Cosmetics

Edição Atual

http://latinamerica.in-cosmetics.com/pt-br/home/?utm_campaign=C&T&utm_medium=media-partner&utm_source=C&T&utm_audience=visitors&utm_content=banner
http://farmacosmetica.com.co/
http://www.quimicaanastacio.com.br
http://kosmoscience.com.br/
http://www.cosmotec.com.br/
http://www.sarfam.com.br
http://www.bbquimica.com.br/bbq/
https://colama2018.com/
17 de Junho de 2018

Mercado

Artilharia Anti-idade

Por Erica Franquilino

 
Derme
 

 

O tempo não para...

  A pele é nosso “escudo” contra as agressões externas e fatores ambientais aos quais estamos expostos ao longo da vida. Ela reflete, de forma implacável, os efeitos da passagem do tempo. Confira informações sobre a fisiologia, os cuidados adequados a cada tipo de pele e as etapas que compõem seu processo de envelhecimento.
 
   Maior órgão do corpo humano, a pele determina o limite deste com o meio externo. A pele corresponde a 16% do peso corporal e exerce diversas funções, como regulação térmica, defesa do organismo, controle do fluxo sanguíneo e proteção do organismo contra diversos agentes do meio ambiente. Por meio da pele sentimos calor, frio, pressão, dor e tato. Ela protege o corpo da perda excessiva de água, de atritos e dos raios UV. É formada por três camadas: epiderme, derme e hipoderme.


Epiderme

  É a camada mais superficial da pele e protege o corpo das agressões externas. A espessura da epiderme varia de 0,07 mm a 0,12 mm na maior parte do corpo, podendo chegar a 0,8 mm na palma da mão e a 1,4 mm na planta do pé.
  A epiderme é constituída por células epiteliais (queratinócitos), cuja disposição é semelhante à de uma parede de tijolos. As células epiteliais são produzidas na camada mais inferior da epiderme (camada basal ou germinativa).
   Essas células se multiplicam continuamente. Dessa forma, as novas células geradas empurram as mais velhas para cima, em direção à superfície do corpo.
 
   Conforme envelhecem, as células epidérmicas tornam-se achatadas. Elas passam a fabricar e a armazenar uma proteína resistente e impermeável, a queratina.
  As células mais superfi ciais, quando são cobertas de queratina, morrem e passam a constituir um revestimento resistente ao atrito e altamente impermeável, chamado camada queratinizada ou córnea.
  Na epiderme, além dos queratinócitos, existem os melanócitos. Localizados nas camadas inferiores, os melanócitos produzem a melanina, pigmento que determina a cor da pele.
 
   A epiderme não possui vasos sanguíneos. Nutrientes e oxigênio chegam a essa camada por difusão, a partir dos vasos sanguíneos da derme. A epiderme dá origem aos anexos cutâneos: unhas, pelos, glândulas sudoríparas e glândulas sebáceas.
A abertura dos folículos pilossebáceos (pelo e glândula sebácea) e das glândulas sudoríparas na pele forma os poros.
  O sebo, produzido pelas glândulas sebáceas, é composto de várias substâncias que atuam como lubrificantes naturais dos pelos, evitando que fiquem quebradiços. O sebo ainda tornaa pele oleosa, diminuindo a evaporação da água a partir da camada córnea. Ele também protege a pele contra o excesso de água na superfície, evita o crescimento de bactérias e fungos e promove a emulsão de algumas substâncias.
 
  Embora tenham origem epidérmica, as glândulas sudoríparas e sebáceas estão mergulhadas na derme. O suor é drenado pelo duto das glândulas sudoríparas, e a secreção sebácea (que lubrifica a epiderme e os pelos) sai por meio dos poros. A transpiração ou sudorese refresca o corpo quando há elevação da temperatura ambiental ou interna do corpo. 


Derme

  Localizada entre a epiderme e a hipoderme, essa camada é responsável pela resistência e pela elasticidade da pele. Ela é subdividida em duas camadas: a papilar, que fica em contato com a epiderme, formada por tecido conjuntivo frouxo, e a reticular, constituída por tecido conjuntivo denso não modelado, no qual predominam as fibras de colágeno.
 
   Na derme estão localizados os vasos sanguíneos e linfáticos que vascularizam a epiderme. Nela também estão os nervos e os órgãos sensoriais associados a estes, incluindo vários tipos de sensores de estímulos vibracionais e táteis (corpúsculos de Paccini e corpúsculos de Meissner), de pressão (discos de Merkel), mecânicos, térmicos de frio (bulbos terminais de Krause) e, em especial, os dolorosos (células de Schwann).


 Hipoderme

É terceira e última camada da pele, formada basicamente por células de gordura. Conhecida como sistema subcutâneo, essa camada une e distribui a derme e a epiderme ao longo do corpo, permitindo que as duas primeiras camadas deslizem livremente sobre as outras estruturas do organismo. A hipoderme atua como reserva energética, isolante térmico e oferece proteção contra choques mecânicos.


Tipos de pele e cuidados associados

   A pele normal é a menos frequente entre todos os tipos de pele. Ela produz gordura natural na quantidade adequada e possui textura aveludada. Com poros pequenos e pouco visíveis, esse tipo de pele é pouco propenso ao desenvolvimento de espinhas e manchas. Já a pele seca tem como características a perda excessiva de água, pouca luminosidade e poros pouco visíveis. Ela é mais propensa a problemas como descamação e vermelhidão, além de ter maior tendência ao aparecimento de pequenas rugas e fissuras. A pele seca pode ser resultado de fatores genéticos e hormonais, bem como ambientais, por exemplo, a exposição ao frio, ao vento e à radiação ultravioleta.O ressecamento da pele também pode ser provocado ou agravado por banhos demorados e com água quente.
 
   De aspecto brilhante, úmido, espesso e com poros dilatados, a pele oleosa tem produção de sebo maior do que o normal. Além da herança genética, outros fatores que favorecem a oleosidade da pele são: alterações hormonais, exposição excessiva ao Sol, estresse e ingestão de alimentos com alto teor de gordura. A pele oleosa é mais propensa à formação de acne, cravos e espinhas.
 
   A mista é, provavelmente, o tipo mais comum de pele. Ela apresenta aspecto oleoso e poros dilatados na “zona T” (testa, nariz e queixo) e seco nas bochechas e nas extremidades do rosto. Esse tipo de pele apresenta espessura mais fina, com tendência à descamação e ao surgimento de rugas finas.
 
  Para a dermatologista Daniela Landim, independentemente da idade ou do tipo de pele, “as dicas são: usar filtro solar diariamente, para evitar manchas e retardar o envelhecimento da derme, e tomar água durante o dia, em média oito copos, porque a hidratação é essencial”. “Todo cuidado com a  pele deve começar desde a adolescência, com a lavagem diária do rosto com sabonete adequado e indicado pelo dermatologista. A limpeza da pele tem muita importância. É fundamental, portanto, não esquecer de usar o demaquilante, que limpa de forma profunda e desobstrui os poros”, ela destaca.
  Os hábitos de higiene são essenciais para evitar o acúmulo de oleosidade, de resíduos de maquiagem e de poluentes na pele. O acúmulo de sujeira ocasiona o entupimento dos poros, contribuindo para o aparecimento de cravos e espinhas – além de favorecer o envelhecimento precoce.
 
  A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) recomenda para a limpeza de peles oleosas a mistas o uso de sabonetes à base de ingredientes adstringentes, que contribuam para a remoção das impurezas e para a desobstrução dos poros. Sabonetes líquidos e com pH neutro são ideais para peles secas e normais, que podem complementar o processo de limpeza com o uso de uma loção ou creme de limpeza. Os tônicos auxiliam na remoção de resquícios de óleo, sujeira e maquiagem. A esfoliação periódica da pele remove células mortas e estimula a renovação celular. Por ajudar na manutenção do manto hidrolipídico que recobre e protege a pele, os hidratantes evitam o ressecamento.


