19 de Outubro de 2018

Asianification

Edicao Atual - Asianification

Editorial

Nossas travessias

O final de um ano traz consigo as reflexões sobre o que passou e sobre o que se pode esperar do novo ciclo que começará. No balanço que cada um faz da própria trajetória, o otimismo está sempre presente. Não importa o tamanho da empreitada que se tem pela frente: tendemos a acreditar que tudo vai dar certo.

No que se refere à economia, pensamos que o pior da crise já passou e as expectativas de recuperação têm melhorado, mas não há como nos livrar do cenário de recessão em 2017, principalmente, com os ventos incertos vindos do norte com a eleição de Donald Trump, e das paragens de Curitiba onde impera a Lava Jato. De qualquer forma, o momento é de paciência e cautela.

Pesquisa da Deloitte, feita com 746 organizações, aponta que a expectativa é de aumento da receita líquida somada dessas empresas de 8,3% em 2017, enquanto a projeção de alta nos investimentos é de 5%. O levantamento indica que novos aportes deverão ser feitos apenas para manter a atividade e a estrutura das companhias, que atualmente trabalham com alto índice de ociosidade.

É fato que se não estamos em nossos melhores dias, já vivemos outros bem piores. Entrar em crises e sair delas, além de ser um movimento do cenário econômico que o brasileiro conhece bem, é também um traço comum a todos nós.

Esta edição de Cosmetics & Toiletries Brasil aborda, na seção Enfoque, a tendência Asianification. Marcas de beleza asiáticas estão se tornando fonte de inovação e inspiração para outros mercados do mundo e impulsionando lançamentos em maquiagens e produtos para o cuidado da pele, desenvolvidos por grandes marcas de cosméticos. A seção Persona apresenta a trajetória de Ada Mota, criadora da Adcos.

Os artigos técnicos abordam o clareamento da pele, os produtos de higiene feminina, a avaliação de segurança de cosméticos, o uso de azeite de oliva em cosméticos e um método analítico rápido para identificar preservantes alergênicos em cosméticos. Nesta edição concluímos a série Bioengenharia Cutânea, com técnicas de biofísica e imagens da pele em pesquisa clínica.

Boa leitura!

Hamilton dos Santos
Publisher

Agentes de Clareamento de Pele - Howard I Maibach (University of California School of Medicine, San Francisco, CA, EUA) e Michal WS Ong (King´s College, London, Reino Unido)

Razões diversas levam o consumidor a procurar a despigmentação da pele. Os primeiros despigmentantes datam dos anos 1930. Neste artigo os autores descrevem recentes tratamento/ativos lançados nos últimos 5 anos.

Varias razones llevan al consumidor a buscar la despigmentación de la piel. Los primeros aclaradores datan de la década de 1930. En este artículo los autores describen recientes de tratamiento/activos disponibles a partir de los últimos cinco años.

Various reasons lead the consumer to seek depigmentation of the skin. The first depigmentants date back to the 1930s. In this article the authors describe recent treatment/assets released in the last 5 years.

Comprar

Produtos de Higiene Feminina - Luigi Rigano (Studio Rigano Industrial Consulting Laboratories, Milão, Itália)

Ao serem formulados produtos de cuidados pessoais para manter a higiene da área genital externa, especificamente a genitália feminina, tais produtos precisam ter atributos diferenciados. Devem abordar a complexa anatomia da genitália feminina, elementos fisiológicos e seu papel no metabolismo corporal, além das funções reprodutivas.

Cuando productos de cuidado personal están formulados para mantener la higiene del área genital externa, específicamente los genitales femeninos, deben tener características distintivas. Estos productos deben abordar la anatomía compleja de los genitales femeninos, los elementos fisiológicos y el papel en el metabolismo corporal y las funciones reproductivas.

When personal care products are formulated to maintain the hygiene of the external genital area, specifically the female genitalia, they must have distinctive characteristics. These products must address the female genitalia´s complex anatomy, physiological elements and role in body metabolism and reproductive functions.

Comprar

Avaliação de Segurança de Cosméticos: Estado da Arte - Flávia Addor (Medcin Pesquisa, Osasco SP, Brasil)

As reações adversas, mesmo de leve intensidade, podem causar danos à imagem do produto e prejuízos financeiros ao fabricante. Neste artigo, a autora discorre sobre a adequada avaliação de segurança do produto cosmético abordando a avaliação dos ingredientes, os estudos de compatibilidade do produto com a pele do usuário e os estudos de condição de uso.

