedades terapêuticas para a pele; como ação cicatrizante, anti-flamatória, antibiótica e antimicótica. Alfabisabolol, princípio ativo de origem natural extraído das cascas de uma árvore brasileira chamada Candeia. Possui profunda ação anti-flamatória, bactericida, calmante e cicatrizante.

Tônico Capilar: 

Rico em Aloe vera, Jaborandi, Hamamélis e Óleo Essencial de Alecrim, oferece nutrição ao couro cabeludo, reduzindo a caspa, a coceira - causada pela oleosidade - e a queda dos fios. Contribuí para o crescimento de cabelos mais fortes e com mais brilho.

Shampoo: 

Rico em Aloe Vera, Calêndula e Proteína Hidrolisada de Trigo. Proporciona um tratamento cosmético natural ao couro cabeludo e à fibra capilar, mantendo os cabelos limpos, macios e hidratados
.

Creme Facial:

Com fórmula inovadora sem água, o creme hidratante combina Aloe Vera, Calêndula e Betaína, que juntos promovem hidratação e maciez da pele. Contém ainda óleos de gergelim, amêndoas, jojoba e manteiga de cupuaçu, garantindo uma pela mais nutrida.

Gel Pós-Barba:

Combina Aloe Vera, Copaíba, Hamamélis e Alfabisabolol. Garante uma ação calmante, refrescante e hidratante.
 
 
 

Sugestões em matéria-prima
 
O portfólio da Chemspecs oferece o mentol, agente refrescante, o bisabolol e a alantoína, que são ativos anti-inflamatórios muito utilizados em produtos pós-barba. Beatriz também destaca o d-pantenol, que atua como agente regenerador e hidratante da pele; as vitaminas A e E, com ação antiaging e antioxidante, respectivamente; e o ácido azelaico, agente regulador de oleosidade, voltado a combater a acne e as manchas da pele.

Andrea Adams, gerente de desenvolvimento de Especialidades Cosméticas da MCassab, destaca algumas especialidades das representadas Kahlwax, Contipro Biotech, Gulbrandsen e IQL Lasem. O Kahlwax 5115, da fabricante alemã de ceras vegetais Kahlwax, é um blend de cera de arroz e de cera da fruta colombiana myrica (encontrada nos alpes andinos), que modifica a textura de emulsões voltadas para a pele masculina. “O ativo doa um sensorial hidratante e macio às formulações, com um grande diferencial: zero residual graxo”, diz.  Com aplicação em produtos capilares e de styling para cabelos, barba e bigodes, o Kahlwax 6279L provém da cera da fruta colombiana mencionada anteriormente. “Naturalmente extraordinária, a myrica possui um baixo ponto de fusão, doando sensorial de derretimento para a formulação entre os dedos, o que facilita a aplicação nos cabelos. Ao mesmo tempo, ela doa alta dureza para as formulações, contribuindo para estabilizar a fase oleosa de emulsões e pomadas capilares”, afirma Andrea. As duas características do ativo impactam diretamente na textura dos produtos acabados. “O Kahlwax 6279L também contribui para aumentar a maciez dos cabelos, pois possui propriedades condicionantes”.   A Contipro Biotech tem expertise na fabricação de ácidos hialurônicos de alta pureza, testados in vivo e in vitro. A empresa produz ácidos hialurônicos com diferentes pesos moleculares, para atender às necessidades da pele masculina. Andrea chama atenção para as tecnologias Hysilk e Hyactive. Hysilk é um ácido hialurônico de baixo peso molecular, que hidrata a pele e reduz em 20% a sua oleosidade. Ácido hialurônico de baixíssimo peso molecular, o Hyactive reduz a densidade das rugas de expressão e contribui para o fechamento dos poros. A Gulbrandsen é uma fabricante de ativos antiperspirantes que apresenta duas inovações para o cuidado da sudorese masculina: Achieve Aero+ e Dry On +. Ativo antiperspirante de alta eficácia, baixo residual e baixa concentração de alumínio, o Achieve Aero+ foi especialmente desenvolvido para sistemas aerossóis. Ele reduz em 30% a sudorese, quando comparado ao cloridróxido de alumínio comum. Testes comprovaram a sua eficácia em 24 horas e em 48 horas de uso. O ingrediente não deixa residual branco nas roupas. O Dry On + é um ativo antiperspirante de alta eficácia, desenvolvido para sistemas roll-on e que reduz a sudorese em 40%. A matéria-prima Emolid CC, da espanhola IQL Lasem, é um éster 100% vegetal, desenvolvido para peles sensíveis e para a hidratação dos fios. O ingrediente oferece um sensorial levemente aveludado durante a aplicação do produto na pele e nos cabelos, com residual final totalmente seco. É indicado para a aplicação em produtos pós-barba.

O Redensyl é um dos destaques da Sarfam em tratamentos antiqueda capilar. O ingrediente atua nas células-tronco do bulbo capilar, ativando o crescimento e a redensificação do fio. “Testes clínicos in vivo revelam que o ativo possibilita melhor reparação, na comparação com um tratamento estético de implante, para o tratamento da alopecia. Ele proporciona de 10.000 a 28.200 novos fios. A fibra capilar é fortalecida e apresenta melhor qualidade estrutural assim o ciclo de vida folicular se prolonga, mantendo-se na fase anágena e catágena por mais tempo”, aponta Cristina. A Sarfam também oferece o Questice Plus, ativo tecnológico que proporciona ação cooling imediata e mantém refrescante por até seis horas, a experiência sensorial para produtos masculinos é um fator chave no desenvolvimento de produtos masculinos. Para o controle da oleosidade, já que a textura da pele masculina pode apresentar maior oleosidade por fatores hormonais, nós indicamos o Unitrienol T-272 WSL Hidrossolúvel, uma composição completa para equilibrar o nível de oleosidade, sem causar efeito rebote.

 

 

 


Sou fornecedor de matéria-prima e quero contibuir com esta matéria

Sou fabricante de produto acabado e quero contibuir com esta matéria
 

2018- Tecnopress Editora Ltda
Todos os direitos reservados

 

Matérias relacionadas:

A volta dos cachos

Erica Franquilino

Novos Produtos