Envelhecimento

   A pele envelhece por razões biológicas, como a queda do ritmo de renovação celular, e outras extrínsecas, por exemplo, a poluição, a ação da radiação ultravioleta e o excesso na ingestão de álcool. Daniela explica que, em linhas gerais, os seguintes
aspectos fazem parte do processo de envelhecimento:
 
   Movimentos musculares - a pele é constantemente estimulada por movimentos repetitivos e contínuos. Com o passar do tempo e de acordo com a expressão facial da pessoa, as contrações formam rugas e marcas de expressão.
 
  Alterações celulares - a renovação celular é fundamental para a saúde da pele. Há uma substituição nas primeiras camadas epidérmicas, o que deixa a pele mais uniforme. Ao longo da vida, a renovação torna-se lenta e menor, ocasionando aspecto irregular na pele. As linhas de expressão tornam-se mais aparentes.
 
  Alterações hormonais – enquanto envelhecemos, ocorre diminuição no nível dos hormônios sexuais, como o estrogênio e a testosterona. Nas mulheres, a redução do estrogênio, quando tem início o período da menopausa, causa danos como o afinamento da pele e a diminuição de sua elasticidade.
 
   Fatores inflamatórios e oxidação - estresse, poluição e radiação UV, entre outros fatores, ativam o processo inflamatório que, com o decorrer do tempo, faz que haja degradação de forma acelerada do colágeno e da elastina. Fatores internos e externos levam ao dano no DNA celular, retardando o processo de regeneração das células.
 
   Glicação - o açúcar (exógeno, no caso dos alimentos, e endógeno, em razão do diabetes) que se fixa nas fibras de colágeno e de elastina enrijece essas estruturas, deixando a pele sem elasticidade. O processo é irreversível.
 
  Entre os fatores externos que aceleram o envelhecimento está a radiação solar. O envelhecimento cutâneo induzido pelas radiações UV decorre de uma série de alterações bioquímicas e fisiológicas, que compreendem: estresse oxidante, com mutações e/ou alterações no DNA; lipoperoxidação, com a formação de radicais livres; foto-oxidação de proteínas; desequilíbrio na produção de enzimas antioxidantes; entre outros fatores.
 
  As alterações decorrentes de fotoenvelhecimento comprometem as duas primeiras camadas da pele. Na epiderme, o dano solar provoca alterações na sua espessura e nas células pigmentares, resultando no espessamento e/ou no afinamento da pele. Podem surgir alterações de pigmentação, como sardas e melanoses solares. Na derme, as alterações são referentes ao dano provocado às fibras colágenas, que se degeneram, e às elásticas, que sofrem processo de fragmentação. A pele perde elasticidade, torna-se propensa à flacidez e à formação de rugas e sulcos.
  Os vasos sanguíneos perdem a capacidade de eliminar as toxinas do organismo, bem como de nutrir e de oxigenar as células da epiderme – o que prejudica a renovação celular.
 
  Fumo e álcool também favorecem o envelhecimento precoce. No caso dos fumantes, o calor da chama do cigarro e o contato com a fumaça provocam a perda de elasticidade cutânea. O fumo ainda diminui o fluxo sanguíneo da pele, dificultando a oxigenação dos tecidos. Além disso, rugas acentuadas ao redor da boca são comuns em fumantes. O álcool altera a produção de enzimas e contribui para a formação de radicais livres. A exceção, se consumido moderadamente, é o vinho tinto, que tem ação contra os radicais livres, pois é rico em flavonoides.
 
  Além de tabagismo, álcool e outras influências, como a poluição e o estresse, os hábitos alimentares contribuem para acelerar os sinais de envelhecimento. O excesso na ingestão dealimentos como carne vermelha, frituras e doces aumenta a produção de radicais livres, que aceleram o envelhecimento celular. Especialistas afirmam que uma alimentação equilibrada (rica em vegetais, como as frutas e as hortaliças, cereais integrais, carnes e laticínios magros) está entre os fatores que contribuem para a manutenção da elasticidade, a hidratação e a firmeza da pele.

 

Em busca da pele perfeita

   
   Acompanhe um breve histórico da trajetória dos produtos anti-idade e das tecnologias empregadas em seu desenvolvimento no Brasil
 
   O caminho percorrido por essa categoria de produtos é pontuado por inovações substanciais, que permitiram à indústria oferecer melhores resultados em menos tempo. Hoje os brasileiros vivem e se cuidam mais. Acompanhando as transformações da sociedade, atualmente o mercado de cosméticos anti-idade apresenta produtos com atributos diversificados, direcionados a vários perfis de consumidores. “As rosas desabrocham com a luz do Sol e a beleza das mulheres com o Creme Rugol”. Com esse slogan, o emblemático Creme Rugol viveu o auge de sua popularidade entre as décadas de 1920 e 1950. O produto foi registrado em 1921 pelo farmacêutico Joviano Alvim, sócio do Laboratório Alvim e Freitas, em São Paulo SP. O creme, sobretudo nos anos 1930,era apreciado por mulheres que buscavam manter a pele clara – diferenciando-se das trabalhadoras das lavouras de café. 

   O Laboratório Aclimação tornou-se responsável pela produção do creme em 1934. Nas décadas seguintes, ante ao aumento da concorrência, o produto passou por algumas modificações. Disponível no mercado até hoje, o tradicional Creme Rugol faz parte de uma família de produtos sob a marca Rugol Cosmetic, que inclui itens como o Creme Clareador Facial Lumière Epilê com FPS 15. O creme clareador é formulado com óleo de rosa mosqueta, vitamina C e extrato botânico de margarida. Pertencente à mesma empresa fabricante do Creme Rugol, o Creme de Alface Brilhante chegou ao mercado nos anos 1920, desenvolvido para pessoas com pele seca. A formulação incluía mel e vitamina E. O Creme Nivea, que enfatizava a beleza da pele alva, era um dos destaques na década de 1930. Os anúncios do produto em revistas femininas da época prometiam às leitoras “conservar sua beleza, sua saúde e o frescor de sua juventude”. Nesse período, as mulheres também conta-vam com emulsões para prevenção e tratamento curativo de acnes e espinhas.
 
   A pomada Minancora, que reunia várias funções, era usada contra os odores da transpiração e para secar cravos e espinhas. A formulação, criada em 1915 pelo português Eduardo Augusto Gonçalves,ra constituída por um agente secativo (óxido de zinco), um antisséptico (cloreto de benzalcônio),um analgésico (cânfora) e um emoliente (óleo mineral). O creme forma uma espécie de película protetora sobre a pele, protegendo-a dos agentes externos e do ressecamento. Comercializada inicialmente na Pharmacia Minancora, de Joinville SC, a pomada passou a ser distribuída nacionalmente a partir de 1934, quando Gonçalvez  criou a Minancora & Cia.
 
  O Creme Facial Pond’s, que chegou à América Latina nos anos 1920, tornou-se bastante popular no Brasil, especialmente nas décadas de 1960 e 1970. A partir dos anos 1980, foram desenvolvidas novas versões para os cremes faciais da marca: para peles secas, normais, mistas e oleosas. A Pond’s também apresentou o creme de limpeza e o creme nutritivo, entre outras versões. O que diferenciava as opções de produtos era a cor da tampa.
 
   De maneira geral, os produtos para o tratamento da pele mantiveram formulações à base de glicerina e de outros ingredientes oleosos até a década de 1970. A partir desse período, intensificaram-se os estudos voltados às reações da pele ante a aplicação de produtos cosméticos. Novas tecnologias atentavam para a importância da hidratação cutânea. Inovações nas técnicas para o desenvolvimento de produtos antienvelhecimento surgiriam nas décadas seguintes.
  Nos anos 1980, chegavam às consumidoras brasileiras produtos formulados com ácido retinoico, um derivado da vitamina A. O ácido retinoico e o retinol estimulam a produção de colágeno,  que confere sustentação à pele. A Avon foi a primeira grande companhia de produtos cosméticos a estabilizar o retinol para a utilização em tratamentos para a pele. O ácido glicólico, extraído da cana-de-açúcar, ganhou destaque no mesmo período, oferecendo benefícios similares aos do ácido retinoico.
 