Las reacciones adversas, incluso leves, pueden causar daños a la imagen del producto y pérdidas financieras para el fabricante. En este artículo el autor elabora sobre la adecuada evaluación de la seguridad de los productos cosméticos, con énfasis en la evaluación de los ingredientes, en los estudios de compatibilidad del producto con la piel e en los estudios de condición de uso.

Adverse reactions, even mild, can cause damage to the product image and financial losses to the manufacturer. In the article the author comments the proper safety assessment of the cosmetics product, addressing the evaluation of ingredients, product compatibility studies with the user´s skin and the use condition studies.

Comprar

Uso do Azeite de Oliva em Cosméticos - Isabele Grabher, Maria Inês Harris (Instituto Harris, São Paulo SP, Brasil)

O azeite de oliva é um óleo extraído da azeitona, fruto da oliveira (Olea europaea L.). Este trabalho teve a finalidade de investigar os parâmetros toxicológicos do ingrediente e as possíveis adulterações e contaminações do produto final e do meio ambiente, dada a sua aplicabilidade cosmética. Para isso, levantamentos bibliográficos foram realizados com o objetivo de utilizar um ingrediente que fosse seguro para o consumidor e para o ambiente.

El aceite de oliva es un aceite extraído de la aceituna del olivo (Olea europaea L.). Este trabajo tuvo como objetivo investigar los parámetros toxicológicos del ingrediente, es posible adulteración y contaminación del producto final y el medio ambiente debido a su aplicabilidad cosmética. Por esta busquedas bibliograficas se realizaron con el objetivo de utilizar un ingrediente que era seguro para el consumidor y el medio ambiente.

Olive oil is an oil extracted from the olive, fruit from olive tree (Olea europaea L.). This work aimed to investigate the toxicological parameters of the ingredient, possible adulteration and contamination of the final product and the environment, due to its applicability in cosmetics. For this, literature surveys have been conducted with the goal of using an ingredient that is safe for the consumer and the environment.

Comprar

Identificação de Conservantes Alergênicos por MS - Soraya El Khatib, Rosana M Alberici, Renan S Galaverna, Pedro H Vendramini, Jose LP Jara, Marcos N Eberlin (Laboratório Thomson de Espectrometria de Massas, Instituto de Química Universidade Estadual de Campinas, Campinas SP, Brasil)

As técnicas utilizadas para avaliação dos ingredientes conservantes alergênicos em formulações cosméticas apresentam baixa reprodutibilidade e especificidade, são demoradas e muitas vezes incluem testes em animais. Neste trabalho, propomos o uso da técnica de espectrometria de massas (MS) para identificar diversos componentes alergênicos em formulações cosméticas.

Las técnicas corrientes para evaluar los conservantes ingredientes alergénicos los cosméticos tienen una baja reproducibilidad y especificidad, requieren mucho tiempo y con frecuencia incluyen la experimentación con animales. En este trabajo, proponemos lo empleo de la técnica espectrometría de masas (MS) para identificar una amplia variedad de componentes en formulaciones cosméticas.

The techniques commonly used for the analyses of allergenic ingredients in cosmetic products are usually laborious, time consuming, display low accuracy and reproducibility, and require animal tests. Herein we propose the use of a mass spectrometry (MS) technique to characterize several cosmetics formulations.

Comprar
John Jimenez
Tendncias por John Jimenez

Retrogrooming

Um dado recentemente publicado por uma conhecida casa de tendncias indicou que a categoria de mens grooming movimentar US$ 166 bilhes em 2022, e considerando que apenas 22% dos homens usam produtos para cuidados da pele, este segmento um dos que tm maior oportunidade de crescimento.

O termo metrossexual foi usado pela primeira vez por Mark Simpson em 1994 em The Independent para fazer referncia a um segmento promissor do mercado.

Ubersexual, spornosexual, retrosexual, lumbersexual, hipster, yuccie e bloomers, entre outros, marcaram a evoluo da cosmtica em mencare ao longo dos anos. A verdade que agora estamos sendo testemunhas de como a barba, o bigode e as sobrancelhas so os novos protagonistas. Estamos diante do nascimento de uma nova tribo urbana?

Kahl Drogo in cream: como fazer a barba crescer mais rapidamente? Esta pergunta frequente em muitos pases, j que os homens querem ter uma barba mais longa o mais rapidamente possvel. Estamos vendo novas tecnologias cosmticas que aceleram o crescimento do pelo e que permitem criar conceitos inovadores. Tambm vemos vitaminas, protenas, cidos graxos e nutrientes em novos aplicativos faciais. Um recente estudo apontou que os nveis de testosterona, a chave para ter um bom crescimento da barba, mantm-se estveis se houver bom descanso. Menos estresse = mais barba.