   Ainda nos anos 1980, a indústria cosmética passou a utilizar os aminoácidos. Esses compostos dão origem aos polipeptídeos (ou proteínas hidrolisadas), cuja função básica é formar um  higroscópico sobre a pele ou os cabelos – o que contribui para o aumento da hidratação. As proteínas hidrolisadas também conferem aspecto mais firme à pele e, de acordo com o peso molecular do grupo de aminoácidos, podem provocar efeito lifting imediato – o “efeito cinderela”.
 
  Em 1986, a Natura apresentou a linha Chronos, a primeira a usar o conceito de renovação celular no país. Em 1992, a Avon lançou a linha anti-idade Anew, tornando- se a primeira empresa a incluir o ácido alfa-hidróxido (AHA) na formulação de produtos voltados ao mercado popular. A linha chegou ao Brasil com o nome Renew. Os produtos Renew Perfecting Complex for Face foram lançados no país em 1993.
   Nos anos seguintes, os produtos anti-idade da linha e de outras marcas do mercado passaram a fazer uso de ingredientes como proteínas derivadas do trigo e do leite, queratina e colágeno.
 
   A década de 1990 trouxe inovações marcantes em produtos anti-idade. Chegavam ao mercado os lipossomas, vesículas microscópicas formadas por uma ou mais camadas concêntricas de lipídeos, que se organizam espontaneamente em meio aquoso. Devido à sua flexibilidade estrutural, os lipossomas podem encapsular materiais hidrofóbicos, hidrofílicos e anfifílicos, de acordo com sua composição lipídica. Essas esferas orgânicas são capazes de conduzir agentes ativos a camadas profundas da epiderme, conferindo aos ingredientes alto poder de hidratação e nutrição da pele. Entre várias outras substâncias, os lipossomas são, notadamente, veículos para vitaminas e fármacos de ação tópica, como anti-inflamatórios e antifúngicos.
   Em 1995, a nanotecnologia foi empregada pela primeira vez na formulação de um produto cosmético, com o lançamento do Primordiale Optimum Intense, da Lancôme. O creme facial antienvelhecimento era formulado com nanocápsulas de vitamina E.
 
  “A nanotecnologia melhora a permeação cutânea e a estabilidade dos ativos. Esses dois parâmetros têm relação direta com a eficácia dos produtos anti-idade. Considerando que a maioria dos ativos antioxidantes e despigmentantes apresentam problemas de estabilidade por serem sensíveis ou reagirem com componentes da fórmula gerando incompatibilidades, quando estão encapsulados eles encontram-se protegidos da luz, do oxigênio e do contato com outras matérias-primas, o que os torna muito mais efetivos”, explica Betina Zanetti Ramos, diretora técnica da Nanovetores.
   A partir dessa novidade, grandes companhias mundiais de cosméticos - como Christian Dior, Anna Pegova, Procter & Gamble, Revlon, Chanel, Skinceuticals, Estée Lauder, Shiseido, Garnier e Johnson & Johnson - também lançaram produtos com base em nanotecnologia.
 
  Ativos encapsulados chegam íntegros ao seu alvo de ação. Outros benefícios proporcionados pela nanotecnologia são o efeito rápido, a ação prolongada e o sensorial agradável. “Entretanto, quando falamos em nanotecnologia e sistemas de encapsulação precisamos considerar que existem diferentes tecnologias, como lipossomas, nanoemulsões, nanopartículas lipídicas e poliméricas, e que os benefícios nos quesitos proteção de ativo, permeação e eficácia mudam significativamente de um sistema para outro”, aponta Betina.
 
  No Brasil, o primeiro produto a utilizar a nanotecnologia foi o Nanoserum, creme antissinais para a área dos olhos e para o contorno dos lábios de O Boticário. O produto chegou ao mercado em 2006. Um ano depois, a Natura fez uso da nanotecnologia para o lançamento da linha Bruma de Leite Hidratante, direcionada ao público masculino.
 
  Voltando aos anos 1990, vale destacar a tendência de formulações com ingredientes naturais. Ganharam força os ingredientes amazônicos, como castanha-do-pará, guaraná, açaí, babaçu, buriti, copaíba e andiroba. A presença desses tipos de ingredientes no produto passou a atrair cada vez mais a preferência dos consumidores. Foram desenvolvidos extratos puros de plantas e novos sistemas de transferência de ativos. Em 1998, a Nivea lançou o Nivea Visage Q10, creme antirrugas que conquistou consumidores rapidamente e precedeu vários outros lançamentos de produtos formulados com a coenzima Q10. Presente em quase todas as células do organismo, a coenzima Q10 auxilia o metabolismo energético e está presente em maiores  concentrações em órgãos como o coração, o cérebro, os rins e o fígado. A coenzima, que diminui com o avanço da idade, colabora para a regulação do crescimento das células e para a diferenciação celular, tem efeito anti-inflamatório e ação antioxidante, entre outros benefícios.


Mais e melhores produtos

 Com o envelhecimento da população, aumenta a procura por produtos para retardar ou tratar os sinais do envelhecimento – e por tratamentos estéticos.
  A categoria de produtos anti-idade chegou ao século 21 com grande diversidade de apelos, segmentação para vários públicos, além da promessa de efeitos mais rápidos e intensos.
  Entre as tendências que se consolidaram em produtos antienvelhecimento está o uso de vitaminas. Substâncias orgânicas essenciais para o bom funcionamento do organismo, bem como para sua vitalidade e sensação de bem-estar, as vitaminas conferem – entre outros benefícios – ação antioxidante aos cosméticos.
 
  No que se refere às propriedades cosméticas, a vitamina A é benéfica na remoção de manchas, na renovação celular e na redução do ressecamento da pele. A vitamina E atua como antioxidante natural, evitando o processo de envelhecimento e mantendo a integridade das membranas celulares. Essa vitamina reduz a perda transepidérmica de água, protege contra a radiação UV e diminui o aparecimento de linhas finas e rugas, sobretudo em associação com as vitaminas A e C.
 
  A vitamina C neutraliza os radicais livres, estimula a síntese de colágeno, melhora a elasticidade da pele e ajuda na prevenção contra os males causados pela radiação UV. Já a vitamina B5 tem efeito hidratante, é cicatrizante e estimula a reparação dos tecidos. A associação entre os filtros UVA e UVB e as vitaminas e seus derivados conferiu novo impulso à performance dos produtos anti-idade.
 
  Nos últimos anos cresceu a segmentação de produtos, que chegam aos consumidores classiÞ cados por idade, por período
(diurno e noturno) ou por necessidades específicas da pele. A Nivea, por exemplo, alguns anos após o lançamento do primeiro item da linha Visage, apresentou o Creme Anti-rugas Q10 Plus Diurno (formulado com coenzima Q10, creatina, vitaminas e filtros UV) e o Q10 Plus Creme Noturno (com óleo de macadâmia e manteiga de karité).
 
  Marcas de produtos anti-idade começaram a apostar também no público masculino. Os homens brasileiros passaram a consumir cosméticos antienvelhecimento a partir da década de 1990, mas ainda de forma incipiente. Basicamente, apenas as linhas de cuidados faciais direcionadas aos consumidores de alta renda ou os produtos importados apresentavam esse tipo de atributo.
 
   Com o tempo, linhas de produtos para barbear começaram a incluir na rotulagem, além dos benefícios de hidratação e refrescância, referências ao conceito de prevenção ao envelhecimento precoce. Surgiam no mercado lançamentos como cremes antirrugas, produtos específicos para a área dos olhos, fluídos faciais e esfoliantes. Os produtos eram formulados com ativos como Aloe vera, algas marinhas, camomila e derivados naturais, como chá verde e bambu, complexos vitamínicos, além do DMAE – que despontava como promessa de renovação celular e ação contra a flacidez.
 
  Dentro do conceito de bem-estar e qualidade de vida, fabricantes de cosméticos anti-idade investiram em produtos com ação sensorial e protetora da pele. Nesse contexto estão inseridos os chamados neurocosméticos, que atuam na pele de forma semelhante à endorfina, neurotransmissor responsável pelo bom humor. Faz parte dessa vertente a Lotion Akinésine, da marca Anna Pegova. A loção anti-idade cria sensação relaxante, aliando neuropeptídeos à idebenona, um antioxidante similar à coenzima Q10. A variante Akinésine Happyskin é um creme formulado com Þ toendorÞ nas e um complexo firmador.
 
  Como acontece em outras categorias, hoje os cosméticos anti-idade são caracterizados pela multifuncionalidade. A indústria oferece matérias-primas que somam propriedades como hidratação, poder de absorção, umectância, alto índice de proteção, resistência à água e efeito sensorial.


Por dentro da artilharia

   No processo de envelhecimento, a pele sofre várias alterações, como a redução da hidratação, da firmeza e da elasticidade. Na formulação de um cosmético anti-idade, é preciso usar ingredientes que contribuam para a uniformização e o clareamento da pele, bem como para o aumento da hidratação e o preenchimento de rugas e marcas de expressão, entre outros atributos. Sensorial agradável, rápida absorção e fator de proteção solar (FPS) para o uso diurno são essenciais.
 
   “Com o envelhecimento, o metabolismo cutâneo torna-se mais lento e isso causa menor produção de componentes lamelares, como ceramidas, ácidos graxos e colesterol, bem como reduz os fatores naturais de hidratação e a atividade das glândulas sebáceas”, diz Silvia Pastor, responsável pela área de Desenvolvimento de Novos Negócios da Lipotec (Lubrizol).      Consequentemente, a pele pode tornar-se mais seca, áspera, sem brilho e com sinais de envelhecimento mais acentuados.
A reposição de componentes como os mencionados por Silvia é fundamental para recuperar a hidratação e melhorar o aspecto superficial da pele.
 
  “As formulações devem levar em conta o tipo de pele e a faixa etária das pessoas a quem se destinam. Para o público jovem, preocupado com os primeiros sinais, textura e sensorial leves podem ser mais atrativos, além de ingredientes para proteção e prevenção do envelhecimento. Já para um público mais maduro o foco é a associação de ativos específicos para o combate aos sinais de envelhecimento e uma textura mais rica e emoliente, devolvendo o aspecto de pele jovem e radiante”,  diz Tatiana Francine Roque, gerente de comunicação de mercado da Cosmotec.
 
   Ela ressalta que a escolha de um emulsionante de alta estabilidade é essencial para garantir a integridade da formulação durante seu prazo de validade. “Outro ingrediente-chave é o conservante, pois formulações com alto teor de ativos, muito comuns nessa categoria [de produtos anti-idade], são mais difíceis de preservar. A embalagem também é um ponto importante, pois, dependendo da viscosidade que o produto apresentará, diferentes tipos de embalagem devem ser avaliados, assim como a estabilidade dessas formulações na embalagem final escolhida”, acrescenta.
 
   Para Marco Resende, gerente da Unidade de Negócios Cosméticos da M. Cassab, o desafio da indústria cosmética é entender todos os fatores ligados ao envelhecimento da pele, utilizando ativos - em sua maioria derivados naturais de plantas e/ou com fonte biotecnológica - que ajudem a reverter as alterações já ocorridas ou previnam a ocorrência dessas alterações, retardando a aparência de pele envelhecida.
 
  “Os ativos cosméticos devem agir de dentro para fora, em nível da derme, no colágeno, na elastina, nos fibroblastos e nos vasos sanguíneos, ou na hipoderme, no nível da gordura subcutânea. Também devem agir de fora para dentro, principalmente no estrato córneo e na epiderme, melhorando a capacidade de retenção de água na pele e/ou protegendo-a dos fatores externos, como a radiação UV”, diz Resende.
 
   Ele lembra a importância de utilizar matérias-primas consideradas suaves para a pele, evitando que esta, já naturalmente sensibilizada, sofra novas agressões. “Há muitas opções de emolientes, umectantes, conservantes, emulsionantes, estabilizantes, tensoativos e agentes reológicos que são considerados mais suaves e diminuem o potencial pró-inflamatório de formulações sobre as peles sensibilizadas”, completa.


Tendências e destaques em matérias-primas

   Maquiagens com performance anti-idade e efeito HD estão entre as tendências apontadas pelos profissionais ouvidos para esta Edição Temática. Em sintonia com o conceito de multifuncionalidade, a indústria aposta em BB, CC e DD creams. Esses produtos oferecem benefícios que vão dos atributos básicos, como hidratação e proteção solar, a propriedades anti-idade (saiba mais sobre eles no boxe ). Conheça, a seguir, alguns dos destaques e inovações em matérias-primas, além de novos conceitos para essa categoria de produtos.


BASF

  Flávia Zanella, responsável pelos segmentos de skin care e marketing de Personal Care da Basf para a América do Sul, aponta os itens de maquiagem “para uma pele perfeita, com efeito ‘photoshop’” e os óleos faciais com toque seco como tendências que devem confirmar-se em produtos anti-idade.

  O destaque referente à categoria na Basf é o conceito Everlasting Beauty. A proposta é oferecer um tratamento customizado, focado nas necessidades da pele. Lançado inicialmente na Europa, o conceito passou por adaptações para atender ao mercado sul-americano. “Por causa de diferenças no clima e de tipo de pele, na Europa a preferência é por um sensorial um pouco mais pesado. No Brasil, mais da metade das mulheres têm pele de mista a oleosa [...]. A preferência é por um sensorial mais leve, de rápida absorção e toque final seco na pele. A segunda adaptação foi a inserção de produtos extras para o tratamento dos olhos. Também incluímos produtos para cuidados masculinos”, explica Flávia.
 
 “Além do envelhecimento intrínseco, há fatores externos, como estresse, herança genética, exposição solar, alimentação e hábitos de vida, que influenciam no processo de envelhecimento. A ideia do kit foi segmentar não por idade, mas por necessidade. Esse é o diferencial”, ela conta.
   O kit é dividido em três pilares: prevenção, manutenção e correção. Para todos eles, as aplicações são: creme facial para o dia e para a noite, tratamento para a área dos olhos e produtos corporais ou para áreas específicas, como mãos, colo e pescoço. Cada pilar abrange um grupo de ingredientes, com ações diferentes.
 
   Os ingredientes agrupados sob o pilar prevenção são voltados aos cuidados básicos, “aqueles que precisamos ter a vida toda, independentemente da idade”, diz Flávia. O foco está na hidratação e na ação antioxidante. Um dos ativos que compõem esse grupo é o Litchiderm, extrato de lichia com propriedades antioxidantes (tem poder equivalente ao da vitamina E no combate aos radicais livres), “anti MMP-1” e hidratantes.
 
   O grupo referente à manutenção é direcionado ao momento em que a pele começa a apresentar os primeiros sinais de envelhecimento, como linhas finas e poros dilatados. Os ingredientes atuam no tratamento da primeira camada da pele, para eliminar os sinais mais leves e evitar que se aprofundem.
O foco está na renovação, com eliminação de pequenas rugas e uniformização do tom da pele. Um dos ativos utilizados é o Neurobiox, extrato de mil-folhas que ajuda a restabelecer a comunicação entre as células da epiderme, recuperando a atividade de renovação dessa camada. “A renovação acontece em uma velocidade similar à promovida pelo ácido glicólico, mas sem a irritação e o desconforto causados pelo uso de ácidos”, comenta Flávia.
 
   Os ativos para a correção agem nos sinais mais profundos. Eles conferem tratamento, firmeza, elasticidade, recuperação do colágeno e da elastina, “tratando a pele como um todo, dentro de todos os aspectos clássicos anti-idade, inclusive o tratamento anti-manchas”, ela completa. Flávia menciona como exemplos de ativos o Lys’lastine, extrato de endro que atua no processo de síntese da elastina; o Linefactor C, extrato de hibisco que ajuda a proteger o FGF-2 e a deixar a pele “10 anos mais jovem” e o Shadownyl, extrato de algas marrons para o cuidado da área dos olhos, que reduz olheiras e rugas nessa região da face e produz resultados a partir da primeira semana de uso.