Different mens beard styles: vemos uma grande diversidade de estilos em que os produtos cosmticos tm um papel chave para manter diversas formas e desenhos.

Classic beard: nem to longa, nem to curta, recomendada para aqueles que esto comeando a seguir a tendncia.

The fuller, longer beard: a barba muito longa pode funcionar quando bem-feita. O estilo exige algumas precaues para manter a barba de forma adequada.

The bushy beard: a barba espessa ideal para melhorar a forma do rosto e perfilar a mandbula.

The biker beard: a barba motociclista tem uma longitude extra na zona do queixo.

Shaved head & longer beards: diferentes estilos de cabea raspada e barba longa.

Slicked back hair & beard: cabelo alisado que combina com diferentes desenhos de barba.

Manscaping: tendncia relacionada depilao masculina. Este termo formado pela unio das palavras man (homem) e landscape (paisagem) e refere-se busca de esttica em diferentes reas. Uma conhecida marca global de cosmticos realizou uma pesquisa em vrios pases e descobriu que, enquanto um em cada cinco homens depila o peito, quase a metade deles depila a regio genital. Estamos vendo no mercado mquinas de barbear com acessrios especiais que se acoplam a diferentes reas junto com formulaes hidratantes, condicionadoras e inibidoras de pelo.

Back to the 70s: o pelo no peito voltou. Por outro lado, podemos ver que os corpos excessivamente depilados esto saindo de moda tal como indica uma recente publicao em The New York Times. Nas barbearias e nos sales de beleza, os homens continuam recorrendo depilao corporal em algumas reas, mas no no peito. Em cosmtica, estamos vendo produtos desenhados especialmente para manter em boa forma o pelo nesta rea.

Smart shaving machines: novos lanamentos de mquinas de barbear com conexo bluetooth do conselhos para a personalizao do barbeado e o desenho de estilos. Tambm mquinas com cooling technology, que esfriam a pele para diminuir a sensao de ardor e irritao e waterproof electric shavers, que podem ser submersas na gua ou usadas no banho sem problemas.

Nose app: indica quando se deve reaplicar o desodorante. Para utiliz-la, o usurio tem que ativar o aplicativo e colocar o smartphone perto de suas axilas. Este app sente o cheiro da axila e, por meio de um algoritmo que interage com uma base de aromas extrados de 4 mil homens voluntrios, indica se necessrio reaplicar o desodorante.

Bye bye monobrows: a chamada monocelha, bem como algumas espcies, est em perigo de extino. Estamos vendo no mercado modelos, depiladores e acessrios com desenhos anatmicos que mantm a forma natural da sobrancelha.

Facial hair care wipes: novos aplicativos de lenos umedecidos para o cuidado do cabelo e da barba com propriedades de crescimento capilar.

Fuzzy and frizzy beards: novos produtos que evitam o efeito frizz na barba. Sabonetes, espumas, condicionadores e leos com novos claims para o cuidado da barba so tendncia.

Pathogen resistance is sexy?: Um estudo recente, feito na Universidade de Louisiana, descobriu que os homens que vivem em lugares com maior prevalncia de agentes patognicos so considerados mais sexy, um dado interessante para os produtores de sabonetes ntimos.

Anti-grooming: Esta uma tendncia que vem forte para 2017 e surge porque os homens jovens usam o cabelo desordenado e sem lavar e, alm disso, renunciam ao uso de produtos bsicos como os hidratantes faciais e os cremes para pentear.

Retrogrooming: Muitas tendncias que vm e vo... Com certeza, os Neandertais e o personagem Bert, de Sesame Street, iriam se sentir representados.

Carlos Alberto Trevisan
Boas Prticas por Carlos Alberto Trevisan

Dia Mundial da Qualidade

No dia 10 de novembro foi celebrado o Dia Mundial da Qualidade, data comemorativa instituda pela Organizao das Naes Unidas (ONU).

Introduzido em 1990, o Dia Mundial da Qualidade comemorado toda segunda quinta-feira do ms de novembro, tem por objetivo mostrar a relevncia do tema para a produtividade e para a competitividade das organizaes, incrementando a conscientizao global com o fim de promover o crescimento e a prosperidade de todos os pases.

Como relativamente intuitiva, a adoo dos princpios de gesto da Qualidade garante a sobrevivncia das organizaes em pocas de incerteza e proporciona vantagem competitiva no caminho para o sucesso.