BERACA

   Para Vanessa Salazar, gerente internacional de negócios da Beraca, as tendências são os cremes hidratantes à base de colágeno e elastina; os ativos naturais; “as maquiagens específicas com performance, como bases e pós que uniformizam o tom da pele enquanto amenizam manchas; e produtos que devolvam o viço à pele, tornando-a mais luminosa”. Ela também ressalta que “as maquiagens HD são as grandes estrelas na hora de ‘maquiar as rugas’ e os pés de galinha”, e destaca o crescimento da demanda por produtos para mãos e pés, “que ressecam com mais frequência e demandam cuidado maior à medida que a idade avança”.
   Alinhados a essas tendências estão os ativos de origem vegetal; as argilas, que proporcionam efeito tensor e colaboram para a uniformização da pele; e as manteigas, que possuem alto poder de absorção de água, agindo como excelentes emolientes e hidratantes para áreas como pés e mãos.
  Entre as matérias-primas oferecidas pela empresa que apresentam propriedades benéficas para formulações anti-idade,  Vanessa destaca as que são citadas a seguir.
 
   Óleo/Extrato de açaí – com propriedades revitalizantes, nutritivas e hidratantes, esse fruto é rico em ácidos graxos essenciais, polifenóis e antocianinas, que oferecem atividade antioxidante e anti-idade.
 

   Óleo de andiroba – tem ação anti-inflamatória e é indicado para formulações de produtos para a renovação cutânea.

   Manteiga de cupuaçú – possui alta capacidade de absorção de água, promove hidratação duradoura e auxilia na recuperação
da elasticidade da pele.
 
   Argila Branca da Amazônia – é rica em nutrientes, tem efeito suavizante e auxilia na recuperação da elasticidade e na uniformização da pele.
 
   Extrato de acerola: padronizado como vitamina C, tem ação antioxidante e anti-idade.
 
  Esfoliantes naturais BioScrubs: são indicados para auxiliar no tratamento da pele, na etapa de preparação desta. As partículas esfoliantes ajudam na remoção de células mortas e de sujidades, estimulando a renovação cutânea e melhorando a uniformidade da pele.
 
   ARS (ativo natural revitalizante cutâneo): contém ômega-6, flavonoides, gamaorizanol e ácido láurico. O ativo confere à pele as propriedades de regeneração, nutrição, revitalização, hidratação e maciez.
 
   DPS (ativo para proteção dérmica): é rico em cafeína, catequinas, ácido clorogênico, ácido rosmarínico e 6-gingerol.
Tem ação anti-inflamatória e antioxidante, além de contribuir para o aumento da elasticidade e proteger a pele dos danos causados pelos raios UVA.

   Clerilys W: consiste em um agente clareador natural que inibe a enzima tirosinase e tem ação queratolítica.
 
   Flower acids: é um concentrado de AHA proveniente da flor de hibisco. Aumenta a renovação celular e a hidratação cutânea.
 
   Rosamine: é um concentrado de vitaminas (A, C, E e F). Tem propriedades anti-idade, de nutrição, de tonificação e de proteção da pele contra o fotoenvelhecimento.
 
   Tamanol (ativo extraído do óleo de tamanu): estimula em até 35% a síntese de colágeno.
 
  Tealine (complexo de chás vermelho, branco e verde): possui alta atividade contra radicais livres, conferindo proteção ao DNA e ação anti-idade.
 
   Óleos vegetais de kukui, amaranto e rosa mosqueta: o óleo de kukui contém ácidos graxos essenciais e oferece rápida absorção; o óleo de amaranto promove a regeneração cutânea; e o óleo de rosa mosqueta, com ômegas 3 e 6 e vitamina C, é indicado para formulações hidratantes regenerativas.
 
   Bosexil: é um ativo natural que promove aumento da elasticidade, proteção do DNA e melhora a aparência de sinais causados pelo fotoenvelhecimento.
 
   Centevita: com ação anti-idade de longa duração, estimula a síntese dos colágenos I e III, aumenta a elasticidade da pele e protege o DNA contra os danos causados pelos raios UV.
 
    Xilogel: essa é uma alternativa natural ao ácido hialurônico e tem ação redensificante, de redução de aspereza e booster de elasticidade.
 
   PA2: esse redensificante atua como firmador e redutor de linhas finas.
 
   Zanthalene: consiste em um ativo modulador de sensibilidade cutânea que oferece efeito lifting imediato e ação anti-idade em curto e longo prazo.
 


COSMOTEC

  “Nessa categoria de produtos, a abordagem genérica deu lugar ao cuidado mais específico, que deve respeitar as características naturais da pele e fatores como: faixa etária, tipo de pele, danos aos quais ela foi exposta [...], entre outros. Mais do que reverter sinais de envelhecimento, há maior preocupação em devolver e preservar o aspecto de pele saudável, que é um grande sinalizador da idade aparente”, diz Tatiana, da Cosmotec.
 
   Para ela, o avanço no desenvolvimento de novas texturas, que proporcionem conforto e atuem como facilitadoras ou coadjuvantes da ação anti-idade, caminha paralelamente ao lançamento de ativos altamente especializados, “com ação ‘inteligente’, que atuam em marcadores específicos e de forma proporcional à intensidade dos sinais”.
 
  Tatiana aborda dois ativos lipofílicos do portfólio da Cosmotec, desenvolvidos “para atender à tendência crescente dos tratamentos faciais em óleo”: o VC-IP e o L22. O VC-IP é um ativo multifuncional da Nikkol que apresenta como benefícios: ação antioxidante e antirrugas, proteção do DNA e efeito clareador da pele. O ativo estimula a síntese de colágeno I e reduz enzimas de degradação do colágeno, além de inibir a enzima tirosinase, auxiliando no tratamento de manchas.
   O L22, da Floratech, mimetiza os componentes lipídicos de uma pele de 22 anos de idade, proporcionando recuperação da barreira cutânea, além de aumentar a elasticidade e a firmeza da pele.
 
    A empresa salienta que, em 2020, a América Latina terá mais de 100 milhões de pessoas com mais de 60 anos (segundo dados da Euromonitor). A companhia destaca como tendências os lançamentos de produtos para a prevenção dos sinais de envelhecimento, voltados às mulheres mais jovens; o crescimento das linhas direcionadas ao público masculino; e o aumento de produtos desenvolvidos para vários tipos de pele e para partes específicas do corpo, como olhos, pescoço e colo.
   Renata Solfedini, gerente de marketing para a área de Skin Care na América Latina, destaca a seguir alguns dos ativos anti-idade da fabricante Sederma.
   Beautifeye – é um ativo inovador que auxilia no tratamento da área dos olhos, protegendo, reforçando e melhorando as propriedades da pele. Promove redução expressiva de linhas e rugas, bolsas e olheiras, além de ser o primeiro ativo que reduz a caída de pálpebra. Ao reforçar a rede microvascular e incentivar os sistemas de eliminação de toxinas, o ingrediente reduz o vazamento capilar e o acúmulo de pigmentos glicotóxicos.
 
   Pacifeel – voltado ao cuidado das peles sensíveis e reativas, esse ativo acalma a comunicação entre a epiderme e as terminações nervosas, controlando os níveis de receptores sensoriais (TRVP1) e aliviando desconfortos como coceira, ardor e vermelhidão. O ingrediente reforça e hidrata a derme, estimulando a síntese de vários componentes da epiderme, como ceramidas, ocludina e ácido hialurônico.
 
   Matrixyl 3000 – atua na reparação da matriz dérmica, com aplicação em produtos para o contorno dos olhos. O ativo é uma combinação de duas matriquinas, Pal-GHK (Palmitoyl-Gly-His-Lys) e Pal-GQPR (Palmitoyl-Gly-Gln-Pro-Arg), que reparam a degradação da pele causada pelo envelhecimento. O produto age na síntese de macromoléculas e repara as lesões que o envelhecimento causa à pele, mediante duas vias complementares: reversão do envelhecimento cronológico e proteção contra o fotoenvelhecimento. “Esse é um peptídeo inovador e líder no mercado mundial ‘antiaging’, que retoma o metabolismo da pele jovem em todas as idades”, comenta Renata.
 
   Venuceane – consiste em um ativo antienvelhecimento de alta tecnologia que oferece proteção contra a radiação infravermelha (IV), além de diminuir significativamente os danos causados pela exposição solar e o fotoenvelhecimento. O produto estimula a síntese de colágeno, hidrata e suaviza a pele, deixando-a uniforme. É aplicável em produtos anti-idade e em protetores solares.
Legance – é um ativo anti-idade indicado para aplicação em produtos que melhorem a aparência e o conforto das pernas.
Atua na proteção e na reparação da matriz extracelular, na redução de tecido adiposo e na proteção do entorno vascular, “diminuindo o cansaço das pernas, observado no decorrer da idade, por amenizar a pressão na região vascular”, observa Renata.
 
  Senestem – é o extrato de Plantago lanceolata (20%), desenvolvido para peles supermaduras, por reduzir os sinais de envelhecimento e de senescência celular, que consiste na redução da vida útil do DNA da pele. O ativo repara a perda de firmeza e elasticidade da pele, tornando-a mais macia, “além de reduzir drasticamente as manchas senis e aumentar a densidade e a espessura da pele”, diz Renata. O extrato é indicado para formulações de produtos faciais, cremes para mãos e produtos de tratamento pontual, com foco em aumento da fi rmeza, como os recomendados para o pescoço, o colo e outras regiões do corpo.

LUBRIZOL

   Silvia lembra a importância de inovar na indústria de produtos anti-idade. “A pesquisa e o desenvolvimento de ativos que agem sobre novas moléculas envolvidas no envelhecimento nos permitirá desenvolver produtos mais específicos e eficazes no futuro, e que despertarão maior interesse nas consumidoras”.
    Ela ressalta as propriedades dos ativos Juveleven, Argirelox e Trylagen.
   O peptídeo Juveleven é um dos mais recentes lançamentos em ativos antienvelhecimento da Lipotec. O ingrediente tem eficácia comprovada em testes in vitro, os quais reportam o rejuvenescimento, em mais de dez anos, dos fibroblastos de uma doadora de 55 anos. O ativo proporciona alta capacidade de proteção ante os efeitos nocivos da poluição e da exposição solar e é eficaz na reparação do dano celular.
 
    A molécula sintética Lipochroman tem propriedades antioxidantes. É recomendada para o uso transversal em qualquer tipo de produto anti-idade. Por sua capacidade duplamente preventiva do dano celular, capturando espécies reativas ao oxigênio e ao nitrogênio, ela também protege as células da pele do estresse oxidativo, da exposição solar e da poluição.
   O Argirelox é um blend que associa dois peptídeos, com efeito sinérgico para melhorar a aparência de marcas de expressão. Os peptídeos trabalham nos neurônios motores, responsáveis pela contração dos músculos que geram as rugas e marcas de expressão. “Um dos peptídeos tem efeito similar ao da toxina botulínica, impedindo a formação do complexo SNARE para a fusão de vesículas com a membrana neuronal, diminuindo, dessa forma, os níveis de neurotransmissores liberados e que contraem os músculos”, aponta Silvia. O outro peptídeo potencializa o efeito do anterior, impedindo a entrada de cálcio nos neurônios, o que é necessário para a liberação dos neurotransmissores.
 
  “Esta combinação de ativos faz de Argirelox um produto ideal para tratar de maneira eficaz as rugas de expressão em consumidoras usuárias de injeções da toxina botulínica, demonstrando sua eficácia clínica em prolongar os efeitos dessas injeções por até seis meses”, explica Silvia.
 
   O ingrediente funcional Trylagen melhora a qualidade e a quantidade das fibras de colágeno, promovendo sua síntese e reduzindo sua degradação. A combinação de uma glicoproteína de origem marinha, obtida por biotecnologia, com proteínas hidrolisadas de trigo e soja, confere ao produto efeito indutor da síntese de colágeno. Um peptídeo favorece a formação correta e funcional das fibras de colágeno e outro peptídeo impede a glicação destas. O ativo oferece grande eficácia antirrugas em peles maduras, com resultados visíveis após um mês de aplicação.
 


M. CASSAB

   Andrea Adams, gerente de Desenvolvimento de Produto – Cosmético da empresa, ressalta o envelhecimento da população brasileira, fator que deve contribuir para o bom desempenho de produtos anti-idade nos próximos anos. “Podemos observar essa forte tendência nas gôndolas das drogarias, que hoje mais parecem lojas especializadas em dermocosméticos, onde encontramos uma gama enorme de cosméticos anti-idade, importados e nacionais. Outra tendência importante é gerada pelo aumento da participação da mulher no mercado de trabalho, fazendo que ela fique mais exposta a fatores extrínsecos geradores de envelhecimento cutâneo [...]. A mulher no mercado de trabalho também gera um fator interessante, que é o homem tendo de competir com essas mulheres e, portanto, se cuidando mais.”
   Ela também menciona o conceito infl amm ageing, com ativos que impedem a microinflamação da pele, “e assim evitam o stress oxidativo das células e o estímulo ao envelhecimento”.
 
   No que se refere ao portfólio da empresa para atender ao segmento de produtos anti-idade, Marco Resende, da M.Cassab, destaca ingredientes como o Aquarich, um dos ativos naturais da Rahn. O produto oferece a sinergia dos benefícios da aveia negra, rica em polissacarídeos e aminoácidos, com a lecitina de soja não transgênica. “Esse ativo tem a função de reter a água na pele ou nos cabelos e, ao mesmo tempo, a de formar uma película protetora que ajuda na manutenção da água nos tecidos, melhorando a aparência da pele e dos cabelos, agindo na prevenção [do envelhecimento] e como tratamento anti-idade”, diz Resende.
 
   O Myramize é um ativo derivado da planta desértica Myrothamus flablifolium, rica em antioxidantes e conhecida como “planta da ressurreição”. A planta tem esse nome por conseguir manter-se viva em período de seca – ainda que tenha a aparência de uma planta morta. Em contato com a água ou outra fonte de umidade, a planta se torna verde e entumecida em menos de 24 horas. “Esses benefícios foram estudados pela Rahn. Eles perceberam que, na pele, [a planta] possui função anti-idade, pois restaura peles ressecadas, protege os lipídeos e regenera os tecidos danificados”, explica Resende.
 
    Ele ainda menciona o Proteolea, da Rahn, ativo que promete rejuvenescer a pele da área dos olhos em seis anos com apenas quatro semanas de tratamento, e os encapsulados desenvolvidos pela Salvona, que minimizam o potencial irritante dos ativos ou o potencial desestabilizante das formulações. Outros destaques são o IBR-Dragon 801, da IBR, umderivado da pitaia que atua diretamente nas células, inibindo a proliferação de células consideradas velhas ou senis. A KSG-210, da ShinEtsu, é um emulsionante água em silicone tridimensional “que promove o sensorial ‘water breaking’, mantendo a estabilidade de ativos hidrofílicos ou lipofílicos nas formulações”, afirma Resende.
 
   O Emolid CC, um éster 100% base vegetal, é indicado para qualquer tipo de formulação anti-idade. O ativo promove sensorial de toque seco e sedoso, “com sensação de nutrição. É perfeito para formulações faciais com filtros UV”, ele diz. As Glass Bubbles, da 3M, são microesferas ocas de vidro que melhoram sensoriais, preenchem linhas de expressão e disfarçam a profundidade de rugas.


SOLABIA

  “Produtos multifuncionais são tendências para esse mercado, assim como os que previnem os sinais do tempo por combater os efeitos nocivos do estresse diário. Junto a isso temos [...] os ativos com efeito antirrugas, que tratam os sinais do tempo nas peles que já sofreram a agressão”, diz Daniella Lopes Francischetti, gerente de marketing da empresa.
 
  Os seguintes ativos são destaques da Solabia:
  Fucogel – proporciona a formação de um filme protetor sobre a pele e, consequentemente, a manutenção de sua hidratação.
“Novos estudos sobre esse ativo revelam sua atividade ‘antiaging’, por ativar a produção da enzima sirtuína-1, conhecida como a proteína da longevidade e por estimular a diferenciação dos queratinócitos pela ativação das enzimas loricrina e involucrina. O Fucogel é o ativo ‘smart’ da Solabia,por ter as características de sensorial, hidratação, ‘antiaging’, reestuturação e [propriedade] texturizante”, diz Daniella.
 