Devemos, porm, lembrar que a implantao do sistema da Qualidade apenas com o objetivo de obter certificao no recomendvel. Em vez disso, deve-se assumir que a implantao implica na modificao dos processos e dos sistemas, adotando-se o princpio da melhoria contnua.

Como tenho insistido exausto nesta coluna, a Qualidade somente obtida quando o processo envolve plenamente toda a organizao, abarcando seus componentes humanos.

A expresso Quem faz qualidade so pessoas deve sempre ser assumida como premissa, pois, caso contrrio, o sistema da Qualidade, quando for implantado, se o for, ser denominado qualidade de papel.

A nfase na efetiva participao e no comprometimento das pessoas so fundamentais para a real implantao do processo da Qualidade.

Por outro lado, para obter o comprometimento, no se deve deixar de considerar que este s se obtm com a motivao das pessoas.

Ao longo da minha atividade profi ssional, participando de processos de implantao de sistemas da Qualidade, raras foram as ocasies em que obstculos de natureza motivacional no foram detectados nas empresas durante a implantao efetiva e a prtica do sistema.

Sempre que dificuldades foram registradas, a procura das possveis causas indicou que pessoas participantes do processo no estavam se envolvendo adequadamente, ou seja, no estavam se comprometendo com ele. A pergunta era: Como motivar essas pessoas a participar do processo com entusiasmo e dedicao?

Propus algumas atividades que, no meu entender, poderiam facilitar a motivao das pessoas e, consequentemente, seu comprometimento e sua participao no processo.

Recorri aos ensinamentos da mestra Ceclia Whitaker Bergamini no seu livro Motivao nas organizaes, o qual eu recomendo aos meus poucos e fiis leitores. Ela diz que cada indivduo traz, de alguma forma, no seu interior, suas prprias motivaes e que com base nisso que as organizaes tm que agir para evitar que as pessoas no percam a sinergia motivacional. E Ceclia acrescenta que cabe ao gestor identificar essas motivaes internas e resgat-las em favor da organizao. Entretanto, em muitos casos, constatei a ausncia de lderes que pudessem exercer essa tarefa.

O lder motiva as pessoas. Por si s, um bom lder colabora e fica gratificado com a colaborao dos outros. O lder deve ter conhecimento do processo, ser capaz de definir os pontos de colaborao, identificar e fomentar iniciativas para que a colaborao acontea onde ela for mais necessria.

Uma avaliao ampla de como aplicar uma abordagem sistmica para a gesto o caminho para que a gesto da Qualidade seja realizada por toda empresa. Isso vai permitir a identificao de gargalos que impedem a introduo de planos de melhorias na organizao.

Caro leitor, espero que as empresas do nosso setor aumentem suas aes no sentido de atingir o pleno estgio da Qualidade, que elas passem a comemorar o Dia Mundial da Qualidade nos 365 dias do ano.

Wallace Magalhes
Gesto em P&D por Wallace Magalhes

Perfil profissional de P&D

De acordo com dados publicados pela Abihpec, a indstria de cosmticos brasileira, que, em 2006, investia 2,29% do seu faturamento ex-factory em P&D, investiu 3,76% em 2015. O investimento cresceu de 400 milhes para 1,6 bilhes de reais. Isso mostra a importncia do P&D quando existe a necessidade de competir em um mercado exigente e que se tornou ainda mais disputado com a entrada de produtos estrangeiros o que certamente foi motivado pela crise econmica internacional, que reduziu a possibilidade de crescimento do consumo na Europa e nos Estados Unidos, e chamou a ateno de fabricantes estrangeiros para o nosso mercado, que, mesmo com a crise atual, um mercado respeitvel.

Esta elevao de investimentos faz com que o profissional de P&D fique mais valorizado, o que aumenta proporcionalmente sua responsabilidade e as exigncias quanto sua formao e ao seu perfil. Qual o perfil ideal para este profissional? Alm de falar outros idiomas (ingls e espanhol, pelo menos) e conhecer bem as cincias bsicas, quais so as outras habilidades e competncias que ele deve ter?

essencial ter formao acadmica especfica e entender de cincia e tecnologia. Assim, ao estudar um mtodo analtico ou um protocolo, ele deve compreender integralmente seus princpios e fundamentos. Seus conhecimentos devem ser suficientes para que possa desenvolver a indispensvel habilidade de interpretar resultados. Na fase de desenvolvimento, as concluses no so obtidas por anlise linear e sim pela avaliao de um conjunto de evidncias. Isto exige conhecimentos slidos e atualizados. Para a avaliao de um ingrediente ou estudo cientfico, a mesma coisa.

Ele tambm deve compreender e dominar os parmetros que definem os trs atributos fundamentais de um produto: eficcia, segurana e estabilidade. importante que conhea metodologias para a verificao de cada um deles. Lanar um produto sem verificar objetivamente como estas grandezas se expressam uma forma equivocada sob todos os aspectos. Alm da fragilidade econmica e mercadolgica, existe a questo legal, que est bem configurada no Termo de Responsabilidade.

Conhecer formao de custo uma exigncia fundamental para que o profissional possa quantificar os ingredientes e recursos que sero usados. Um trabalho realizado sem controle de custo pode gerar perda de competitividade por inadequao de desempenho ou preo.

Conhecer gesto da informao outro pr-requisito, que, erroneamente, pouco considerado at pelas empresas. Uma linha com 150 produtos pode gerar at 5.000 documentos obrigatrios. Estas informaes precisam estar alinhadas, protegidas e acessveis. Alm de ser patrimnio, elas devem ser adequadamente compartilhadas para garantir o que se chama de conhecimento codifi cado e compartilhado, um dos pilares da inovao.

Pesquisa e desenvolvimento um trabalho complexo e normalmente envolve mais de um setor. Por isso, P&D exige trabalho em equipe e planejamento, tanto na parte laboratorial quanto nas interfaces com outros setores. A capacidade de se relacionar e de se expressar bem decisiva e indispensvel na definio de planejamento, na solicitao de recursos e na conduo do projeto. A capacidade de se relacionar bem ser decisiva tambm no contato com fornecedores. Ao trazerem informaes, eles podem se tornar aliados valiosos. Saber usar adequadamente estas informaes pode reduzir tempo e custos e aumentar sensivelmente as possibilidades de sucesso.

No mbito interno, o profissional de P&D deve se relacionar de maneira satisfatria e adequada com o pessoal da Qualidade e da Produo, porque o resultado final, aquele percebido pelo consumidor, depende de todos. Assim, conhecer os indicadores da qualidade e as peculiaridades da produo, adotando uma postura colaborativa faz com que os profissionais mais capacitados se destaquem.

Criatividade, persistncia responsvel e esprito inovador so atributos indispensveis ao bom pesquisador em qualquer rea de atividade, e no diferente na indstria de cosmticos. Espera-se dele sempre uma soluo nova, factvel e que agrade ao consumidor e que ser ainda melhor se for inovadora. Um pesquisador que s replica tecnologia entrega pouco empresa em que trabalha. Ele deve ter tambm interesse por novas tecnologias e capacidade para assimil-las.

Junte-se a tudo isso compromisso cientfico, responsabilidade regulatria, respeito pelo meio ambiente e sensibilidade social - esta ltima traduzida na percepo de que o bem-estar de pessoas e o valor da empresa dependem do seu trabalho.

Artur Joo Gradim
Assuntos Regulatrios por Artur Joo Gradim

Chega de Formol

A falta de uma regulamentao atualizada que permita a fabricao de produtos seguros para tratar os cabelos proporcionando seu relaxamento e ondulaes controladas as denominadas escovas progressivas , tem provocado uma srie de autuaes dos produtores que insistem em fabricar produtos com formol nas concentraes no indicadas para essas finalidades. Faz alguns anos que o consumidor tem sido alertado quanto aos malefcios que o formol traz sade.

As apreenses pelos rgos de vigilncia sanitria, nos termos da lei e dos regulamentos vigentes, so procedentes e esto sendo incrementadas em todo o pas. Nesses casos, no h o que justificar o infrator em sua defesa.

Por outro lado, a insistncia no uso do formol deve-se, ao fato de at o momento no ter sido atualizada a lista de ingredientes alternativos para essa finalidade. Essa atualizao iria ampliar o leque de ingredientes efetivos e seguros, se fossem utilizados em conformidade com a regulao, como o cido glioxlico e seus sais, que h muito tempo aguardam liberao da Anvisa.

A liberao do cido glioxlico consta na Agenda Regulatria de 2015/2016, da Diretoria Colegiada da Anvisa, porm at o momento no recebeu ateno por parte de seus membros e, como j estamos no final do ano, as chances de esse assunto ser lembrado so mnimas. Enquanto isso, por a rolam soltos os alisantes/relaxantes base de formol, com os quais os agentes de controle sanitrio dos estados, municpios e da prpria Anvisa, cada vez mais, tornam-se implacveis na sua caa no mercado e na autuao dos infratores.