  Viniderm – extrato de suco de uva rico em polifenóis, principalmente na rara δ viniferina, obtida por bioconversão enzimática do resveratrol. A diversidade em polifenóis antioxidantes confere ao ativo ação preventiva contra o envelhecimento, uma vez que ele protege os constituintes essenciais da pele, como o DNA mitocondrial, os nichos das células-tronco e a matriz extracelular. Por estimular a síntese de colágeno I, o ativo tem propriedade antirrugas.
  
  Resistress – previne o “burnout” (estado permanente de estresse da pele) e favorece o retorno da pele às condições de normalidade depois de esta ter sofrido estresse oxidativo. O ativo atua principalmente estimulando a regeneração dermoepidérmica, baseado na regeneração de queratinócitos e fibroblastos.
 
  Ômega-9-Ceramida Pracaxi – ácido oleico biomimético (Ω9) estabilizado na forma de uma estrutura ceramida-like e obtido por um processo de síntese enzimática, patenteado e livre de solventes, a partir do óleo de pracaxi – que é rico em ácido oleico. Possui 100% de eficácia na reestruturação da derme e da epiderme.


Perspectiva de crescimento

Confira informações sobre o perfil dos consumidores, as tendências para a categoria e as inovações oferecidas pela indústria – da prevenção e do combate aos primeiros sinais de envelhecimento ao tratamento da pele madura

 

 

 

 
 
 
 
   Em comparação com outros segmentos do setor cosmético no Brasil, os produtos anti-idade ainda têm participação pequena na rotina de cuidados pessoais das pessoas. Em oposição aos hábitos dos consumidores em mercados como a Europa e os Estados Unidos, os brasileiros normalmente levam mais tempo para se preocupar com os sinais do avanço na idade. Contudo, fatores como o processo de envelhecimento da população e a melhora de seu poder aquisitivo sinalizam boas perspectivas para a categoria nos próximos anos.
 
    Em nível global, os produtos para o cuidado da pele ocupam posição de liderança em relação às demais categorias. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), produtos de skin care alcançaram um valor de vendas de aproximadamente US$ 107 bilhões em 2013.
   De acordo com o III Caderno de Tendências 2014-2015, produzido pela Abihpec com a colaboração do Sebrae e da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o Brasil ocupa a quarta colocação mundial na categoria “cuidados com a pele”, com movimentação de US$ 4,586 milhões em 2012, o equivalente a uma participação de 4,6%. O país está atrás do Japão, da China e dos Estados Unidos.
 
   Sob a classificação “cuidados com a pele” estão os produtos para o corpo, o rosto, as mãos e os pés, e para proteção solar. Em 2012, no Brasil, os itens para a face correspondiam a 48,8% da categoria contra 53% referentes aos itens para o corpo e 3,2% para as mãos e os pés. Considerando o segmento como um todo, a estimativa de crescimento anual para os próximos anos (a análise abrange o período de 2012 a 2017) é de 11,9% em valor. A perspectiva em relação aos produtos para o rosto é que, até 2017, estes alcancem crescimento contínuo de 9,3% ao ano.
 
   Segundo a Abihpec, o rosto é prioridade para os brasileiros no que se refere aos produtos utilizados para o cuidado da pele. Com base em dados da Mintel e da Euromonitor, a entidade informa que quase dois terços (63%) das pessoas dizem usar mais de um produto para o rosto. No entanto, poucas mantêm uma rotina de cuidados com a pele: 12% seguem três passos simples (limpeza, tonificação e hidratação) e 6% usam cremes para o rosto com funções específi cas (anti-idade, limpeza e hidratação).
No que se refere especificamente aos produtos antienvelhecimento, dados da Mintel apontam que apenas 15% da população brasileira utilizam cosméticos anti-idade. A maior parte dos consumidores são mulheres com mais de 55 anos.


Perfil dos consumidores

   Estamos envelhecendo em ritmo acelerado. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em aproximadamente 40 anos a pirâmide etária brasileira será semelhante à da França. A expansão demográfica média anual do Brasil foi de somente 1,17% nos últimos dez anos — contra 1,64% na década anterior. Nos anos 1960, essa taxa era de 2,89%.
   “Na França, a duplicação do percentual de idosos na população levou mais de 100 anos. No Brasil, o processo levará duas décadas. Em 2050, o país chegará à proporção de 29,7% de idosos, percentual superior ao europeu e próximo ao do Japão”, diz trecho do III Caderno de Tendências 2014-2015, mencionado anteriormente.
 
   De acordo com o IBGE, o Brasil tem hoje cerca de 24 milhões de pessoas acima dos 60 anos de idade. Pesquisas recentes indicam que o consumidor brasileiro da chamada terceira idade tem aumentado seu potencial de consumo e sua disposição para gastar. Essas são algumas das conclusões de um levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira Meu Bolso Feliz. O estudo foi divulgado em setembro deste ano.
  A pesquisa, que ouviu pessoas acima de 60 anos em todas as capitais do país, revela que os idosos têm mudado suas prioridades de consumo: 41% dos entrevistados afirmam gastar mais com produtos que desejam do que com itens relacionados

às necessidades básicas da casa. O estudo afirma que 63% das pessoas entrevistadas garantem que têm uma vida financeira melhor do que há alguns anos e que 52% estão dispostas a consumir produtos e serviços de qualidade, ainda que o custo seja maior.

  Se, por um lado, há um mercado consumidor ávido por produtos e serviços relacionados à qualidade de vida — o objetivo é viver mais e melhor —, por outro, há um contingente de potenciais consumidores que normalmente protelam os cuidados com a prevenção do envelhecimento. “A consumidora média não tem muito o hábito da precaução [...]. Só a partir dos 40 ou 45 anos é que a mulher brasileira, de fato, começa a se preocupar em estabelecer uma rotina de cuidados com a pele do rosto. Só nessa etapa ela começa a se preocupar com rugas e marcas de expressão. Esse cuidado deveria começar antes dos 30. Nos Estados Unidos e na Europa, essa preocupação começa bem antes”, comenta Cristina Goto, gerente sênior de skin care da Avon. A companhia oferece produtos anti-idade com indicações para uso a partir dos 25 anos.
 
   Simone Ribeiro, gerente de desenvolvimento e inovação da Dermage, destaca o aumento da procura dos consumidores por dermocosméticos “pelo fato de esses produtos terem indicações comprovadas e serem mais eficazes do que os cosméticos comuns”. Apesar do consumo desse tipo de produto ser mais representativo entre as pessoas com mais de 50 anos, ela ressalta o avanço na parcela de consumidores mais jovens que adotam procedimentos para o cuidado e o embelezamento da pele “principalmente com a chegada de produtos multifuncionais, como os BB, os CC e os DD creams”.
  Simone acredita que a procura por produtos como o BB e o CC creams “demonstra claramente o perfil do consumidor atual, que trabalha, estuda, cuida da casa e do corpo e procura otimizar seu tempo para produzir cada vez mais. Produtos multifuncionais são ótimos para manter uma pele linda e saudável, mas não são capazes de promover resultados significativos quando há necessidade de uma ação mais assertiva. Nesse momento, linhas dermocosméticas voltadas a ações específicas são a melhor opção”.
 
   Para Renata Eboli, gerente de marketing da Melora, empresa que faz parte do grupo espanhol IFC, aspectos como o acesso fácil à informação e o crescimento econômico da população potencializaram o perfi l do consumidor brasileiro, que hoje está mais exigente em relação às compras que faz.
  “Este é o momento de o consumidor comparar a qualidade dos produtos nacionais, bem como os benefícios e as vantagens em comprar no Brasil, ou buscar produtos importados”. Quando se analisa o comportamento do consumidor dessa categoria de produtos, vale lembrar que, além da estética, o consumo de produtos antienvelhecimento está relacionado a questões emocionais das pessoas ante o avanço da idade. Esse componente está presente invariavelmente nas formas de comunicação eaproximação da marca com o consumidor.
  “É muito importante que a busca pela saúde esteja relacionada ao bem-estar e à autoestima das pessoas. Com essa proposta, principalmente nas lojas Dermage, envolvemos os clientes em uma atmosfera de beleza, com uma área exclusiva para tratamento e experimentação”, diz Simone. “Nesse momento, além de uma conversa agradável sobre beleza e cuidados com a pele, o cliente 
pode vivenciar texturas desenvolvidas especialmente para a pele dos brasileiros, com fragrâncias relaxantes e suaves”, completa.
 