Por que a Anvisa no atende a esse apelo, de interesse do setor? Ou por que deixa de justificar tecnicamente a no incluso do cido glioxlico e de seus sais na lista de ingredientes permitidos?

Esperar por uma reunio do Mercosul para que a Anvisa decidisse fazer isso seria um absurdo. O grupo desse mercado comum anda na velocidade de uma lesma numa corrida de obstculos e est impedido por outros entraves de ordem poltica e por barreiras no alfandegrias que seus demais pases-membros, utilizam para retardar exportaes brasileiras, protegendo suas dbeis economias.

Para aqueles mercados que aceitam produtos com o cido glioxlico, como a Unio Europeia, empresas brasileiras podem fabricar e exportar. Entretanto, isso no permite que esses produtos sejam usados no Brasil.

Um ingrediente ativo e prprio para a finalidade de alisamento capilar o Glyoxilic Acid (INCI name), uma alternativa segura para o formol, cujo uso permitido na Unio Europeia. A Unio Europeia a referncia regulatria para o Brasil bem como para o Mercosul, porm, at o momento, a Anvisa no concedeu a autorizao para uso desse ingrediente em um dos segmentos mais dinmicos do setor de HPPC.

Outros ingredientes esto sendo avaliados e se tornaro, em breve, novas alternativas ao formol, da mesma forma que o cido glioxlico. A verdade que no podemos ficar agurdando a boa vontade de nossos reguladores em promover a atualizao das listas de ingredientes seguros para essa finalidade, principalmente neste momento difcil de nossa economia, que exige, cada vez mais, criatividade nos lanamentos de produto.

A mulher brasileira ostenta, com seus cabelos, a maior expresso de vaidade e desejo quanto sua aparncia pessoal. Nem sempre essa consumidora est disposta a aceitar suas madeixas como elas so. Em geral, ela quer sempre deix-las mais expressivas com o uso de produtos com eficcia e segurana garantidas, produzidos e habilitados em conformidade com a regulao em vigor.

O Brasil detm o segundo maior mercado mundial de consumo de produtos capilares. Mais da metade de nossa populao feminina morena ou parda, com predominncia de cabelos encaracolados nem sempre assumidos, o que torna os produtos para sua modelao trmica, com esses ativos incorporados, os preferidos por elas.

A liberao dessa alternativa segura para uso em relaxamento e ondulaes controladas dos cabelos , principalmente, um ato pr-sade dos usurios dessa prtica cosmtica. voz corrente no mercado, que as novas alternativas propostas, por sua efetividade e por seu custo, eliminariam a utilizao paralela e no segura do formol, que, na prtica, seria gradativamente abandonada quando essas alternativas estivessem disponveis.

Esse seria um bom presente de Natal para as mulheres brasileiras.

Valcinir Bedin
Tricologia por Valcinir Bedin

Asianfication e tricologia

Um dos principais fatores de crescimento em beleza continua sendo a Asianfication o termo diz respeito crescente infl uncia da sia na inovao em beleza.

O veneno de abelha, o leite de burra e o Aloe vera, ingredientes aparentemente exticos, tm sido usados em produtos de beleza asiticos h muito tempo. Agora, as marcas asiticas que os utilizam em maquiagens, cremes, mscaras e soros encontram-se na vanguarda do negcio de beleza global.

As mulheres da Coreia, da China e do Japo so conhecidas por sua preocupao com os cuidados com a pele, pelo tempo gasto nessa tarefa e pelo costume de pesquisar sobre o tema.

Elas garantem que esto bem informadas sobre o que esto usando, tornando-se consumidoras exigentes porque esperam sempre o melhor.

Os meios de comunicao ocidentais consideram boa a sua pele se voc no tiver nenhuma flacidez, cicatrizes ou rugas. Em sociedades asiticas, isso muito mais rigoroso. Voc no pode ter nenhuma marca, nem mesmo uma sarda.

Outra tendncia de beleza que vem da Coreia o olhar ulzzang, um termo popular que significa melhor face ou boa aparncia. Isso envolve certas caractersticas, como pele mida e hidratada, olhos de cora e o look de lbios mordidos!

Quando falamos de cabelos, precisamos lembrar que os fios das pessoas asiticas so do tipo mongoloide, isto , a seco transversal da haste mostra uma rea quase circular, em contraposio queles do tipo caucasoide (forma mais achatada) e do tipo negroide (elipse).