  Para Andrea Hollaender, cosmetóloga da Mesoestetic, apesar de estar relacionado a aspectos emocionais, o consumo de produtos antienvelhecimento “deve ser sempre recomendado e (...) ajustado às reais necessidades do consumidor por um profissional da área [dermatológica]. O cuidado nesse sentido valoriza de forma intrínseca a autoestima, a confiança e transmite segurança [ao consumidor], uma vez que se baseia sempre nos resultados visíveis durante sua utilização”.


O que o mercado oferece

Essa é uma categoria de performance e alto valor agregado, que está essencialmente relacionada à inovação. Por essa razão, o tempo empregado no desenvolvimento de um produto anti-idade é maior em relação ao ritmo de lançamentos em outras categorias de cosméticos. “A Avon se propõe fazer um grande lançamento por ano. Leva muito tempo para [a empresa] desenvolver um novo produto. Fazemos uma série de testes de laboratório, depois realizamos avaliações com os consumidores [...]. O ciclo de desenvolvimento é mais longo do que nos outros produtos, mas as inovações são mais robustas e signifi cativas”, diz Cristina, da Avon.
 
   Segundo dados da Mintel, a Avon é líder de mercado no Brasil em produtos para o cuidado da face, com 21,2% de participação em 2012. “A cada dois produtos anti-idade vendidos no Brasil, um é da Avon”, Cristina afirma.
  Em maio deste ano, a Avon lançou o Renew Genics Creme Dia de Tratamento Cosmético FPS 25. “Para o desenvolvimento da linha Genics, a Avon fez uma parceria com a Universidade da Calábria [na Itália]. Eles [os pesquisadores da universidade] detectaram o ‘gene da longevidade’. Na região da Calábria, as pessoas passam dos 100 anos de idade, com uma vida que não é apenas longa, é saudável também”, conta Cristina.
 
  A partir do trabalho desenvolvido na Universidade da Calábria, a Avon deu início às suas pesquisas, que levaram dez anos para serem concluídas e nas quais foram investigados mais de mil ingredientes. Além do lançamento feito este ano, a linha Genics oferece os itens: Tratamento cosmético para olheiras, Creme Noite tratamento cosmético e Sérum Tratamento cosmético concentrado.
 
  Para Ana Lia Pereira, gerente da área de Educação e Physicians da Clinique, os produtos anti-idade devem ser cada vez mais eficazes para todos os tipos de pele, “com benefícios reais e mensuráveis”. “Os consumidores poderão notar que os cosméticos oferecerão bons resultados, em fórmulas mais suaves e com menos contratempos, em oposição aos procedimentos estéticos mais agressivos”, ela salienta. A Clinique relançou, em agosto deste ano, o sérum Repairwear Laser Focus Smooths, Restores, Corrects. “Além de proporcionar redução de linhas e rugas em 63%, em apenas 12 semanas [...], agora ele oferece o dobro de melhora na textura da pele em comparação com a versão anterior”, aponta Ana Lia.
 
  Grandes marcas que atuam no Brasil aliam múltiplos benefícios e praticidade às necessidades específicas das brasileiras. Renata, da Melora, menciona o exemplo dos BB creams, cujas versões disponíveis às consumidoras vêm sendo nacionalizadas para oferecer produtos com texturas  mais leves, FPSs mais altos e tonalidades desenvolvidas para a pele brasileira. “Outras apostas fortes são os produtos anti-idade com ativos em nanopartículas e os peptídeos. Ambos oferecem efetividade de ação, maior penetração e absorção”, ela ressalta.
 
  Em setembro deste ano, a Melora apresentou ao mercado brasileiro o Skin Active Line Lift, da linha Neostrata.
O lançamento é composto por dois produtos: o Aminofil Activator, “um agente volumizador, que estimula a produção de pró-colágeno e colágeno e aumenta o ácido hialurônico da pele”, explica Renata, e o Finishing Complex, um complexo finalizador formulado com ingredientes complementares aos do Aminofi l Activator, “que reconstroem a sustentação e a densidade da pele”,diz a gerente de marketing. “Essas duas etapas de tratamento ajudam a ativar o preenchimento natural da pele, reduzindo visivelmente rugas profundas e linhas de expressão”, afirma Renata. Ela adianta que, em breve, chegarão ao mercado brasileiro outros dois lançamentos, desenvolvidos para peles que apresentam rugas e sinais de perda de firmeza. Os itens a serem lançados são: o Endocare Tensage Day FPS 30, produto para o cuidado diário da pele do rosto, com efeito tensor imediato, e o Endocare Aquafoam, espuma de higiene facial com ação calmante e hidratante, “ideal para preparar a pele para tratamentos”, ressalta.
 
  A nanotecnologia e a biotecnologia são grandes fontes de inovação em cosméticos antienvelhecimento. “Suas aplicações são as mais diversas possíveis e cada vez mais a produção científica é direcionada a esses novos caminhos”, aponta Simone, da  Dermage.
  Entre os produtos da marca mencionados por ela está o Age Inverse Nanoage, gel-creme de rápida absorção. “A Age Inverse é uma linha conceitual de alta tecnologia, aplicada [...] ao tratamento de rugas e linhas de expressão em peles adultas e maduras. A nova versão do Age Inverse Face traz na composição um complexo de três nanoativos com ação pró-longevidade celular, antioxidante, antiglicante e estimuladora da renovação celular, além de peptídeos e extratos de algas que intensificam a produção de colágeno e elastina, de forma endógena”, Renata explica. A marca informa que os resultados — redução de rugas e linhas de expressão, bem como aumento da firmeza e da elasticidade — são visíveis a partir de 14 dias de uso, sendo progressivos com a utilização contínua.
 
  Andrea, da Mesoestetic, reforça a prevalência dos complexos patenteados nanoencapsulados e ressalta atendência dos tratamentos despigmentantes, “muito importantes e procurados em um país tropical como o nosso, onde a exposição solar é inevitável”.  Ela informa que as linhas antienvelhecimento da marca estão alinhadas à escala de Glogau, usada para medir o envelhecimento cutâneo.“Trata-se de uma aproximação científica entre os três tipos de envelhecimento: o cronológico/senescente, o foto- envelhecimento/a ctínico   e o mioenvelhecimento/mecânico”, afirma.
 
  De acordo com a escala de Glogau (elaborada pelo dermatologista norte-americano Richard Glogau), a pele pode ser classificada em um dos quatro graus de envelhecimento, conforme os sinais que apresenta: grau I (envelhecimento suave, com discretas alterações pigmentares e poucas rugas); grau II (envelhecimento moderado, com rugas em movimento ou de expressão); grau III (envelhecimento e fotoenvelhecimento avançados); e grau IV (envelhecimento e fotoenvelhecimento graves, rugas disseminadas e extrema flacidez da pele).
 
  A família de produtos anti-idade da Mesoestetic é composta por quatro linhas, “com princípios ativos essenciais para qualquer tipo de pele ou idade e em elevadas concentrações”, diz Andrea. As linhas são: Energy C, formulada com ascorbil glucósido, a forma mais estável da vitamina C; Collagen 360º, que contém colágeno marinho hidrolisado; Stem Cell, cuja composição dos produtos traz células-tronco vegetais; e Radiance DNA, formulada com o [meso] recovery complex, um complexo de peptídeos patenteado pela Mesoestetic.


Destaques do mercado

Com o respaldo de técnicas e ativos inovadores, cosméticos anti-idade combatem e amenizam os sinais do tempo, melhoram a textura da pele e oferecem resultados cada vez mais rápidos e assertivos
São muitas e diversificadas as opções desenvolvidas pela indústria, que investe em pesquisas e novas tecnologias para entregar soluções de alta performance ao consumidor. Confira algumas delas:

Sou fornecedor de matéria-prima e quero contribuir com esta matéria

Sou fabricante de produto acabado e quero contribuir com esta matéria
 

2018- Tecnopress Editora Ltda

Todos os direitos reservados
Cosmetics