O formato dos fios se d pela distribuio da queratina dentro do crtex da haste pilosa, e esta, por sua vez, tem o formato determinado geneticamente pela angulao do folculo em relao epiderme. Quando temos um ngulo de 90 com a epiderme, temos fios grossos e homogneos, como nos asiticos. medida que a inclinao varia, vamos ter os fios tomando forma anelada, at ficarem quase paralelos epiderme, no caso dos fios negroides.

A manuteno do formato da haste se d pela ao de pontes qumicas que seguram a queratina naquela determinada posio. So pontes de hidrognio, pontes salinas e pontes dissulfdicas. O cabelo mongoloide tem curvaturas estruturais muito menores quando comparado com o caucasiano. Isso faz com que ele fique mais resistente s agresses mecnicas ou qumicas.

Esta informao se torna mais importante quando falamos de tratamentos qumicos estticos aos quais eles so submetidos a fim de se adequarem moda do momento.

Quando se fala de contedo de aminocidos, no existem diferenas entres as vrias formas de cabelo, mas a disposio das pontes qumicas (salinas, de hidrognio ou bissulfidricas) que so responsveis pela estrutura final da haste, totalmente diferente, o que confere a forma especial desses cabelos.

As fibras do cabelo apresentam-se de forma cilndrica, o que d maior resistncia. As propriedades de tenso do cabelo mongoloide indicam que ele possui alta resistncia quebra quando comparado com os outros tipos.

A lubrificao, que dada pela produo das glndulas sebceas, nos cabelos asiticos apresenta, frequentemente, atividade aumentada em comparao dos caucasianos, e uma maior quantidade de lipdios secretada. Por apresentarem lubrificao aumentada, o couro cabeludo e os fi os so mais umectados.

Por conta do formato retilneo, os cabelos mais lisos ficam mais fortes e menos propensos quebra quando manipulados fsica ou quimicamente. Externamente, temos a cutcula do cabelo, que apresenta de seis a dez camadas, enquanto nos afrotnicos varivel, com seis a oito camadas (nos fios ou na parte deles com maior dimetro) e de uma a duas camadas (nas curvaturas das ondulaes e nos fios com dimetros menores). Isso faz com que as propriedades de tenso do cabelo asitico levem a maiores valores de fora necessrios para sua ruptura, quando comparados ao cabelo naturalmente encaracolado.

Talvez todas essas caractersticas tenham levado o mundo ocidental, h cerca de 10 anos, a procurar formas de alisamento que levariam transformao de qualquer forma de cabelos no chamado tipo asitico. Nesta poca, comeamos a ouvir falar de escovas progressivas com adjetivos como japonesa, coreana etc. A ideia sempre deixar os cabelos o mais liso possvel pelo maior tempo possvel com a menor agresso possvel.

Vrias matrias-primas foram desenvolvidas e experimentadas nestas tentativas de alisamento, e at hoje novas tcnicas e substncias continuam aparecendo no mercado.

Por outro lado, o que vemos no Oriente que algumas mulheres, principalmente as mais jovens, querem ter os cabelos de coloraes e formatos ocidentais. Especialmente no Japo, podemos ver jovens com cabelos de cores exticas, como rosa e lils, como os personagens das revistas em quadrinhos, os mangs.

A maioria dos especialistas concordam que, apesar dos obstculos que enfrentam, as principais marcas de beleza da sia comeam a se infiltrar nos mercados do Ocidente. Por meio da combinao de ingredientes antigos com a cincia avanada e marcas inteligentes, continuaro a moldar o comportamento do consumidor de l tambm.

Luis Antonio Paludetti
Manipulao Cosmtica por Luis Antonio Paludetti

Sem eira nem beira

ma das coisas mais interessantes nas redes sociais a possibilidade de formao de grupos. Diferentemente das linhas do tempo (timelines) e das pginas (fanpages), os grupos tm menor interferncia de anncios aleatrios e quase nenhum anncio pago embora muitos grupos tenham sido criados e depois tomados por empresas que anunciam um sem nmero de servios. Ento, a melhor coisa de um grupo o fato de ele ter foco em um determinado assunto ou segmento por ele representado.

Eu participo de alguns grupos relacionados farmcia magistral e, recentemente, um aspecto chamou minha ateno: a frequncia de perguntas sobre onde obter determinado insumo farmacutico. Como eu sei que a maior parte das equipes de marketing dos fornecedores tem uma grande preocupao com a atualizao constante de sua lista de produtos, passei a me perguntar o porqu disso.

Analisando os debates, os comentrios e as respostas dos participantes dos grupos, identifiquei algo que pode ser preocupante: muitas matrias-primas no esto mais sendo importadas porque os medicamentos industrializados que as utilizam no tiveram seus registros renovados.

Mas o que uma coisa tem a ver com a outra? Pois essa a pergunta que sempre me fao. Se uma substncia de uso teraputico terapeuticamente vlida, por que a sua importao deve estar condicionada existncia de um medicamento registrado no Brasil?

Vamos, ento, s possveis argumentaes.

O primeiro argumento - bem-sabido - que, ao longo da histria, diversos pases foram utilizados como verdadeiros campos para testes de substncias em larga escala em seres humanos. Esses procedimentos j foram divulgados pela mdia e inspiraram filmes como O Jardineiro Fiel.

Por isso, impedir que substncias sejam importadas sem o registro do medicamento no Brasil limita muito este procedimento. Quando combinado com o procedimento de obrigar que o registro de um medicamento s seja concedido no caso de o mesmo medicamento estar registrado previamente no pas de origem, obtm-se um mecanismo de proteo extremamente resistente, o que impede que a populao brasileira seja utilizada como cobaia em testes de medicamentos que ainda no foram aprovados, principalmente por pases mais desenvolvidos que o Brasil. Obviamente, a regra no se aplica importao para conduo de estudos clnicos previamente aprovados pelos diversos nveis dos comits e conselhos de tica em pesquisa clnica.

A meu ver, mesmo impossibilitando a manipulao do frmaco em farmcias, esta uma argumentao vlida, pois garante a segurana e o uso adequado de medicamentos.

O segundo argumento, tambm bem-sabido, que o registro, a produo, a comercializao e a disponibilidade de medicamentos industrializados esto intimamente relacionados com interesses comerciais. Mesmo que um medicamento seja terapeuticamente vlido, se ele deixar de ser comercialmente interessante para a indstria que o comercializa, esta empresa pode deixar de produzi-lo e no mais renovar seu registro.

Em uma condio normal, essa lacuna na teraputica poderia ser facilmente preenchida pela manipulao do medicamento em questo em farmcias. Entretanto, como o registro no existe mais, a importao da substncia ativa no possvel, o que inviabiliza a manipulao.

Isso preocupante, pois o impedimento da importao sobrepe o interesse comercial da indstria ao interesse teraputico e manuteno da sade da populao, o que nenhuma agncia reguladora de qualquer pas deveria permitir. Quem um pouco mais farmossauro deve recordar que, h uns 20 anos, houve uma parada na produo de propranolol (que no era financeiramente interessante na poca), e a nica opo dos pacientes passou a ser as farmcias.

O terceiro argumento que, quando no h mais interesse na renovao do registro de um medicamento, porque este medicamento tornou-se terapeuticamente obsoleto, tendo sido suplantado por alternativas melhores. Assim, numa conjugao de interesses comerciais e teraputicos, a indstria no renova o registro do medicamento antigo, pois pretende deixar disposio do mercado apenas a nova opo, que lhe ser mais lucrativa.

No vejo problema nisso do ponto de vista comercial, mas, do ponto de vista teraputico, isso pode no ser o melhor. Vejamos o caso do rofecoxibo. Em poucas palavras, foi alardeado como uma revoluo mas revelou-se um problema. Quando os relatos de efeitos adversos se acumularam, levando s restries impostas mundialmente, os mdicos quase que imediatamente voltaram a adotar a gerao anterior de frmacos. O raciocnio que melhor usar medicamentos antigos com efeitos colaterais conhecidos do que usar uma nova gerao cujos efeitos ainda no so bem conhecidos, principalmente em nvel de grandes populaes.

Eu acredito que esta discusso vai longe. Concordo que discutir a validade teraputica de medicamentos que no possuem registro no Brasil coisa da maior seriedade. Mas no posso concordar que a importao de uma substncia deva ser proibida simplesmente pelo fato de o registro ter sido expirado e no renovado. Isso simplificar demais um assunto complexo e que merece uma melhor avaliao.

Substncias que foram utilizadas terapeuticamente durante muitos anos no podem perder seu lugar no arsenal teraputico apenas porque no tm mais interesse comercial. No podem ser tratadas como se fossem um sem eira nem beira.

Ningum ganha com isso. Pacientes perdem. Farmcias perdem. O sistema de sade perde. E o Brasil tambm perde.

Novos Produtos